sexta-feira, 29 de março de 2019

Os três factos que ficam


Na passada segunda-feira Vítor Catão esteve na CMTV onde fez uma série de revelações e esclarecimentos. De tudo o que foi dito pelo director do São Pedro da Cova, há três factos que ficam para a história. 

FACTO 1 - Vítor Catão esteve reunido com Luís Filipe Vieira no Seixal



Relativamente à reunião entre Vítor Catão, César Boaventura e Luís Filipe Vieira no centro de estágios do Seixal parece não haver dúvidas, até porque para além do vídeo gravado por Vítor Catão no Seixal, o próprio César Boaventura também já confirmou a reunião. Temos aqui o primeiro facto. 

FACTO 2 - Luís Filipe Vieira ofereceu bilhetes a Vítor Catão 



Relativamente aos bilhetes oferecidos por Luís Filipe Vieira, Cesar Boaventura também já confirmou a oferta destes bilhetes na sua página de Facebook. Temos aqui o segundo facto. Sobre esta questão dos bilhetes podem saber mais (aqui)

FACTO 3 - Vítor Catão teve uma primeira reunião com Luís Filipe Vieira em Guimarães



Vítor Catão diz que a primeira vez que esteve com Luís Filipe Vieira foi em Guimarães aquando de um estágio do Benfica na cidade berço. Ora, o Benfica jogou duas partidas em Guimarães durante o mês de Janeiro. A 15 de Janeiro para a Taça e a 18 para a Liga. Na entrevista à TVI, César Boaventura não referiu o local deste primeiro encontro, mas confirmou a existência de dois encontros entre ele, Vítor Catão e o presidente do Benfica. Portanto, temos aqui o terceiro facto. Existiu um primeiro encontro entra Luís Filipe Vieira, César Boaventura e Vítor Catão em Guimarães entre num dia compreendido entre 14 e 18 de Janeiro de 2019. Mais tarde existiu o tal encontro no centro de estágios do Benfica. 

Relativamente aos senhores da justiça que Vítor Catão viu no estágio do Benfica, não há indícios de nenhum crime, mas parece-me que há clara relevância jornalística em saber quem são esses senhores e o que faziam aquelas horas na concentração do Benfica em Guimarães. 

Ou seja


De tudo o que foi dito por Vítor Catão na sua entrevista na CMTV é impossível dizer se é tudo verdade ou não. Mas o que é certo é que nestas três matérias estamos perante factos indesmentíveis. É impossível dizer se existiram mais reuniões, mas pelo menos estas duas reuniões entre Vítor Catão e Luís Filipe Vieira são factuais. Uma em Guimarães e outra no Seixal. Ficou também claro nos audios - onde Luís Filipe Vieira se predispõe a ser o bilheteiro particular do Vítor Catão - que existe uma proximidade entre eles, sabe-se lá porquê.

Então de apelidado de "capanga" passa a amigo do peito de Luís Filipe Vieira e a ter reuniões dentro das instalações do Benfica e inclusivamente num estágio da equipa profissional de futebol? E ainda tem direito a bilhetes? O mais curioso é que nessas reuniões está sempre o impoluto César Boaventura como intermediário.

Isto é o que é factual e o que é conhecido até ao momento. Agora imaginem o que está por conhecer...

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quarta-feira, 27 de março de 2019

O "Bilheteiro" do Benfica


Por certo estarão recordados das célebres ofertas de bilhetes que o Benfica atribuiu às diversas toupeiras na justiça. Ofertas essas que estão documentadas no âmbito do processo e-toupeira e que são um dos vários meios de "pagamento" pelo serviço. 

Vamos recordar essas "ofertas"


- Oferta de diverso material de vestuário do Benfica;
- Oferta de mais de 100 bilhetes para jogos de futebol do Benfica;
- Promessa de emprego para o sobrinho de José "toupeira" Silva no museu do Benfica. Contratação que não se chegou a consumar porque a investigação ficou concluída antes de estar consumada a contratação;
- "Cunha" numa instituição bancária para desbloqueio de um empréstimo bancário;
- 58 operações a crédito na conta de José "toupeira" Silva durante o período em investigação. Foram 11 depósitos bancários e 47 transferências na conta de José "toupeira" Silva que totalizam mais de 10 mil euros


O "bilheteiro" do Benfica


Como se sabe, a base da teoria da defesa do Benfica no e-toupeira passou por dizer que Paulo Gonçalves agiu sem o conhecimento do Benfica e a realidade é que a juiza Ana Peres aceitou essa teoria mirabolante e retirou o estatuto de arguido à Benfica SAD. Infelizmente, o Sporting não recorreu desta decisão, mas o ministério público e outros assistentes já recorreram, estando agora o processo em fase de recurso. 

Com os factos vindos a público nas últimas horas, parece-me que há aqui base mais do suficiente para apresentação de novos dados em sede de recurso. Até porque, Luís Filipe Vieira sempre negou qualquer tipo de envolvimento nas questões relacionadas com a oferta de bilhetes, refugiando-se na teoria de validar todas os pedidos de ofertas e de não ser o bilheteiro do Benfica. Vamos recordar.



O "bilheteiro" de Vítor Catão



Nesta reportagem são reproduzidos audios do telemóvel de Vítor Catão e ficamos a saber que se o Presidente do Benfica não é bilheteiro, tem pelo menos muito jeito para a coisa. 

Luís Filipe Vieira fez três ligações para Vítor Catão sobre bilhetes para o jogo das meia final da Taça da Liga entre Benfica e Porto no Municipal de Braga, no passado mês de Janeiro. Ou seja, o Presidente do Benfica, ofereceu bilhetes ao senhor Vítor Catão, conhecido portista com ligações aos Super Dragões a ao FC Porto. Isto ao mesmo tempo que sócios do Benfica ficaram de fora do jogo por falta de bilhete e os que foram assistir à partida tiveram de pagar pelo seu bilhete. Recordo que estes bilhetes até têm um custo para o Benfica, uma vez que não são bilhetes de uma partida no Estádio da Luz. 

Estou certo que perante estes novos factos a senhora juíza Ana Peres verá com outros olhos os famosos "OK,OK,OK" relacionados com bilhetes oferecidos pelo Benfica às toupeiras da Luz. É que só não vê, quem não quer ver que este é o modus operandi do Benfica. 

Bilhetes para "capangas"


Importa também recordar o célebre episódio da Vila das Aves onde Vítor Catão foi apelidado por Luís Filipe Vieira como sendo um "capanga". 



Portanto, Luís Filipe Vieira oferece bilhetes a "capangas" com ligações ao Porto e perante isto os benfiquistas estão todos calados. Os benfiquistas e grande parte deste país. Mas será que ninguém se questiona sobre o porquê de Luís Filipe Vieira se ter tornado bilheteiro particular de uma figura com a do senhor Vítor Catão? 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

terça-feira, 26 de março de 2019

Fechem o futebol português - Parte II


A novela César Boaventura/Vítor Catão teve ontem mais episódios nas redes sociais e nas televisões nacionais. Para quem não viu o primeiro episódio pode clicar (aqui).

Depois dos primeiros directos no Facebook de Vítor Catão, César Boaventura socorreu-se do seu facebook para responder. 

A resposta de César


Às 14:13h, César Boaventura escreveu o seguinte na sua página de Facebook.



Cerca de uma hora depois, César Boaventura publicou um directo na sua página onde decidiu ouvir na integra a famosa música da tourada enquanto se dirigia para Lisboa.



A resposta de Vítor Catão


De seguida foi a vez de Vítor Catão fazer um directo na sua página de Facebook onde fez algumas revelações. 



Pouco tempo depois, Vítor Catão publicou na sua página de Facebook um pequeno excerto de um vídeo filmado na centro de treinos do Seixal onde é possível ouvir a voz de Luís Filipe Vieira.



Novo post de César Boaventura


Ao final da tarde, César Boaventura escreveu isto:


E isto foi só uma aperitivo do que aconteceu no terceiro episódio transmitido pelas televisões nacionais em horário nobre. Mas isso fica para outro post. 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

segunda-feira, 25 de março de 2019

Fechem o futebol português


Fechem o futebol português! É só o que me apetece dizer depois dos directos que Vítor Catão transmitiu há poucos minutos na sua página de Facebook. 


Os vídeos








A publicação pode ser consultada no seguinte link: https://www.facebook.com/vitor.catao.33/videos/1002984463423766/

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

33 títulos internacionais


As nossas leoas e os nossos leões do Goalball são campeões da Europa de clubes e conquistaram o 32º e o 33º títulos internacionais do palmarés do Sporting.

Bravo!!!



Quero deixar aqui uma palavra de agradecimento ao nossos campeões em particular à nossa treinadora Márcia Ferreira pelo extraordinário trabalho que tem feito no Sporting e também a Luís Gestas, vogal do Conselho Directivo de Bruno de Carvalho com o pelouro do desporto adaptado, responsável pela criação do gabinete paralímpico e que tanto fez por estes atletas e pelas modalidades adaptadas. 

Todas as conquistas


São 33 conquistas em 6 modalidades diferentes que fazem do Sporting um clube ímpar em termos mundiais. 

É a continuidade do projecto de ecletismo com vista à conquista internacional que foi lançado pela direcção de Bruno de Carvalho e que está a ter continuidade esta época. As direcção de Bruno de Carvalho e Frederico Varandas têm em conjunto 11 títulos internacionais (7+4) que se equivalem aos 11 títulos conquistados pelo Presidente João Rocha. E mais títulos podem estar a caminho, já esta época. 

Relembrar que no futsal já estamos na final 4 da Liga dos Campeões. No hóquei em patins estamos bem lançados para estar na final 4 da Liga Europeia e temos ainda a oportunidade de defender a Taça dos clubes campeões europeus de pista em atletismo no próximo mês de Maio. 

Não ao revisionismo


Foi com surpresa e agrado que verifiquei que em termos oficiais o Sporting abandonou o vergonhoso revisionismo dos títulos internacionais que retirava dignidade às modalidades adaptadas. Uma patetice que tinha sido instituída pela direcção de Frederico Varandas (sabe-se lá porquê) e que felizmente durou apenas 6 meses. Para quem não está familiarizado com o assunto pode ficar a saber mais (aqui)

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

sexta-feira, 22 de março de 2019

Reles, mentirosos e ordinários


A 15 de Maio de 2018 o Correio da Manhã deu o pontapé de saída numa campanha negra contra o Sporting. Foi precisamente nesse dia que o jornal lançou o caso Cashball através de um depoimento comprado de um suposto empresário. Por coincidência, no final desse dia a Academia de Alcochete viria a ser invadida. 

O tal denunciante


Link da notícia (aqui)
Nesta notícia do Expresso é citado um documento do Tribunal Judicial da Comarca do Porto onde o "arrependido" disse às autoridades que deu a entrevista ao Correio da Manhã porque "precisava de dinheiro para sustentar os filhos e se encontrar desempregado desde o início do ano de 2018 até ao fim de abril". Paulo Silva conclui ainda afirmando que "aceitou dar essa entrevista, por lhe ter sido oferecido, em contrapartida, quantia monetária de valor elevado".

Processo parado por falta de provas


Em meados de Novembro ficamos a saber que o ministério público nem sequer deduziu a acusação contra André Geraldes por falta de provas. 

Jornal Ojogo 

Desta notícia quero salientar duas passagens. Uma primeira onde é dito que André Geraldes "dificilmente será condenado pelos 18 crimes de corrupção activa que estava indiciado no caso Cashball. Tudo porque a investigação revelou fragilidades, por falta de provas fortes contra Geraldes".

A segunda passagem neste artigo do jornal Ojogo, merece o meu aplauso, na medida em que o jornalista Bruno Fernandes deu aos seus leitores o devido enquadramento da matéria dizendo: "recorde-se que todo este processo foi espoletado por Paulo Silva, empresário que, em exclusivo ao "Correio da Manhã" revelou a prática destes eventuais crimes". Só faltou dizer que este Paulo Silva foi pago pelo Correio da Manhã como o próprio disse no seu testemunho ao Ministério Público. 

A lei diz que o inquérito tem de ser encerrado no prazo de seis meses e depois deduzida acusação. Algo que não aconteceu porque o próprio ministério público não conseguiu arranjar provas para deduzir sequer acusação. Entretanto já passaram mais de 10 meses sobre a "denúncia" do Correio da Manhã e até agora o Cashball deu... bola.

O Caso Trigueira


Fiz este pequeno enquadramento para chegar ao caso Trigueira. No dia 19 de Maio de 2018, quatro dias depois do ataque à Academia do Sporting e do lançamento do Cashball, o Correio da Manhã lançou à estampa a seguinte capa:



Neste lixo escrito por Tânia Laranjo e pelo benfiquista Henrique Machado a carreira e o bom nome de Pedro Trigueira foram atirados para a lama sem qualquer tipo de base factual.

"Falhou a defesa de seis penáltis"


Dizem estes artistas que Trigueira "falhou a defesa de seis penáltis", para sustentar a tese de que o jogador teria sido comprado pelo Sporting. Como se o mais natural não fosse o guarda-redes sofrer golo em lances de penálti. Esqueceram-se de dizer que Rui Patrício também não defendeu nenhum dos penáltis e que o Sporting venceu (5-4), graças ao facto de Podstawski ter rematado à barra. Também se esqueceram de dizer que esteve próximo de defender 3 penáltis adivinhando o lado para onde a bola foi rematada, como até se pode ver nas duas imagens escolhidas para a capa e para a notícia onde se vê Trigueira a voar para o lado onde a bola foi rematada por William Carvalho e Bruno Fernandes. Curiosamente, também se esqueceram de ver o que os jornais da especialidade disseram sobre a exibição do guardião nas crónicas do jogo. Vejamos:


Como podem verificar, os experts são unânimes quanto à valia da exibição do guardião nessa partida. Mas lá está, para Tânia Laranjo e Henrique Machada dava jeito manchar o único título ganho pelo Sporting na época passada, mesmo que tivessem que enxovalhar um atleta digno como ficou provado. 

A resposta do jogador


Assim que a notícia foi publicada pelo Correio da Manhã o atleta reagiu de imediato nas redes sociais da seguinte forma:


Para além de negar, Pedro Trigueira anunciou que iria processar o jornal e foi precisamente isso que fez. O primeiro resultado dessa defesa foi visível a 17 de Junho.

Direito de resposta por decisão judicial



Em nenhum momento o atleta foi contactado para apresentar o seu contraditório em relação à notícia do Correio da Manhã e por isso, como podem verificar no print anterior, apenas por decisão judicial é que o Correio da Manhã se dignou a publicar o direito de resposta do atleta. 

Texto de desagravo


Na passada segunda-feira surgiu o texto de desagravo lá no fundo do Correio da Manhã e sem qualquer destaque de capa. 


Portanto, no final de contas os tais factos denunciados por "fontes consideradas como fidedignas" pela senhora Tânia Laranjo e o senhor Henrique Machado "não correspondem à verdade" e "Pedro Trigueira nunca foi subornado nem terá combinado com o Sporting ajudar na Taça da Liga, não tendo qualquer envolvimento no Processo denominado "Cashball"

Para fechar


Por esta altura já todo o país terá percebido que o Cashball é uma treta inventada pelo Correio da Manhã para desviar atenções dos graves casos que envolvem o Benfica. Um processo que já leva mais de 10 meses e em que já foram passados os prazos legais para que o ministério público consiga deduzir uma acusação. A única prova que parece haver é o testemunho de um senhor que foi pago pelo Correio da Manhã e que neste caso de Trigueira acabou por ser completamente descredibilizado. 

Espero sinceramente que o atleta leve o caso até às últimas consequências e que exija uma choruda indemnização ao jornal e aos jornalareiros que escreveram este lixo. Assim como também espero que André Geraldes faça o mesmo. Recordar que o antigo team-manager do Sporting antes de este caso ter rebentado esteve associado a clubes estrangeiros, nomeadamente ao Sevilla. A verdade é que acabou por ser contratado por um clube de menor expressão como é o Farense, graças ao facto de estar investigação estar em curso. Serve este pequeno exemplo para mostrar o que uma notícia falsa pode fazer à carreira de profissionais de futebol.

Por parte do Sporting já deveria ter sido emitido um comunicado sobre esta matéria com a declaração de corte de relações com o jornal e com a decisão de intentar todos os mecanismos legais contra o jornal por danos causados ao bom nome do clube. Quanto a isto o melhor é mesmo esperar... sentado.

Termino deixando algumas ideias para reflexão. Já repararam que o Correio da Manhã não fez uma única chamada de capa com as acusações de Lionn/Cássio a César Boaventura? Onde estão os especiais de dia inteiro na CMTV sobre esta matéria, como foram feitos para o Sporting? Se ainda alguém tem dúvidas sobre o que está aqui em causa, relembro que no processo CashBall há um empresário (pago pelo Correio da Manhã) que acusa jogadores e todos os jogadores vieram prontamente negar as acusações. No caso de César Boaventura são os próprios jogadores a denunciarem o empresário. E não são só os dois jogadores do Rio Ave. Anteriormente já três jogadores do Marítimo tinham feito o mesmo. 

Posto isto, parece-me evidente que a cada dia que passa os portugueses terão uma melhor visão sobre o que se passou em 2018 no Sporting e o que se tem passado no futebol português nos últimos anos. 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quinta-feira, 21 de março de 2019

"Pão para malucos"


Na passada terça-feira fui surpreendido quando vi a imprensa referir-se ao facto de a bola ter mesmo entrado num lance que foi anulado ao Moreirense no jogo com o Benfica. "Mas alguém achou que a bola não tinha entrado?", pensei para mim. A resposta está nos vídeos seguintes:

"Pão para malucos"



Eu bem digo que a televisão portuguesa tem a capacidade de nos proporcionar momentos dignos dos melhores sketches dos Monty Python, especialmente quando os protagonistas são senhores que comem "pão" da porta-18.

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quarta-feira, 20 de março de 2019

Prioridades trocadas


Parece-me evidente para todos os Sportinguistas que a reacção do Sporting ao caso das denúncias de jogadores relacionadas com César Boaventura foi muito frágil, para ser simpático. Senão, vejamos:

A primeira reacção do Sporting


A notícia foi tornada pública na passada quinta-feira (14). A primeira reacção do Sporting surgiu através de uma declaração feita por uma suposta "fonte oficial dos leões" que assegurou ao jornal Record que o clube "está muito atento ao desenvolvimento das diligências judiciais neste importante caso para a verdade desportiva". 

Jornal Record 15/03/2019
Portanto, no dia seguinte a ser tornado publico o depoimento do jogador Lionn que confirmou que foi aliciado por César Boaventura para perder o jogo contra o Benfica, o Sporting ofereceu um reacção em exclusivo ao Jornal Record, que produziu o quadradinho insignificante que estão a ver em cima. "Estamos muito atentos" diz fonte do Sporting. Bem, se estiverem tão atentos como no caso e-toupeira em que nem sequer recorremos, vamos muito longe. Mas adiante.

100 horas depois


Mais de 100 horas depois de ter rebentado o escândalo, Frederico Varandas decidiu dar uma conferência de imprensa para falar de "saber estar" no desporto. A muito custo e fugindo ao tema da conferência de imprensa, Frederico Varandas lá disse alguma coisa sobre o assunto: 


Diz Frederico Varandas que "não vamos descuidar esse assunto". A realidade é que o Sporting não teve qualquer acto que contribuísse para o apuramento da verdade nesta matéria ou sequer de tentar passar a sua mensagem na comunicação social, não deixando o tema morrer. Enquanto a comunicação do Sporting estava calada, o Porto Canal andou a fazer peças com o depoimento do jogador e debates especiais onde este foi um dos temas centrais. 

A verdade é que estamos perante um escândalo nunca antes visto em Portugal. Pela primeira vez temos jogadores de futebol a confirmarem sob juramento que foram aliciados por um determinado agente de futebol para perderem uma partida contra o Benfica. Um caso que a ser provado dará imediatamente o campeonato nacional de 2015/2016 ao Sporting, uma vez que basta a tentativa de corrupção para que o clube perca três pontos, logo o Sporting seria campeão com um ponto de vantagem. E relembrar que não é só o Rio Ave-Benfica que está sob investigação. O Marítimo-Benfica é outro jogo que está sob investigação. 

A SportingTv só por duas vezes falou sobre esta matéria. A primeira vez ocorreu no sábado quando o comentador Pedro Sebastião - por sua conta e risco - decidiu a meio da análise ao Sporting-Santa Clara dedicar 3 minutos sobre esta matéria no Sporting Grande Jornal. A segunda vez ocorreu na segunda-feira no programa pós-jogo e já depois da conferência de imprensa de Frederico Varandas. Deixo até um pequeno excerto para que possam perceber o nível da coisa...

"Rapidamente, Miguel..."



Basta dizer que um tema tão relevante como este foi introduzido com o pedido do jornalista para que o convidado fosse rápido na análise do tema. Sobre a opinião do senhor advogado Miguel Menezes da Silva, dizer apenas que está perfeitamente enquadrada no tal novo Sporting que "sabe estar".

Para concluir a informação sobre o programa, referir que Rodrigo Pais de Almeida também dedicou uns 3/4 minutos a falar sobre esta matéria na parte do programa em que escolhe um tema da semana. E pronto, foi esta a cobertura fantástica da SportingTv a um dos casos mais vergonhosos da história do futebol português e que pode até dar um título de campeão nacional ao Sporting. Desculpem lá, mas alguém acha isto normal? 

O Porto Canal


É muito triste um Sportinguista ter de ver o Porto Canal para saber mais sobre este e outros casos que envergonham o futebol português. Infelizmente, a SportingTV continua castrada por um Sporting mais preocupado em "saber estar" do que em defender os interesses do clube.

Das diversas reportagens e debates sobre a tentativa de compra de jogadores do Rio Ave que o Porto Canal produziu ao longo desta semana, quero destacar um momento em que um dos convidados de um debate no Porto Canal analisou a forma como o Sporting se comporta perante esta matéria. 


Ficam as perguntas no ar para os dirigentes do Sporting.

Para fechar


No mundo em que vivemos o poder sobre a agenda mediática é absolutamente crucial no sucesso das organizações. O lobby mediático existe e este caso é exemplo disso mesmo. Imaginem que os jogadores tinham dito precisamente a mesma coisa em tribunal, mas sobre um representante ligado ao Porto ou Sporting. Este país parava com especiais diários sobre a matéria. A CMTV então faria cobertura 24/7. Como foi com o Benfica, o caso passou pelos pingos da chuva. Reparem que o CM nem sequer um mísera chamada de capa fez. Isto é apenas e só mais uma razão para o Sporting se mostrar e defender os seus interesses colocando o tema na agenda, fazendo especiais de informação sobre o assunto, investigando mais a fundo a questão e para isso tem de colocar todos os seus meios a trabalhar nesse sentido. 

Não seria a primeira vez que durante o mandato de Frederico Varandas se faria uma campanha para lançar um determinado tema. Deixo até um exemplo disso mesmo, relacionado com o jogo Marítimo-Sporting. Como estão recordados o Sporting empatou e depois da partida lançou uma campanha mediática em torno do tempo útil de jogo. Falaram jogadores, o treinador e até o próprio team-manager sobre a matéria. Nas redes oficiais do clube até foi colocado um vídeo com o tempo útil de jogo, etc. Para que percebam definitivamente o empenho do Sporting nesta matéria, recordo que até na SportingTV decidiram fazer um especial de 56 minutos com 3 convidados só para falar do tempo útil de jogo. Fiquem só com a introdução desse programa. 


Recordar que esta campanha dos 56 minutos foi absolutamente patética, porque se trata de um número muito superior à média do campeonato português e um valor muito próximo dos melhores campeonatos do mundo neste métrica. Mais informação (aqui). Foi um tiro ao lado pela falta de pertinência e validade do argumento do Sporting, mas a realidade é que bem ou mal (mal na minha opinião), o Sporting mostrou capacidade para lançar uma campanha sobre um tema. 

Coisa que também fez depois dos acontecimentos nas tribunas do Bessa e do Dragão Caixa, em que o próprio presidente do Sporting decidiu vir a publico dar uma conferência de imprensa, colocando um tema que não estava a ser particularmente relevado pela imprensa nas primeiras páginas dos jornais. E sabem porque é que o tema lançado pelo Sporting sobre a violência passou a ser relevante? Porque serviu como uma luva para colocar ainda mais em segundo plano as acusações de corrupção ao Benfica e a César Boaventura. 

Em vez de um programa patético de 56 minutos para analisar os 56 minutos de tempo útil na Madeira, eu gostava era de ter visto um programa de 2 horas e 50 minutos para analisar os 250 mil euros oferecidos ao Cássio para deixar entrar uns golinhos no jogo contra o Benfica. Em vez de conferências de imprensa a pedir reuniões e criação de organismos relacionadas com incidentes nas tribunas (que são impossíveis de prever ou prevenir) eu gostaria de ter visto o meu presidente a pedir a reuniões na Liga, na FPF, no Conselho de Disciplina e Conselho de Justiça, na Uefa, na Fifa, na secretaria de estado do Desporto e do Mirtilo, etc. Gostaria de ter visto o meu presidente a dar uma conferencia de imprensa a relatar alguns dos tais factos que diz que assistiu nos tais 4000 dias que teve no futebol. Isso sim, seria relevante até porque ele diz que não ficou surpreendido com as notícias.


Também gostaria de ter visto especiais de informação e debates na televisão do clube sobre esta e outras matérias, etc. Tudo isto, sim, seria verdadeiramente relevante. Mas enfim, é o que temos e é este o rumo traçado por Varandas e seus pares, cuja prioridade passa por serem campeões do "saber estar". 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

terça-feira, 19 de março de 2019

"Ninguém toca em Luís Filipe Vieira porque é intocável"


No jornal da noite de ontem, Manuela Moura Guedes abordou o colapso do BES pago por todos os contribuintes e a célebre questão das imparidades. Gostaria de salientar um pequeno excerto em que fala do criminoso condenado por roubo que está à frente dos destinos do Benfica. 


"Ninguém toca em Luís Filipe Vieira porque é intocável"



Posto isto, importa recordar que Manuela Moura Guedes é esposa de José Eduardo Moniz, vice-presidente do Benfica, razão pela qual estas declarações têm ainda mais relevância. Recordar também que o senhor Moniz foi durante algum tempo oposição a Luís Filipe Vieira, mas de um momento para o outro viu a "luz", tal como aconteceu com o juíz Rui Rangel, este último com os resultados conhecidos. 

Por falar em vice-presidentes do Benfica, recordar que parte da dívida de mais de 400 milhões de euros de Luís Filipe Vieira ao Novo Banco foi colocada num fundo gerido por Nuno Gaioso Ribeiro, vice-presidente do Benfica. Curiosamente, um fundo que tem como accionista o filho de Luís Filipe Vieira que é sócio de Nuno Gaioso Ribeiro. 

Jornal Expresso 20/01/2018
O mais engraçado no meio de tudo isto é que ninguém se sente "vexado" por estas brincadeiras pagas com o dinheiro dos contribuintes. É o país que temos e provavelmente até não merecemos melhor. 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

segunda-feira, 18 de março de 2019

"Alô, Alô”


Depois do jogador Lionn ter prestado declarações sob juramento no tribunal de Esposende, onde garantiu que César Boaventura o tentou aliciar nas vésperas do jogo contra o Benfica na época 2015/2016, eis que surgem novas revelações referentes ao "trabalho" do empresário de Viana do Castelo. 


A investigação do jornal Expresso


No Expresso deste fim-de-semana foi publicada a seguinte peça.

Cliquem na imagem para aumentar
Cliquem na imagem para aumentar


"Alô, Alô”


Neste momento temos o testemunho de 3 jogadores do Marítimo que sob anonimato deram o seu testemunho a uma grande reportagem da SIC, temos o testemunho de Lionn sob juramento e a curto prazo teremos também o testemunho de Cássio em tribunal onde confirmará a versão de Lionn, segundo o Expresso. Temos também uma declaração muito relevante do director de comunicação do Rio Ave. Para além de "prova testemunhal" ainda há outro tipo de provas recolhidas pela Polícia Judiciária, como são o caso das mensagens de Whatsapp no telemóvel de Marcelo e uma escuta interceptada pela PJ no telemóvel de Nélson Monte. 

E depois há ainda este pequena "maravilha": "De acordo com informações recolhidas pelo Expresso junto de fontes do processo, o agente de futebolistas ter-se-á apresentado como "mandatado por Luís Filipe Vieira", oferecendo a Cássio cerca de 250 mil euros para facilitar no jogo contra o Benfica."

Como diz o outro: "Investigue-se". 

Coisas giras


Para hoje termino com uma pequena reflexão. No caso Cashball o processo foi desencadeado por uma entrevista/confissão de uma suposto empresário ao Correio da Manhã, precisamente no dia em que a Academia de Alcochete foi atacada. As alegações do senhor foram prontamente desmentidas publicamente por TODOS os jogadores e o empresário foi processado pelos atletas. Dias mais tarde empresário denunciante confirmou que foi pago pelo Correio da Manhã para dar aquela entrevista. Para reflexão deixo também o facto de esta investigação sobre César Boaventura ter sido feita pelo Expresso, que bem ou mal é o jornal de referência do país, por contraponto ao jornal Correio da Manhã de onde saiu o cashball. Também é curioso que o Correio da Manhã ainda não tenha feito uma única chamada de capa com esta assunto. Tudo, coincidência. 

É também muito engraçado que dias antes de ter rebentado o processo Cashball o senhor César Boaventura tenha feito insinuações sobre uma bomba que iria rebentar no Sporting. Na reportagem do Correio da Manhã é dito que a investigação do jornal tinha começado há cerca de um mês. Curiosamente, cerca de um mês antes César Boaventura tinha dado um grande exclusivo ao Correio da Manhã. Coincidência.

Continuo a aguardar a reacção vigorosa dos senhores presidentes da Liga, da FPF e do senhor secretário de Estado do Desporto e do Mirtilo. Mas aguardo sentado, que é para não me cansar. Se nem o Sporting que é clube beneficiado com este caso e que se pode tornar campeão nacional na secretaria, abre a boca, porque raio se vão chatear estes senhores?

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

sexta-feira, 15 de março de 2019

As viagens de Boaventura


Ontem ficamos a saber que o jogador brasileiro Lionn do Desportivo de Chaves, declarou no Tribunal de Esposende que o empresário César Boaventura o tentou aliciar nas vésperas do jogo contra o Benfica na época 2015/2016. 

Declarações que foram proferidas sob juramento, no âmbito de uma queixa que o jogador Cássio interpôs contra César Boaventura depois de alegadamente o empresário ter sugerido que o então guarda-redes do Rio Ave facilitou num jogo contra o FC Porto que terminou com 0-5 para os portistas.

As reconstituição do depoimento feito pelo Porto Canal




Para fechar


Para quem está atento ao futebol português a declaração de Lionn não surpreende. Apesar de não nos surpreender, os adeptos do futebol não dispensam a opinião dos grandes senhores do futebol português, que já se deviam ter pronunciado. A começar pelo senhor presidente da Liga, que ao que parece gere uma competição desportiva que foi corrompida. Seria também bom ouvir o que pensa o senhor presidente da FPF sobre o este escândalo e até o senhor Secretário de Estado do Desporto e do Mirtilo (será que estamos em época da apanha do mirtilo!?). Já agora, porque não também ouvir o senhor presidente da república. Será que se sente vexado por ter um desporto corrupto no país que lidera? 

O que também já não surpreende é a total ausência de reacção digna desse nome por parte do Sporting. A única reacção vinda do Sporting foi uma declaração feita por uma suposta "fonte oficial dos leões" que assegurou ao jornal Record que o clube "está muito atento ao desenvolvimento das diligências judiciais neste importante caso para a Verdade Desportiva que temos repetidamente vindo a defender.". Estamos tão atentos a isto como estivemos ao processo e-toupeira onde nem sequer recorremos...

É absolutamente vergonhoso que nem sequer esta fonte tenha dado a cara para defender o clube numa matéria tão importante para o Sporting, que a ver ser confirmadas estas suspeitas poderá sagrar-se campeão nacional 2015/2016 na secretaria. Como viram, a peça que coloquei em cima foi transmitida no noticiário do Porto Canal de ontem e durante a noite o canal dos Dragões debateu ainda toda esta matéria. É absolutamente lamentável que tenha de ser o Porto Canal a investigar e a produzir notícias e debates sobre esta matéria quando na realidade o Sporting é o clube que mais pode sair beneficiado de uma eventual condenação do rival encarnado. 

É lamentável que um Sportinguista tenha sintonizado a SportingTV na noite de ontem para ver uma peça, uma reacção ou comentário sobre esta matéria e tenha esbarrado com um silêncio ensurdecedor. Enfim, é a tal tese do "saber estar" preconizada pelos actuais dirigentes do Sporting.

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quinta-feira, 14 de março de 2019

Circo à portuguesa


A 17 de Fevereiro o Sporting goleou o Braga em Alvalade (3-0), numa partida que ficou marcada pela agressão de Raúl Silva a Acuna aos 81 minutos. 

A agressão


Para quem já não se recorda, aqui fica o vídeo com a agressão.


A queixa do Sporting e a primeira decisão do CD da FPF


No dia seguinte ao jogo (18/02) o Sporting apresentou queixa do comportamento do jogador, para que fosse aberto um auto de flagrante delito. No dia seguinte à queixa apresentada pelo Sporting, o CD decidiu punir o jogador com dois jogos de suspensão e uma multa de 765 euros.

Link da notícia (aqui)
Esta notícia refere 3 jogos, mas um deles estava relacionado com o facto de ter visto o 5º amarelo. Portanto, em relação à agressão foram mesmo 2 jogos de castigo e uma multa.

O Recurso


Ora, o jogo seguinte do Braga foi com o Belenenses no dia 22 de Fevereiro. Raúl Silva ficou de fora da partida pela tal questão dos 5 amarelos. Curiosamente, o recurso interposto pelo Braga só foi apresentado dois dias depois desse jogo, a 24 de Fevereiro, já numa fase final do prazo legal para efectuar esse recurso. Uma manobra para atrasar todo o processo e garantir que o jogador estaria apto para o jogo contra o Porto para a Taça de Portugal a 26 de Fevereiro, uma vez que o recurso tem efeito suspensivo. Para além do jogo no Dragão, Raúl Silva jogou também contra o Rio Ave para a Liga a 3 de Março e contra o Vitória de Guimarães no passado fim-de-semana.

A decisão do CD


Na terça-feira ficamos a saber que o CD do senhor Meirim apreciou o recurso do Braga e decidiu revogar o castigo e a multa aplicada ao jogador. Uma decisão tomada com base na opinião dos árbitros que estiveram a apitar a partida, como se pode ler no acórdão. Mas primeiro vamos às declarações dos senhores do apito:

Jorge Sousa, árbitro principal da partida disse ao Conselho de Disciplina que o lance "foi visualizado em campo" e que entendeu, na altura "não ter havido qualquer agressão ou prática de jogo violento". Vejamos se foi mesmo assim: 


Olhando para estas imagens é perceptível que Jorge Sousa não viu sequer o lance, uma vez que depois do remate de Raúl Silva virou a cabeça para o lado oposto de onde ocorreu a agressão, no sentido de acompanhar a bola. Se repararem, mesmo antes do remate, Jorge Sousa até muda a posição do seu corpo para ficar de frente para a baliza do Sporting.

Ou seja, Jorge Sousa não viu o lance e mentiu em sede de audição no conselho de disciplina da FPF. E porque é que um árbitro iria mentir num lance destes? Que razão teria para mentir quando a verdade até o desculparia? Não é absolutamente normal que o árbitro não tenha visto esta agressão? Parece-me que é e tanto assim é que dos experts de arbitragem presentes da comunicação social, ninguém criticou o facto de Jorge Sousa não ter intervido no lance, porque consideravam que era uma lance "imperceptível em campo", como disse Duarte Gomes na sua crónica do jornal Abola.

Crónica de Duarte Gomes ao jogo Sporting-Braga

Como diz Duarte Gomes, "lance totalmente imperceptível em campo, mas de videoanálise obrigatória". Parece-me que isto é evidente para todo o país.

É importante dizer que o senhor Jorge Sousa concluiu a sua intervenção no CD dizendo que "vistas as imagens qualifico o lance como comportamento anti-desportivo", ou seja, para esta árbitro internacional nem sequer é passível de conduta violenta para levar o cartão vermelho. Maravilhoso.

Passamos agora para os senhores que estiveram no VAR.

Tiago Martins, VAR da partida e o seu AVAR Pedro Mota consideraram que o "lance é de interpretação subjectiva (...), não é um incidente claro e óbvio". Dizem estes senhores que não comunicaram o lance a Jorge Sousa "por não ser um erro claro e óbvio do árbitro".

Portanto, os senhores do VAR também analisaram o lance mas consideraram que o incidente não era claro, por isso não informaram Jorge Sousa. Absolutamente maravilhoso.

A ver se eu percebi


Raúl Silva agride intencionalmente Acuna com uma cotovelada, num lance que não deixa dúvidas a ninguém neste país. O Sporting fez queixa e o Conselho de Disciplina de imediato pune o jogador, fazendo-se justiça. Tudo muito bem até aqui.

Vamos para o recurso e o Braga alega que o lance já tinha sido julgado pelo árbitro e pelo VAR no decorrer da partida e que por isso, não poderia haver lugar a novo julgamento. Milagrosamente e ao contrário de todas as expectativas, Jorge Sousa entra no jogo da defesa do Braga dizendo que viu o lance no campo e que não o considerou como sendo jogo violento. Isto quando as imagens da transmissão televisiva mostram que o árbitro nem sequer estava a olhar para os jogadores no momento da agressão. Mas Jorge Sousa não se ficou por aqui, até porque foi confrontado com as imagens televisivas e disse que esta cotovelada deliberada na cara de um adversário - num momento em que o Braga está de cabeça perdida por estar a levar três secos - é apenas conduta anti-desportiva, logo não seria de aplicar o cartão vermelho.

Para além das declarações milagrosas de Jorge Sousa, o VAR Tiago Martins e o seu assistente Pedro Mota também dizem que viram o lance, mas que consideraram que a decisão de Jorge Sousa em prosseguir com a partida se aceitava e que este "não era um erro claro do árbitro", logo não poderiam intervir.

Posto isto, o conselho de disciplina decidiu aceitar os argumentos do Braga, concluindo o acórdão dizendo que "nenhum dos agentes de arbitragem descortinou (...), com o necessário grau de certeza, infracção às leis do jogo", por parte de Raúl Silva e lembrou que não pode "sobrepor-se àquele juízo técnico qualificado".

Portanto, os incompetentes da equipa de arbitragem liderada por Jorge Sousa, que em campo não conseguiram ver a agressão de Raúl Silva e os incompetentes da equipa de video-árbitro liderados por Tiago Martins, que nem com várias imagens de ângulos diferentes conseguiram perceber que estavam perante uma agressão vergonhosa, acabam por ser chamados para dar o tal  "juízo técnico qualificado". Absolutamente surreal. Estes incompetentes (para ser simpático) acabaram por transformar um castigo justo numa absolvição inqualificável e a verdade é que o jogador estará disponível para os próximos jogos. Curiosamente, se o recurso não tivesse tido provimento o atleta falharia um jogo fundamental para as contas do campeonato, contra o FC Porto na Pedreira.

E assim segue o futebol português. Enquanto tudo isto acontece o Sporting na sua qualidade de queixoso e em defesa do seu jogador agredido continua sem dizer uma única palavra sobre esta decisão, numa altura em que já passaram dois dias da decisão. Para fechar dizer apenas que existe a possibilidade de recurso para o Conselho de Justiça ou para o TAD. Mas quem não sente a necessidade de recorrer do processo e-toupeira, recorrerá disto?

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

terça-feira, 12 de março de 2019

A reestruturação financeira explicada de forma muito simples e resumida


A reestruturação financeira do Sporting está novamente no topo da agenda mediática leonina e até ao final do mês deverá haver fumo branco relativamente a esta matéria. Quer-me parecer que a esmagadora maioria dos Sportinguistas não tem bem noção do que é que está aqui em causa e por isso coloco aqui um vídeo com a explicação mais simples e resumida que já vi fazerem sobre este processo. 

A explicação é dada por Ricardo Oliveira, candidato a vice-presidente do Sporting nas listas de Dias Ferreira no último acto eleitoral. De salientar que esta explicação foi dada no último debate eleitoral na véspera das eleições.

Relativamente a estas matérias farei mais posts com informação complementar durante os próximos dias.


Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

sábado, 9 de março de 2019

O que fazer com o resto da época?


Entrando na recta final da época parece-me relevante fazer uma avaliação sobra aquilo que ainda podemos fazer esta temporada. Julgo que todos concordamos que a época está perdida no que ao campeonato diz respeito, mas existes outros "pequenos" objectivos que podemos alcançar.

A importância da Taça de Portugal


Neste momento a tábua de salvação da temporada está na taça de Portugal e na possibilidade de conseguirmos vencer a competição. Este tem de ser o nosso principal foco em termos desportivos para o que resta da época. Neste sentido temos de aproveitar a vantagem de jogarmos apenas uma vez por semana até ao jogo contra o Benfica, gerindo muito bem a equipa para estarmos na máxima força no início de Abril.


A conquista do 3º lugar


Na Liga restam-nos 10 partidas para conseguirmos sair de um vergonhoso 4º lugar, que a acontecer seria a pior classificação do Sporting desde o inenarrável 7º lugar dos tempos de Godinho Lopes. Acredito que esse é um objectivo completamente ao nosso alcance e que o vamos conseguir.

Objectivos individuais


Em termos individuais parece-me evidente que Bruno Fernandes é o melhor jogador do campeonato mas há outro objectivo que seria importante conquistar, que passa por bater o recorde de médio europeu com mais golos numa época do Século XXI. Está neste momento a 4 golos do recorde de Frank Lampard. Por outro lado, Bas Dost é neste momento o 2º melhor marcador do campeonato a um golo de Seferovic. Conquistar pela 2ª vez o título de melhor marcador também é importante para ele e para o Sporting. Infelizmente, não estará hoje no Bessa a ajudar o Sporting a conquistar os três pontos.

A preparação da nova época


O facto de já não lutarmos declaradamente pelo título ou pela Champions, que são sempre os objectivos principais da época, permitem-nos começar já a preparar a próxima época, percebendo de forma clara que jogadores interessam manter no plantel. E neste sentido urge dar oportunidade a jogadores que não têm tido tanto tempo de jogo, para que se perceba se podem ou não ser opção. Falo fundamentalmente de jogadores da nossa formação como Luís Maximiano, Thierry Correia, Miguel Luís, Jovane Cabral ou Francisco Geraldes e os jogadores que foram contratados no mercado de inverno como Borja, Doumbia ou Luiz Phellype.

Como faltam tantos jogos para o final da época é também importante que estes jogadores sejam lançados em equipas onde as principais figuras da equipa estão presentes para que possam demonstrar a sua valia junto dos melhores. Colocar apenas os "suplentes" todos juntos em campo não permite que os jogadores se mostrem e cresçam. Dez jogos dá perfeitamente para ir gerindo e ir dando oportunidades a 2/3 jogadores por jogo. Por outro lado, de que é que nos serve ter um Gudelj em campo quando o jogador está emprestado (custa um balúrdio) e é mais que certo que não continuará na próxima época?

O regresso dos emprestados


No sentido de prepararmos bem a próxima época é ainda muito importante olhar para jogadores que têm estado emprestados e que podem ser solução. Neste rol de jogadores saliento Matheus Pereira, Ivanildo Fernandes e Domingos Duarte. Três jogadores que me parece entram de caras no plantel. Mas existem outros que também merecem fazer a pré-época e mostraram a sua valia ao treinador.

Para hoje, três pontos e uma boa exibição é o que se exige frente a um Boavista que tem o orçamento mais baixo de toda a Liga (2,5M).

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

sexta-feira, 8 de março de 2019

Onde está o relatório e contas consolidado do grupo Sporting?


O mandato de Bruno de Carvalho ficou marcado por uma política de transparência para com os adeptos, sócios e accionistas, que se consubstanciou numa série de publicações de relatórios, sendo os mais importantes os seguintes: 
1 - publicação de todos os valores pagos e recebidos relativos a transferências de jogadores no final de cada mercado. Algo que os rivais não fazem, sendo que o Benfica nem sequer no seu relatório e contas apresenta os dados de todos os jogadores; 
2 - publicação trimestral dos relatórios e contas da SAD, ao contrário do que fazem os rivais que só apresentam contas semestrais e anuais;
3 - publicação anual do relatório e contas consolidado de todo o grupo Sporting. Algo que nenhum dos rivais faz de forma pública.

Não podemos voltar para trás


Este legado deixado pela direcção anterior não pode ser apagado e os sócios querem que esta política de transparência relativamente às contas se mantenha. O caminho percorrido não pode ser apagado e não podemos voltar para trás em relação à transparência das contas. O que é um facto é que a nova direcção do Sporting manteve os dois primeiros pontos, mas tem-se "esquecido" da publicação anual do relatório e contas consolidado de todo o grupo Sporting. É importante que os Sportinguistas percebam que este é o documento informativo mais relevante da vida do clube, uma vez que consolida as contas de todas as entidades ligadas ao Sporting, nomeadamente da SAD e clube. É através deste relatório que podemos ficar a saber qual é realidade total de todo o grupo Sporting.

Ora, esta informação começou a ser publicada no site oficial do Sporting a partir do início de 2015 e logo nessa altura foram publicados os relatórios dos anos anteriores. Aqui fica o print do site do Sporting, com as respectivas datas de publicação.

Link das publicações (aqui)
Como podem verificar, estes relatórios consolidados são publicados oficialmente em Janeiro de cada ano. Foi assim em 2015, 2016, 2017 e 2018. Infelizmente, em 2019 não foi o caso e Janeiro e Fevereiro já lá vão. 

Um pedido


Tenho aguardado serenamente pela publicação deste relatório, mas cheguei a um ponto em que já comecei a perder a esperança que esta política de transparência seja para manter. Posto isto, serve este post para solicitar ao conselho directivo do Sporting que publique o relatório e contas consolidado de todo o grupo Sporting da época 2017/2018 no site do clube, para que de uma vez por todas os Sportinguistas tenham acesso e possam fazer uma análise factual aos números finais de todo o mandato de Bruno de Carvalho à frente dos destinos do Sporting.

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quinta-feira, 7 de março de 2019

O pedido de insolvência


A SAD do Vitória de Guimarães entrou ontem com um pedido de insolvência da Sporting SAD por incumprimento do plano de pagamentos da transferência de Raphinha. Vamos lá por partes tentar deslindar todo este caso.

O negócio Raphinha


A contratação por Bruno de Carvalho

Quadro contratações Sporting Verão 18/19

Como podem verificar, o Sporting contratou Raphinha ao Vitória de Guimarães por 6,5M de euros. Como habitualmente, na esmagadora parte das transferência, os montantes totais são divididos em tranches para serem liquidadas ao longo do tempo.

No relatório e contas anual de 2017/2018 podemos verificar que a administração de Bruno de Carvalho liquidou a primeira tranche de cerca de 2M de euros passando a dívida ao Vitória de 6,5M para cerca de 4,5M.


Importa também referir que destes 4,5M que ficaram por liquidar, 2M só terão de ser pagos no próximos exercício económico (19/20 - após 1 de Julho), uma vez que no ReC anual de 17/18 foram inscritos na rubrica de "fornecedores - não correntes".

A gestão de Sousa Cintra

Chegamos ao 1º ReC trimestral de 2018/2019 que compreende o período de 1 de Julho de 2018 e 30 de Setembro de 2018 e verificamos o seguinte:

ReC 1º trimestre 2018/2019
Como podem verificar, o valor da dívida aumentou dos 4,517M para os 4,583M. Um acréscimo de 66 mil euros que acredito possam estar relacionados com algum acordo feito entre a administração da SAD do Sporting e o Vitória de Guimarães para protelar alguma tranche. É impossível ter a certeza absoluta sobre quem terá feito este eventual acordo, mas diria que terá sido a administração de Sousa Cintra, já que na entrevista de despedida do Sporting, o presidente interino da SAD disse que tinha a situação regularizada com o Vitória de Guimarães. Outro facto que me leva a ter esta análise está relacionado com o facto de a administração de Frederico Varandas ter entrado em funções a 9 de Setembro, sendo que o período de análise deste ReC termina a 30 de Setembro. 

A gestão de Frederico Varandas


Olhando para as contas do 1º semestre e comparando-as com as do 1º trimestre é possível verificarmos que a dívida ao Vitória desceu dos 4,583M para os 4,1M. Ou seja, a administração de Frederico Varandas pagou 483 mil euros ao Vitória no último trimestre de 2018. Aqui não há margem para dúvidas porque nesse período a SAD foi gerida apenas pela administração do Presidente Varandas.

A tranche dos 2M até Janeiro


Pelos jornais de hoje ficamos a saber que a administração de Frederico Varandas teria de liquidar uma tranche de 2M até Janeiro deste ano. O Sporting não cumpriu com o que estava acordado com o Vitória e nem sequer chegou a um entendimento com os dirigentes vitorianos. É este incumprimento que o Vitória leva a tribunal para pedir a insolvência da SAD. 

A ameaça


Primeiro que tudo é preciso recordar que no dia 25 de Fevereiro surgiram as primeiras notícias nos jornais sobre um eventual pedido de insolvência da Sporting SAD a pedido do Vitória de Guimarães. 

Capa Jornal Record e Abola de 26/02/2019
Como habitualmente, o Sporting optou pela tal "gestão silenciosa" e não disse uma única palavra sobre esta matéria. Dez dias depois, chegou o processo de insolvência a pedido do Vitória de Guimarães.

Resposta do Sporting


Ao final da tarde de ontem a imprensa começou a noticiar a entrada do processo de insolvência da Sporting SAD. A resposta do Sporting chegou por João Sampaio, vogal da SAD que numa nota enviada aos jornais disse o seguinte: 


É de salientar que não houve uma única nota oficial ou comunicado nas redes de comunicação do Sporting. Apenas esta espécie de bitaite enviado às redações.

Resposta do Vitória de Guimarães


Link do comunicado (aqui)
Ao contrário do Sporting, o Vitória de Guimarães reagiu através de comunicado oficial publicado no seu site e assinado pelo seu presidente. Portanto, o Sporting que é o clube acusado de estar em incumprimento e de estar envolvido num processo onde é pedido o fecho de portas, manda um vogal da SAD atirar umas larachas à imprensa. É a tal "gestão silenciosa".

Posto isto, eu pergunto: Onde anda o Presidente da Sporting SAD? Num processo desta importância, não seria de esperar que fosse o Presidente SAD a dar a cara, ou pelo menos, a fazer um comunicado oficial assinado por si e pela sua administração? Ou ver um concorrente da nossa Liga a fazer algo que nunca foi feito no desporto português é algo normal?

Análise ao bitaite de Sampaio aos jornais e ao comunicado oficial do Vitória


Diz João Sampaio no seu bitaite aos jornais que "o Vitória optou pelo histerismo público em vez de esperar pela solução de curto prazo que propusemos e ignoraram". No comunicado do Vitória de Guimarães é dito que é mentira que o Sporting tenha apresentado "uma solução de curto prazo credível". E mais, diz o Vitória que o Sporting "actuou com um profundo desrespeito pela nossa instituição"

Este é para mim o sumo das duas comunicações e que faz com que o Sporting tenha a faca e o queijo não mão. Se há essa proposta fantástica do Sporting para resolver o assunto no curto prazo, como diz João Sampaio, que seja mostrada aos sócios imediatamente. Mostrem lá os documentos com essa proposta e assim de uma vez por todos tiramos as dúvidas sobre quem está a falar verdade. 

O outros pedido de insolvência


Num passado recente o Sporting já foi alvo de um pedido de insolvência, mas esses caso não tinha pés nem cabeça e estava relacionado com uma alegada dívida dos tempos de Godinho Lopes que depois foi comprada por uma empresa de recuperação de crédito. De recordar que três direcções do Sporting rejeitaram sempre a existência dessa dívida (Godinho Lopes, Bruno de Carvalho e Frederico Varandas) e que o processo acabou por morrer no final do ano passado com a desistência do requerente. Podem saber mais sobre isto (aqui)

Ao contrário desse caso já resolvido na situação com o Vitória de Guimarães a dívida existe e é reconhecida por todas as partes. 

Resumindo o caso


A administração de Bruno de Carvalho comprou o jogador por 6,5M e acordou com o Vitória pagar o jogador em prestações, sendo que 4,5M seriam pagos ao longo desta época e 2M seriam pagos na próxima época. A realidade é que a administração de Bruno de Carvalho deixou o Sporting com os compromissos em dia em relação a esta transferência, tendo pago de imediato as 2M ao Vitória. Segundo me é dado a perceber pelas contas e pelas declarações de Sousa Cintra, foi chegado a um entendimento entre os clubes para que uma outra parcela (a pagar no período da CG) fosse paga em Janeiro de 2019. Portanto, para todos os efeitos, Sousa Cintra também terá deixado a situação regularizada. O problema está na administração de Frederico Varandas que não conseguiu cumprir e nem sequer conseguiu chegar a um entendimento para protelar a dívida, atendendo às dificuldades de tesouraria do Sporting. 

"Tá fácil"


Para os mais distraídos é preciso recordar que Frederico Varandas apresentou-se como candidato em Maio de 2018, sendo que as eleições foram em Setembro desse ano. São quase 4 meses de preparação para conhecer os problemas do Sporting e para encontrar soluções para os resolver. Já depois disso está há cerca de 6 meses no poder. Ora, falamos de uns impressionantes 10 meses para encontrar soluções para resolver o problema de tesouraria que está há muito identificado. 

Na campanha eleitoral foi prometido aos sócios que esta lista teria soluções de financiamento alternativo nunca antes visto no mundo do futebol (até de bitcoins se falou) e que só em último recurso se iria recorrer ao montantes do contrato com a NOS. O que os Sportinguistas estão a ver é uma administração que falhou de forma estrondosa o empréstimo obrigacionista em que seriam necessários 60M para suprir as questões de tesouraria e nem metade desse valor foi conseguido. Para além disso, os tais meios alternativos de financiamento nem vê-los e parece que vamos agora recorrer ao tal "último recurso" - assim foi designado por Francisco Salgado Zenha - para conseguirmos cumprir com as nossas obrigações. Um "último recurso" que tem de estar definido até ao final deste mês por forma a cumprir as questões de licenciamento da UEFA e a questão da reestruturação bancária. 

Para fechar


Explicado o caso é importante pensarmos no porquê de o Vitória de Guimarães ter tomado esta posição drástica. É que falamos de provavelmente o único clube nacional que tem boas relações com todos os clubes grandes e que numa base regular faz negócios com todos eles. Porquê alienar as boas relações com o Sporting? De salientar ainda que esta é a primeira vez que um clube em Portugal pede a insolvência de um outro clube. Têm ocorrido pedidos de insolvência de clubes, mas sempre feitos por entidades que não são clubes. 

É que isto é tudo muito bonito, mas os 2M de euros vencidos fazem muita mossa num orçamento pequeno como o do Vitória de Guimarães, que também tem até ao final deste mês para regularizar o seu licenciamento para a UEFA. Também compreendo que não deve ser fácil para o Vitória de Guimarães ter este dinheiro a receber e no mesmo período vê o Sporting a gastar 15M em contratações (mesmo que também sejam parceladas) ou a fazer protocolos de treta com o Wolves pelos mesmos 2M de euros. Isto faz lembrar a história daquele tipo que nos deve dinheiro mas que continuar a ir a bons restaurantes e ainda por cima mete as fotos nas redes sociais.

Posto isso, não me parece que a posição do Vitória de Guimarães tenha sido tomada de animo leve, até pelos avisos que foram sendo feitos ao Sporting, sem que ninguém tenha reagido. A sensação com que fico é que o Sporting se borrifou para o Vitória de Guimarães e agora estamos a pagar a inabilidade de Frederico Varandas e seus pares, num processo que enxovalha o nome do Sporting. E este enxovalha mesmo porque ao contrário do outro pedido de insolvência, esta dívida existe mesmo e o Sporting está em incumprimento com o Vitória. Mas repito, há uma forma de o Sporting mostrar que o Vitória de Guimarães está de má fé neste caso, que passa por mostrarem a fantástica proposta que dizem que o Vitória de Guimarães terá rejeitado. O problema é que algo me diz que essa proposta fantástica nunca verá a luz do dia. 

Para fechar, a minha expectativa é que nos próximos dias o conselho de administração da SAD feche mesmo o tal "último recurso" para se financiar e que este assunto fique resolvido. 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)