terça-feira, 10 de setembro de 2019

Sporting entra no carrossel da "chapa 15M" de Jorge Mendes


Que o Sporting liderado por Frederico Varandas é um clube afiliado das negociatas de Jorge Mendes, já todos tínhamos percebido. O que ainda não se sabia era que o clube também tinha entrado numa das mais famosas variantes dos carrosseis de Jorge Mendes. Falo do famoso carrossel da "chapa 15M", celebrizado por Luís Filipe Vieira e pelo Benfica. No último dia de mercado os Sportinguistas tiveram a confirmação oficial deste facto que analiso de seguida.

15 "Kilos" num negócio Mendes


No comunicado oficial do Sporting onde a venda é anunciada é referido que o jogador sai numa "transferência a título definitivo pelo valor fixo de 12.000.000 € (doze milhões de euros)". A forma como se salienta o "valor fixo", antevê que há um montante variável no negócio. A realidade é que até ao momento o Sporting ainda não comunicou os contornos dos negócios do mercado de verão. 

Link do anúncio (aqui)
Curiosamente, ou talvez não, o Sporting também não fez qualquer comunicado à CMVM a anunciar este negócio. De qualquer forma, segundo a imprensa portuguesa e espanhola existem 3M de variáveis associadas a esta transferência que podem elevar os valores para a tal "chapa 15M". Vamos lá ver o que se diz em relação a isto. 

“No diga negocio, diga Mendes”


Goal (aqui), Mundo Deportivo (aqui) e As (aqui)

Basta olharmos para os títulos das notícias espanholas para percebermos a intervenção de Jorge Mendes no negócio, com particular destaque para o título escolhido pelo reputado portal "Goal" que dizia: “No diga negocio, diga Mendes”. Mais evidente do que isto é complicado. 

Mas se os títulos são bons, os conteúdos das notícias não são piores. 

Link notícia Goal (aqui)
Diz o Goal que a transferência foi feita por um montante global de 15M, sendo que desse montante, 3M correspondem a "variables de fácil cumplimiento". Nem é preciso traduzir. 

Mas há ainda outra passagem destas notícias que vale a pena trazer para análise. 


Portanto, os 12M da parte fixa do negócio serão pagos em 4 momentos diferentes. As datas dos pagamentos não são referidas, mas dá a sensação que os pagamentos não serão todos feitos no curto prazo. 

"Show me the money"


Sabem o que também é interessante nesta transferência? É o facto de Jorge Mendes nem sequer ser agente do atleta. 

Link da página de Thierry Correia no site da empresa que agencia o jogador (aqui)
Portanto, Jorge Mendes passa à frente da Eurofoot no processo de venda do atleta. Absolutamente fantástico. 

A entrada no carrossel de "chapa 15" de Jorge Mendes


Perante tudo isto, parece-me evidente que o Sporting é oficialmente um novo player no famoso jogo do carrossel de "chapa 15M" do empresário Jorge Mendes. Vamos recordar as voltinhas já dadas só neste carrossel em especifico. 


Como podem verificar, está é a terceira voltinha que o Valência dá neste carrossel, sendo que pela primeira vez o "brinquedo" da negociata não é um atleta do Benfica.

Negócios inexplicáveis


Se há algo que todos estes negócios têm em comum é o facto de praticamente todos serem inexplicáveis para a maior parte dos especialistas e adeptos do futebol. Vamos a dados:


Dos 7 jogadores a entrarem no carrossel da "chapa 15M" apenas num caso existe alguma base para uma venda desses valores. Falo de André Gomes, que participou em duas épocas do Benfica onde não sendo um titular indiscutível ainda teve a oportunidade de fazer uma série de jogos importantes. Ao todo foram 41 jogos pelo Benfica. Praticamente tantos quantos os jogos de todos os outros 6 elementos do carossel somados... antes da "voltinha".

Dos outros 6 atletas não há um que tenha conseguido ser titular em mais de 5 partidas pelo clube de origem. Até hoje ninguém consegue explicar com alguma lógica ou racionalidade estes negócios astronómicos por jogadores que na altura da venda estão muito longe de valerem esses montantes. Mas, há quem saiba explicar essa "estratégia".

"Lampionização" do Sporting



Em março de 2017 em entrevista na CMTV, Luís Filipe Vieira abriu um pouco o jogo em relação à estratégia do carrossel da "chapa 15M" com a célebre expressão: "Há uma estratégia para isso. Daqui a dois anos saberão. Tem de ser segredo, as pessoas copiam-nos tudo, temos de ter cuidado..". A realidade é que o segredo tão bem guardado já chegou às mãos de Frederico Varandas que o tenta replicar no Sporting. É aquilo a que eu chamo de "lampionização do Sporting".

Os "donos" dos cavalos


No carrossel da "chapa 15M" de Jorge Mendes há um factor que se repete em todos os clubes que "pagam o bilhete", que está no facto de todos estes clubes serem detidos por um milionário estrangeiro.


No Valência temos Peter Lim (Singapura) com uma fortuna estimada de 2,5 mil milhões de dólares. No Notthingham Forest temos Evangelos Marinakis (Grécia) com uma fortuna estimada de 650 milhões de dólares. No Wolves temos Guo Guangchang (China), presidente da Fosun, com uma fortuna estimada de 6,2 mil milhões de dólares e por fim no Mónaco temos Dmitry Rybolovlev (Rússia) com uma fortuna estimada de 6,8 mil milhões de dólares.

Outro factor que se repete nestes 4 homens é o facto de estarem ligados a uma série de escândalos que vão desde "match-fixing", corrupção, fraude fiscal, tráfico de influências, branqueamento de capitais e até "doping financeiro". Enfim, tudo coisas giras.

Por falar em milionários gregos, será que os Sportinguistas têm noção que este Evangelos Marinakis, para além de ser o dono do Notthingham Forest, também é dono do Olympiacos? Olha, precisamente o clube que nos roubou Daniel Podence. Curiosamente, um atleta que por coincidência das coincidências até é agenciado por... Jorge Mendes. Também por coincidência, claro, no mesmo dia em que é anunciada a venda de Thierry Correia por um valor que chegará aos 15M, o Sporting anuncia que chegou a acordo com o clube grego pelo Daniel Podence por uns míseros 7M. Fantástico, absolutamente fantástico. Há coisas absolutamente incríveis não há?

Jorge "interessante" Mendes


Link da notícia (aqui)
É enternecedor ver um vice-presidente do Sporting a vir a terreiro defender Jorge Mendes. "Comidos" e ainda agradecemos o contributo nos negócios "interessantes" com Jorge Mendes. Peço desculpa pela expressão, mas não me ocorre nada que se adeqúe tão bem ao meu sentimento. Portanto, Jorge Mendes o agente que deu o pontapé nas rescisões de contrato com o Sporting através de Rui Patrício e Daniel Podence ainda é chamado e pago pelo Sporting para "resolver" o problema. Curiosamente, das 3 rescisões de contrato em causa, todos os jogadores foram para clubes do carrossel de Jorge Mendes: Atlético de Madrid, Wolves e o Olympiacos do senhor que já falei em cima. Absolutamente inacreditável.

Para outras núpcias fica a análise ao famoso protocolo com os chineses que custou ao Sporting a módica quantia de 2M de euros, assim como a vinda de um chinês para os sub-23 proveniente do Jumilla, da terceira divisão espanhola. Clube que mais não é do que um entreposto do Wolves/Jorge Mendes e que por mera coincidência até foi treinado na época passada por Leonel Pontes, actual treinador do Sporting. Azar dos azares, o Jumilla foi despromovido à 4ª divisão espanhola e acabou por fechar portas pouco tempo depois, tendo Leonel Pontes sido escolhido para os sub-23 do Sporting. Tudo certo e bonito.

Devemos 5M a Jorge Mendes


Só para que os Sportinguistas tenham noção do estado de coisas, no relatório e contas apresentado ontem - referente ao exercício de 2018/2019 - consta uma dívida de cerca de 5M de euros do Sporting para com a Gestifute de Jorge Mendes.

Pag 129 e 131 do ReC anual 18/19 Sporting SAD
Portanto, o Sporting deve à Gestifute 4,459M de euros (Fornecedores - não corrente) e 461 mil euros (Fornecedores - corrente). Tudo somado, falamos de cerca de 5 milhões de euros. Coisa pouca. E importa dizer que neste exercício não estão incluídos os negócios de Podence e de Thierry Correia, uma vez que foram realizados após o fecho de contas de 18/19. Importa ainda dizer que este é o valor devido a 30/06/2019 e que é impossível dizer quanto é que o Sporting já pagou à Gestifute para além desta dívida.

Para fechar


Cartoon de hoje do jornal Ojogo

Durante anos os Sportinguistas gozaram com os Benfiquistas por estes terem no seu clube um entreposto de negociatas obscuras com Jorge Mendes. Infelizmente, já não estamos em posição de gozar com os rivais, uma vez que Jorge Mendes transformou o nosso clube num entreposto igual ou pior ao do rival.

Mas, importa recordar que estamos nesta posição por opção própria. Foram os Sportinguistas que deram a Frederico Varandas um mandato para fazer regressar a Alvalade o senhor Jorge Mendes. A realidade é esta e é com ela que temos de lidar. Depois de ter em Godinho Lopes um peão excepcional, Jorge Mendes tem agora em Frederico Varandas um amigo para espalhar a sua "magia". Uma "magia", que como é do conhecimento geral, beneficia apenas os interesses deste.

Enfim, pode ser que um dia os Sportinguistas percebam que Jorge Mendes foi um dos principais beneficiados do ataque na Academia. Esperemos é que não seja demasiado tarde.

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

domingo, 8 de setembro de 2019

O despedimento mais rápido da história do Sporting


Ao cabo de 5 partidas oficiais na época 2019/2020, Marcel Keizer foi demitido de treinador do Sporting. Um despedimento que origina mais um recorde para a direcção de Frederico Varandas, uma vez que nunca um treinador tinha saído do clube numa fase tão precoce da época. 

O despedimento mais rápido da história do Sporting



Desde que existe campeonato nacional o Sporting já demitiu ou viu demitir-se 41 treinadores que tinham começado a época no cargo. Se olharmos para o número do jogos feitos desde o início da época até ao momento do despedimento, Marcel Keizer tem o pior registo, com apenas 5 jogos realizados. Um registo que iguala as 5 partidas de Otto Glória em 1961/1962. Aqui a diferença entre Keizer e Glória é que o holandês foi despedido no início de Setembro, enquanto que o mítico treinador brasileiro só saiu do comando da equipa no final do mês de Setembro e por vontade própria, batendo com a porta. No momento da saída, Otto Glória proferiu uma das frases míticas do futebol português: "Sem ovos não se fazem omoletes". 

Para concluir estes dados tenho de trazer também a referência de Alfredo Di Stefano, glória do Real Madrid que nos anos 70 chegou a orientar o Sporting numa única partida, mas que não considero na análise uma vez que o treinador nem sequer chegou a ter contrato assinado com o Sporting, logo nem se pode sequer falar em despedimento.

Para fechar


Estes dados são relevantes para nos colocar em perspectiva a história do clube e os efeitos da propaganda. Num outro post irei analisar o processo de despedimento e contratação do novo treinador, mas para fechar este post pergunto: não acham curioso que o treinador a ter sofrido a "chicotada psicológica" mais rápida da história do clube seja o mesmo que na semana anterior ao despedimento estava em primeiro lugar na Liga e que foi o obreiro - daquela que nas palavras do próprio Presidente Varandas foi - a "melhor época desportiva dos últimos 17 anos"?


Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Escarro


Num momento tão conturbado da vida do Sporting e com tanto assunto para escrever é triste ter de trazer para a análise uma matéria que está fora da agenda mediática do clube, mas face à gravidade do que foi feito, tenho de o fazer. 

O grande campeão


Como sabem, o judoca leonino Jorge Fonseca sagrou-se campeão mundial de Judo na passada sexta-feira. Um feito incrível e único para o Judo português. Para que se perceba melhor a importância deste resultado, importa dizer que a campeoníssima Telma Monteiro nunca conseguiu chegar ao lugar mais alto do pódio num mundial. Este é um feito incrível do atleta do Sporting que fez até com que dois jornais desportivos lhe dessem a manchete, algo que é muito raro. 


Mas o destaque não foi só nos desportivos. Todos os jornais do dia seguinte à conquista deram destaque de capa a este feito. Eu repito, todos. E já para não falar no impacto que esta conquista e a história de vida de Jorge Fonseca tiveram nas televisões com uma série de reportagens sobre o leão. 

Obviamente, Jorge Fonseca era já um nome conhecido na modalidade e no seio do Sporting e dos Sportinguistas, mas esta vitória permitiu-lhe sair do "anonimato" e passar a ser um nome conhecido do grande público. E perante esta onda mediática tão positiva para com um seu atleta, o que é que o jornal do Sporting fez?

Um escarro!



Esta foi a primeira capa do Jornal Sporting após a conquista de Jorge Fonseca. Como podem verificar, não só não foi dada a manchete a Jorge Fonseca, como nem sequer fizeram uma chamada de capa. Isto só tem uma designação possível. É um escarro! 

Os 4 estarolas


Infelizmente, o escarro não se ficou apenas pela capa. No interior do jornal verificamos que a notícia desta conquista foi enfiada lá para uma página no fundo do Jornal, quando deveria ser um dos primeiros temas a abordar. Mas ainda há pior. Nem Rahim Ahamad, nem Tito Arantes Fonte, nem Pedro Almeida Cabral nem Juvenal Carvalho, dedicaram uma única linha a parabenizar Jorge Fonseca pelo seu enorme feito. 


Destes quatro senhores, dois deles têm até responsabilidades acrescidas, uma vez que fazem parte dos órgãos sociais do Sporting, sendo que Rahim Ahamad é até director do jornal e membro do conselho directivo. É absolutamente vergonhoso que não tenha sido dada uma palavra a Jorge Fonseca no editorial desta semana. 

Então e a Daria Bilodid?


Dias antes da vitória de Jorge Fonseca, uma outra atleta do Sporting tinha-se sagrado campeã do mundo da modalidade. Falo de Daria Bilodid que venceu na categoria de (-48 quilos). Vejamos agora a capa seguinte a essa conquista.


Como podem verificar, foi dado destaque de capa, apesar de não ser manchete. E eu aqui até dou de barato que tenha ficado apenas pelo destaque e que não tenha sido manchete, até porque nessa semana o Sporting passou para a liderança da Liga.

Fonseca Vs Bilodid 


Trago esta comparação entre o destaque dado a estes dois atletas que conseguiram ser campeões do mundo, para demonstrar que o caso de Jorge Fonseca é ainda mais relevante. Desde logo, porque a atleta ucraniana tem pouco tempo de casa e nem sequer treina em Alvalade. No fundo é uma atleta "contratada". E que fique bem claro que não tenho nada contra essa política de termos os melhores atletas sob contrato, mesmo que não treinem diariamente no Sporting e que sejam estrangeiros. Agora, por ser uma atleta "contratada" não pode ter destaque superior ao dado a Jorge Fonseca.

Ao contrário de Bilodid, Jorge Fonseca é português e é um filho da casa. Um homem que se formou no Sporting como homem e atleta, sob o comando de Pedro Soares. Um homem que sabe o que é o clube, que o vive todos os dias quando treina em Alvalade e que sempre respeitou o leão rampante. Para quem não sabe, Jorge Fonseca tem 7 campeonatos nacionais conquistados ao serviço do clube e foi o líder da equipa que venceu a Taça dos clubes Campeões europeus. 

Por falar na conquista da Taça dos Clubes Campeões Europeus, na altura desta conquista os responsáveis pelo Jornal Sporting fizeram praticamente o mesmo, relevando para segundo plano a conquista histórica do Sporting. Na altura preferiram colocar como manchete uma entrevista ao Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar cuja principal ideia passava por apelar aos Sportinguistas para castigarem Bruno de Carvalho em sede de AG. Podem ler o post sobre o assunto (aqui)


Entrevistas


Já após a conquista de Daria Bilodid ficou visível que o Sporting pouco ou nada relevou o seu feito em termos mediáticos. Nem sequer uma entrevista foi feita à atleta, quanto mais utilizar a excelente imagem da ucraniana para campanhas publicitárias do universo leonino, etc. 

No caso de Jorge Fonseca é ainda mais gritante o completo alheamento do Sporting. Desde que venceu o campeonato do mundo, Jorge Fonseca tem andado num correrio de intervenções públicas nos jornais, nas televisões e até em canais de Youtube. Ainda ontem protagonizou um momento que tem andando a correr as redes sociais quando falou sobre Bruno de Carvalho e o papel que teve nas modalidades do Sporting. 


Da parte do Sporting, nada. Não seria lógico e útil que na edição do Jornal Sporting publicada hoje viesse já uma grande entrevista com o atleta? Não seria lógico que a SportingTV fizesse o mesmo? Não seria lógica uma capa inteira dedicada ao atleta, ao judo e à formação do Sporting? Ou será que são as opiniões pessoais de Jorge Fonseca que ditam estas decisões vergonhosas? É que vejo muita gente com responsabilidade no clube a falar em democracia e em liberdade de expressão e depois os Sportinguistas são brindados com comentadores demitidos por delito de opinião, como aconteceu com Rui Calafate e Samuel Almeida no programa "Pressão Alta" (aqui)

Para fechar


É muito triste verificar a transformação que o Jornal Sporting foi sofrendo ao longo deste último ano. De um jornal que estava "no ponto", passamos para um folhetim de propaganda de terceira categoria que envergonha os Sportinguistas.

Apesar de os jornais terem dado grande destaque a esta conquista de Jorge Fonseca, vários foram os Sportinguistas que se insurgiram contra o facto de a comunicação social pouco ou nada ter relacionado o seu nome com o nome do Sporting. É patético verificar que o Sporting tenha perdido a oportunidade de se associar publicamente ao atleta com uma capa digna do momento criando aqui um marco na história do clube, do jornal e do atleta. Enfim, o Sporting prefere não o fazer, remetendo um feito destes para uma página no fundo do seu jornal.

Todos os limites são ultrapassados quando não se valoriza o feito de um filho da casa que está no Sporting há tanto tempo, que tanto tem dado ao clube e que inclusivamente tem uma história de vida incrível e que deveria servir de exemplo para todos.

Posto isto, só posso terminar de uma forma. Desculpa Jorge, eles não sabem o que fazem!  

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

10 notas sobre o Sporting-Rio Ave


Aqui ficam 10 apontamentos sobre a derrota que nos tirou a liderança da Liga e nos enviou para o 5º lugar da classificação.

Ervado


A época ainda agora começou e o relvado de Alvalade está uma completa miséria, fazendo lembrar outros tempos. Depois de nos últimos anos se ter conseguido resolver o problema crónico do relvado, parece que os problemas estão de volta, mantendo a tendência negativa da segunda metade da época passada. Já vai sendo tempo de esta administração da SAD cuidar do seu património. 

Sporttv ou BTV10?



De facto, os Sportinguistas têm mesmo de ver os jogos em "mute" tamanha é a falta de vergonha nas escolha dos comentadores para os nossos jogos. Depois de termos levado com a Helena Costa nos primeiros jogos da época, eis que a desfaçatez destes senhores foi ainda mais longe, uma vez que para o jogo desta jornada o escolhido foi José Sousa, antigo jogador do Benfica e cartilheiro na Benfica TV, que com a sua parcialidade habitual lá foi batendo no Sporting. Isto já só falta mesmo levarmos com os lampionissímos Rui Amaro ou Pedro "uish" Henriques. 


Defesa patética


E vão mais 3 golos encaixados. Nos 5 jogos oficiais realizados esta época sofremos uns incríveis 11 golos, o que dá uma média de mais de 2 golos sofridos por jogo. Algo para o qual fui alertando ao longo da pré-época, fase em que fomos a equipa da 1ª Liga com mais golos sofridos. Precisamente 11 golos, mas em 6 partidas realizadas. Vejamos os números de Marcel Keizer à frente dos destinos do Sporting.


Portanto, em apenas 10 dos 48 jogos realizados é que conseguimos terminar sem sofrer golos (cerca de 20%). Em termos médios falamos de 1,2 golos sofridos a cada jogo realizado. 

Oportunidades? Onde


Para além do primeiro golo, que surge num mau alívio da defesa do Rio Ave e de um golo às três pancadas que surgiu de um lançamento de linha lateral, o Sporting conseguiu apenas um par de remates à figura e um remate ao poste já na fase final do jogo. Paupérrimo para uma equipa que quer ser campeã nacional.

Mete o Bas Dost


Pela terceira jornada consecutiva o Sporting vai a jogo com um único ponta de lança nos convocados. Se isto não é amadorismo puro, não sei o que será. Nos dois jogos anteriores estivemos sempre na frente do marcador e nunca foi necessário chegar ao momento de "meter toda a carne no assador" como diria Quinito. Nesta partida, com o resultado desfavorável para o Sporting, Keizer olhou para o seu banco e o melhor que conseguiu encontrar foi o jovem Plata, que fez a estreia com a camisola do Sporting.

Portanto, Keizer pediu a um rapazinho que jogou pela primeira vez uma partida de futebol sénior na vida e que entrou já nos minutos finais do jogo, para virar a partida a favor do Sporting. Isto quando na semana passada com o jogo controlado em Portimão com 2 golos de vantagem, desperdiçou a oportunidade de estrear o rapaz sem pressão. Mas enfim, é o que temos. É esta a gestão fantástica dos nossos recursos.

Um hino à incompetência


Esta partida ficou também marcada pelo regresso de Carlos Mané a Alvalade, numa partida disputada numa fase em que o mercado está aberto. Ora, se o Sporting ofereceu o jogador sem custos ao Rio Ave e se sabia que esta partida se realizaria em período de mercado, porque raio é que não cedeu o jogador ao Rio Ave só depois de o jogo estar realizado? Desta forma não permitia que o adversário tivesse mais uma opção para este jogo. Isto parece-me básico. No limite, tinham cedido o jogador, mas tinham feito um acordo de cavalheiros para que o atleta não jogasse esta partida. Por acaso o atleta não foi decisivo para a derrota do Sporting, mas vamos imaginar se ele tem marcado o golo da vitória da equipa de Vila do Conde. Como era?

Pensei que já tínhamos aprendido a lição dos tempos em que emprestamos o Wender ao Braga nas vésperas de um jogo contra nós em que o rapaz acabou por nos marcar 2 golos.

Link da notícia (aqui)
Parece que o senhor que conta com "mais de 4000 mil dias de futebol" ainda não aprendeu este truque.

Reinan não apareceu


Desta feita Renan não esteve inspirado nos pontapés de penálti e acabou por não conseguir disfarçar - como fez contra o Braga - as insuficiências evidentes de uma equipa que não joga um charuto e que nem sequer tem capacidade de controlar o jogo.

O tal gabinete de performance


Mais uma vez, os jogadores do Sporting não conseguem sequer chegar a meio da segunda parte em condições físicas suficientes para disputarem todos os lances com os adversários. Algo que é absolutamente inaceitável. 

O apito


Por muito que nos custe, as três grandes penalidades foram bem assinaladas. No lance do 2º penálti, a Sporttv não passou imagens do ângulo que mostra que existiu um toque de Coates a derrubar o adversário. Imagens que só aparecerem no programa Juízo Final. Mas mais importante do que os penáltis foi a forma patética como o Mostovoi de Viatodos conduziu a partida. Obviamente, nunca se marcariam 3 penáltis contra os nossos rivais nas suas casas.

Vitória justa


Nada a dizer da vitória do Rio Ave. Foi sempre a equipa mais esclarecida, a equipa que soube o que estava a fazer em todos os momentos do jogo, a equipa que não abdicou da sua forma de jogar, a equipa que na adversidade do resultado foi mudando as suas peças e arriscando mais, etc. No fundo, foram tudo o que o Sporting não foi. É triste chegarmos a ponto de ver Carvalhal a dar um banho táctico ao treinador do Sporting, mas enfim, é o que temos.

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

"Ah e tal o Bas Dost foi vendido porque não rendia com Marcel Keizer"


A transferência a preço de saldo de Bas Dost é um momento marcante da temporada leonina e quer-me parecer que durante muito tempo vamos falar sobre ela. Nesse sentido, começo por desmontar a teoria do sub-rendimento do atleta às mãos de Marcel Keizer.

"Ah e tal o Bas Dost foi vendido porque não rendia com Marcel Keizer"


Vamos a números:

Números de Bas Dost de 16/17 a 18/19

Começo a análise retirando José Peseiro e Tiago Fernandes da equação. A amostra destes dois técnicos é tão curta que não dá para tirar grandes conclusões. Contudo, em relação ao rendimento de Bas Dost com José Peseiro, parece-me importante recordar que o técnico só teve Bas Dost a 100% durante uma partida e meia. Marcou 2 golos na estreia no campeonato em Moreira de Cónegos tendo-se lesionado e saído ao intervalo da partida frente ao Setúbal na 2ª jornada da Liga. Só regressou à competição alguns minutos nos dois últimos jogos de José Peseiro à frente do Sporting.

Passando ao que interessa, verificamos que com Jorge Jesus, Bas Dost conseguiu uma média de um golo a cada 108 minutos. Curiosamente, com Marcel Keizer à frente da equipa a média de golos por minuto do jogador não é assim tão diferente, ficando-se pelo 112 minutos até marcar um golo. Uma diferença de apenas 4 minutos a mais até chegar ao golo. E não esquecer que na fase final da época passada o gigante holandês teve uma lesão que o afastou de 6 partidas. Ou seja, Bas Dost fez com Keizer o que sempre fez no Sporting: um golo a cada pouco mais de 100 minutos jogados.

Fica a pergunta aos Sportinguistas: são estes 4 minutos adicionais até chegar ao golo, em comparação com o período de Jorge Jesus, que provam que o jogador tinha de ser vendido porque não rendia sob a orientação e o esquema de jogo do treinador holandês?


Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

O grande desafio


Objectivo cumprido na deslocação ao sempre complicado reduto do Portimonense. Uma vitória tranquila que nos permite estar na liderança da liga juntamente com o Famalicão. 

O grande desafio


Nesta fase estamos precisamente com os mesmos pontos da época passada, com a diferença que os então pupilos de José Peseiro foram empatar ao Estádio da Luz, enquanto que nesta época deixamos pontos na Madeira frente ao Marítimo. Não fosse esse jogo miserável e poderíamos estar agora com uma vantagem de 3 pontos para os principais adversários. 

Esta é a quinta época seguida em que o Sporting termina a 3º jornada na liderança da Liga. O pior, infelizmente, tem estado no resto do campeonato. Deixo os dados das últimas 10 épocas no que às primeiras três jornadas diz respeito.


O grande desafio é estarmos em primeiro no final da 34ª jornada e não no final da 3º jornada, porque isso, como vimos em cima, tem sido um hábito. E para conseguirmos estar na frente no final do campeonato é importante que os Sportinguistas se unam em torno da equipa e que pensem jogo a jogo. É este o único caminho. Neste momento devemos estar focados em encher Alvalade para o próximo jogo contra o Rio Ave onde temos de conquistar mais três pontos. É aqui que podemos ser úteis à equipa. O resto do trabalho tem de ser feito pela equipa técnica, jogadores e pela estrutura directiva que tem ainda muito trabalho pela frente até ao fecho do mercado. Espero bem que a vitória de ontem não apague a necessidade imperiosa que o Sporting tem de ir ao mercado e de finalmente se reforçar com verdadeiros "reforços" e não com jogadores para fazer número. Neste momento o Sporting precisa de pelo menos 3 reforços capazes de entrar de imediato na equipa: um médio defensivo, um extremo e um ponta de lança. 

Posto isto, mãos à obra!

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

terça-feira, 20 de agosto de 2019

A grande narrativa



Para hoje vou ser muito curto, deixando para os leitores as conclusões sobre o que se tem passado em torno da venda de Bas Dost nas últimas horas. 

O pontapé de saída


Na noite de ontem, Rui Pedro Braz deu o pontapé de saída no Prolongamento da TVI, precisamente o canal de onde saiu Cláudia Lopes, a nova responsável de comunicação do Sporting.



Record e Abola


Nos jornais de hoje eis a narrativa:



O comunicado do Sporting


Para terminar em grande, eis que no final da manhã surge o comunicado oficial do Sporting. Aqui fica ele. 

Ouçam o que disse Rui Pedro Braz na noite de ontem. Leiam depois as notícias dos jornais de hoje e por fim o comunicado do Sporting lançado ao final da manhã. E no final não se esqueçam de verificar que quem redigiu o comunicado da Sporting SAD teve ainda a distinta lata de acusar outros de colocar notícias na imprensa. 

É incrível como de um momento para o outro se tenta virar o foco negativo do negócio para o jogador. Até hoje, o foco negativo estava virado para a administração do Sporting, com os adeptos a considerarem a venda do goleador da equipa como um mau negócio, tendo em conta os valores apresentados. Hoje, o Sporting decide atacar o jogador que passa a ser o vilão da história. No final do dia, os dois dados chave para a avaliação do negócio passará pelo valor da venda e pelo jogador contratado. Só espero é que entretanto não apareça algum maluco a bater no jogador, senão vem ai nova rescisão e ainda ficaremos sem Presidente pela autoria moral de um eventual ataque...

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

terça-feira, 13 de agosto de 2019

A pior série de "jogos consecutivos sem vencer" da história do Sporting


Passam hoje precisamente 100 dias desde a última vitória num jogo da equipa sénior masculina de futebol do Sporting Clube de Portugal. Por si só parece-me motivo mais do que suficiente para estarmos chateados e sobretudo, para estarmos preocupados. Muito preocupados. Mas parece que quem tem responsabilidade não está preocupado, logo, talvez o melhor será sentarmos-nos todos de mãos dadas a uma fogueira a cantar o Kumbaya ou o Kanimambo. Olhem, ou então se calhar rezamos, não? E pode ser já hoje, aproveitando mais uma folga dada pelo mister Keizer aos atletas. Como se as duas dadas na semana de preparação do jogo com o Marítimo não fossem suficientes...

É engraçado que só quando chegamos ao 11º jogo consecutivo sem vencer é que a imprensa se deu conta deste enorme recorde. Sinal que mostra que chegamos a um ponto que nem toda a propaganda do mundo pode esconder o desastre que está a ser a época do Sporting. 


Os recordes de Varandas


A direcção de Frederico Varandas prometeu bater todos os recordes e está a cumprir, senão vejamos:
- Pior pré-época dos últimos 50 anos (pelo menos, uma vez que não consegui confirmar dados mais antigos). Mais informações (aqui)
- Pior pré-época de todos os clubes que fazem parte da Liga, sendo inclusivamente a pior defesa. Mais informações (aqui).
- Pior final dos 113 anos de história do Sporting. Até ao jogo da Supertaça no Algarve a pior derrota do Sporting numa final tinha sido por 2 golos de diferença. No Algarve levamos "5 secos" do rival Benfica. Mais informação (aqui).

Como se tudo isto já não fosse suficiente, temos agora mais um recorde histórico. A pior série de jogos consecutivos sem vencer. 


11 jogos consecutivos sem vencer



A última vitória do Sporting ocorreu a 5 de Maio de 2019. Passam hoje 100 dias desse "feito". De lá para cá conseguimos coisas incríveis como não ganhar ao Tondela em Alvalade, perder com uma equipa da 2ª Liga de Portugal, perder contra um bando de amadores da 3ª divisão da Suiça e ainda... fomos goleados pelo eterno rival na Supertaça. E vão 11 jogos sem sentir o sabor da vitória. De facto, não há aqui nada para nos preocupar, como defende o nosso Presidente. 

O Recorde anterior - 9 jogos consecutivos sem vencer


Nos 113 anos de história do Sporting, o pior registo do clube estava situado nos 9 jogos consecutivos sem vencer. Um registo que ocorreu em 2009/2010 entre os meses de julho e agosto. 


Com Paulo Bento ao leme do clube, perdemos 3 jogos de pré-época, empatamos os 4 jogos europeus, empatamos na estreia na Liga na Madeira frente ao Nacional e perdemos na segunda jornada com o Braga em Alvalade. Curiosamente, o calendário da Liga desta época bate certo com o início de 2009/2010 (primeiro a viagem à Madeira e depois recebemos o Braga).

Essa época marcou o início de um declínio acentuado do Sporting com quatro épocas absolutamente vergonhosas. Acabamos em 4º lugar em 2009/2010 e 2011/2012, em 3º lugar em 2010/2011 e finalmente terminamos 2012/2013 num 7º lugar. 

Os antecessores de Marcel Keizer


Só para que as pessoas compreendam melhor o que está aqui em causa, deixo-vos com os números dos últimos treinadores do Sporting quanto ao número de jogos consecutivos sem vencer. 

A pior série de Jorge Jesus foi de 4 jogos sem vencer. Marco Silva e Leonardo Jardim ficaram pelos 3 jogos e José Peseiro pelos 2 jogos. De salientar que Marcel Keizer já tinha tido uma série de 5 jogos consecutivos sem vencer  - na época passada - estando agora na segunda grande série negativa.

Para fechar


Serve este post para mostrar aos Sportinguistas que o que se está a passar no clube não é normal. Não é normal que o Sporting faça a pior pré-época dos últimos 50 anos. Não é normal que o Sporting seja a equipa da Liga que mais golos sofreu na pré-época e que em jogos oficiais já tenha encaixado 6 golos em 2 jogos. E muito menos é normal estarmos há 100 dias seguidos sem ganhar um único jogo, numa série negativa que leva já umas incríveis 11 partidas. 

Tudo isto até poderia ser desculpado se os Sportinguistas tivessem algo a que se agarrar. É isto que os dirigentes do Sporting nem sequer compreendem. Os Sportinguistas vão-se agarrar a quê para terem alguma esperança em relação a esta época? Vão-se agarrar aos resultados miseráveis? Vão-se agarrar às exibições patéticas? Vão-se agarrar às contratações medíocres? Vão-se agarrar à formação que foi posta a andar do plantel? Vão-se agarrar aos negócios ridículos que estamos a fazer? Vão-se agarrar a uma comunicação anedótica que acha que tudo isto não é motivo para preocupação e que até "jogamos bem os primeiros seis minutos e meio"? 

Sob pena de hipotecarmos a época ao terceiro jogo oficial, urge uma resposta digna e responsável dos jogadores, treinadores e da estrutura. Uma resposta que tem de ser dada no próximo domingo, através da vitória frente ao Braga. Será assim tão difícil darem uma alegria aos Sportinguistas, ou vamos continuar a enterrar a cabeça na areia até estar tudo perdido? 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

domingo, 11 de agosto de 2019

Responsabilidade


Depois da pior pré-temporada em mais de 50 anos e da pior final da história do Sporting, damos hoje início à nossa caminhada no campeonato nacional. Face aos resultados, à conjuntura desportiva, "política" e "social" do clube é absolutamente fundamental vencermos este jogo. O Sporting tem de vencer o jogo, sob pena de numa fase tão inicial da época entrar numa espiral negativa que pode comprometer toda a época. 

Nos Barreiros vão estar mais do que três pontos em disputa. Estará em causa a honra, a vontade, a capacidade, a determinação e a qualidade dos nossos jogadores, do nosso treinador e da nossa estrutura. Depois de 10 jogos consecutivos sem vencer (4 oficias e 6 amigáveis, com última vitória a ocorrer há mais de 3 meses) temos de trazer para Alvalade os 3 pontos. Temos de colocar um ponto final nesta série negativa. Temos de apagar a imagem vergonhosa deixada no Algarve e temos de provar que estamos cá para lutar até ao fim pelas vitórias que tanto merecemos.

Pouco me importa qual é o sistema táctico ou a estratégia que vamos usar. Pouco me importa quem vai jogar de início, quem fica de fora e quem entrará durante a partida. Pouco me importa se vamos jogar bem ou mal. Não me interessa nada disto, desde que no final do jogo a vitória seja nossa. É hora de todos assumirem as suas responsabilidades e mostrarem o porquê de terem sido os escolhidos para envergar o leão rampante. 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

O plantel e a pré-época - Os centrais


Dando seguimento à análise do plantel, hoje trago a minha opinião sobre os nossos defesas centrais. Uma análise que tem obrigatoriamente de começar com as opções tomadas no mercado de Janeiro. 

A vergonhosa contratação de Tiago Ilori 


Em Janeiro a administração da SAD e o treinador decidiram ir ao 20º classificado da 2ª Liga Inglesa "estourar" 2,4M na compra de 60% do passe de Tiago Ilori, incrivelmente valorizado em 4M. E neste caso, antes de fazer qualquer tipo de abordagem desportiva é fundamental ver o histórico que este senhor tem com o clube. Já disse e volto a repetir que este rapaz não é digno de vestir a camisola do Sporting depois das atitudes que teve no passado. Deixo um post onde expressei a minha opinião sobre a sua contratação (aqui).

Bem, se em termos de histórico e personalidade estamos falados, em termos desportivos os últimos meses tiraram as dúvidas aos optimistas. Tiago Ilori esta a ser aquilo que tem sido constantemente ao longo dos últimos anos: uma nulidade.

A saída de Marcelo


Quanto à saída de Marcelo em Janeiro, aceito a venda do ponto de vista desportivo. Já do ponto de vista "político" parece-me um erro, uma vez que sabemos que está em investigação um caso de um alegado aliciamento de jogadores do Rio Ave por parte do Benfica, e Marcelo é precisamente um dos nomes que pode atestar da veracidade ou não desse aliciamento. Mas tirando a parte política da equação, parece-me que o jogador não acrescentava grande coisa ao plantel.

Não posso é concordo com os termos do negócio. O Sporting contratou o jogador por 500 mil euros e não houve sequer a arte e o engenho de vender o atleta pelo mesmo valor. O presidente Varandas não foi além dos 500 mil dólares, perdendo aqui uns milhares de euros na conversão dólar/euro. É um daqueles pormenores que demonstra uma completa incapacidade negocial. Mas enfim, é o que temos.

Porque não se apostou no regresso de Ivanildo Fernandes?


A contratação de Tiago Ilori é ainda mais absurda se olharmos para os jovens centrais que tínhamos emprestados na altura e que estavam a fazer grandes temporadas. Falo de Domingos Duarte e de Ivanildo Fernandes. Bem, em relação a Domingos Duarte o resgate em Janeiro seria impossível, fruto do contrato de empréstimo não contemplar essa possibilidade. Algo que não acontecia com o empréstimo de Ivanildo Fernandes que para regressar ao Sporting bastaria contar com a anuência do Moreirense. Obviamente, bastava o Sporting mostrar esse interesse e compensar o Moreirense e o regresso do atleta seria fácil de concretizar. Mas não foi isso que o Sporting quis. Preferiram estourar milhões no senhor Ilori.

Com seis centrais fomos buscar mais um...


Em Janeiro o Sporting tinha os 4 centrais do plantel (Mathieu, Coates, André Pinto e Tiago Ilori) e tinha dois atletas emprestados com qualidade para fazerem parte do plantel: Domingos Duarte e Ivanildo Fernandes. Face a isto, a administração da SAD teria sempre de fazer sair dois destes atletas para continuar com 4 centrais no plantel para esta nova época. Mas em vez de pensarem nas saídas, ainda foram buscar mais um central para a nova época. Falo de Luís Neto. Portanto, ficamos com 7 centrais e ficamos a precisar de "despachar" 3.

Cópias perfeitas e "baratos"


Na minha opinião o Sporting perdeu uma oportunidade de ouro para fazer algo que é muito incomum nos planteis, que passa por ter titulares e suplentes com as mesmas características. Falo de Mathieu/Ivanildo e Coates/Domingos Duarte.

Mathieu é um central rápido que consegue recuperar bem a profundidade, é canhoto e tem capacidade técnica para sair a jogar. Precisamente o mesmo perfil que tem Ivanildo Fernandes. Tanto que o nosso jovem podia aprender com o francês. E já podia estar a aprender desde Janeiro, mas lá está, houve quem preferisse insultar os Sportinguistas e fazer regressar o senhor Ilori, o tal que até estava "disposto a ficar dois anos sem jogar" para sair a custo zero do Sporting. Quanto a Coates/Domingos Duarte, as características são as mesmas, centrais muito fortes na marcação com grande poderia físico e fortes no jogo aéreo defensivo e ofensivo.

O facto de terem as características iguais às dos titulares permitiria a Keizer treinar e jogar sempre da mesma forma. Coisas simples como a saída de bola ser feita pelo central do lado esquerdo e ficar para o jogador que joga desse lado a responsabilidade de ter de recuperar defensivamente a profundidade, o central do lado direito ser o central de marcação, etc. Isto beneficiaria os jogadores, as dinâmicas da equipa e os companheiros que saberiam sempre com o que contar independentemente de jogar um ou outro jogador.

Só em termos de exemplo, o Sporting tem agora Neto como a terceira opção. Em caso de necessidade de substituição de Mathieu teremos uma dupla Neto/Coates. Dois centrais de marcação, lentos e sem grande capacidade de saída de bola controlada ou até mesmo de passe. Destes dois quem é que irá marcar os jogadores rápidos que existem na nossa Liga?

Para terminar sobre Domingos Duarte e Ivanildo Fernandes, importa dizer que são jogadores com qualidade, que fizeram excelentes épocas e que tinham todas as condições para crescerem junto de dois belos centrais como são Mathieu e Coates. Estes craques podiam ter sido os mentores dos nossos meninos. Mas há ainda outro pormenor muitíssimo relevante. Domingos Duarte e Ivanildo Fernandes são dois jogadores com vencimentos relativamente baixos. Os dois juntos não fazem o vencimento de um Tiago Ilori e muito menos fazem o vencimento de Luís Neto, que muito certamente é um investimento avultado da SAD.

Que fique claro que esta seria a minha opção relativa aos centrais.

As opções tomadas


Dos sete centrais com contrato, dois já seguiram caminho. Domingos Duarte foi vendido e Ivanildo Fernandes foi emprestado para a Turquia. Fica a faltar a venda de André Pinto. Portanto, ficamos com Mathieu, Coates, Luís Neto e Tiago Ilori. São estes os nossos 4 centrais para 2019/2020.

Mesmo não achando necessária a compra do Luís Neto, muito menos pelo perfil e pelo forte investimento no salário, até dou de barato essa opção. É sempre um jogador experiente que pode fazer o lugar do Coates sem problemas. O que não consigo compreender é como não se rectifica um erro colossal tomado em janeiro com a contratação de Tiago Ilori. Já não deu para perceber que o jogador não serve para o Sporting? Ainda não deu para os responsáveis do Sporting perceberem que o jogador não é bem-vindo a Alvalade? Ainda não viram que os adeptos não gostam dele pelas atitudes do passado e também pelo que não consegue produzir dentro de campo?

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

11 notas sobre a humilhação do Algarve


Depois da pior pré-temporada dos últimos 50 anos e da pior final de sempre da história do Sporting é altura de tecer algumas considerações sobre o momento da equipa.

1) Vamos a jogo sem ter usado a táctica dos 3 centrais um único minuto na pré-época. 


Para a final da Supertaça frente ao Benfica, Marcel Keizer montou a equipa com três defesas centrais. E aqui é logo importante salientar que 3 defesas centrais é algo distinto de 3 defesas. O Sporting jogou com três centrais e numa linha composta por 5 jogadores. Deixo-vos com um print do primeiro golo do Benfica para perceberem como funcionou esta linha defensiva a cinco.

Lance do 1º golo do Benfica

Nesta imagem é possível vermos a linha defensiva do Sporting com os 5 jogadores e o posicionamento anedótico dos mesmos. Reparem como a defesa do Sporting não teve a capacidade de dar largura a essa linha. É aqui que está o erro defensivo básico. Os 5 atletas do Sporting estão praticamente todos em meia área. Pior do que isso só ver que Thierry Correia e Neto estão a marcar 3 jogadores do Benfica. Portanto, mesmo com uma linha de 5 defesas, o Sporting consegue estar em inferioridade numérica no local para onde Pizzi dirige a bola. Se isto não é anedótico, não sei o que será. Como é possível?

2) Um desastre a montar uma defesa


Nesta pré-época o Sporting foi a única equipa da 1ª Liga a não conseguir ganhar um único jogo. Foi a única equipa a sofrer golos em todos os jogos (só num jogo é que sofreu menos de 2 golos). Pior, foi a equipa da 1ª Liga que mais golos sofreu na pré-época (11 golos em 6 jogos). Tudo isto numa pré-época em que dos 6 adversários escolhidos, só dois eram verdadeiramente desafiantes: Liverpool e Valência. Tudo o resto seria para ganhar, ou pelo menos, para apresentar qualidade. Nem uma coisa, nem outra. Pelo meio até fomos humilhados ao perder jogos contra equipas de divisões secundárias. Primeiro contra uma equipa de amadores da 3ª divisão da Suiça e depois frente a uma equipa 2ª Liga de Portugal. Tudo tranquilo, ninguém ficou preocupado. 

Mas estes números defensivos só podem surpreender quem não está atento ao percurso deste técnico no Sporting. Esta pré-época não tem sido mais do que a continuidade do triste trabalho defensivo que Marcel Keizer fez na época passada, senão vejamos:

Nos 37 jogos realizados pelos Sporting na época passada, Marcel Keizer sofreu 36 golos . É praticamente um golo sofrido a cada jogo. Estes números provam que não há aqui nada de circunstancial nesta análise. É um facto. O Sporting de Keizer não sabe defender. Com os 5 golos sofridos na Supertaça, Marcel Keizer passou a ter 38 jogos pelo Sporting e 41 golos sofridos. 

Mas melhor do que os números, há um exemplo particular particular que é bastante elucidativo das ideias do treinador. Falo, obviamente, da forma como Tiago Ilori foi sistematicamente sendo aposta para jogar a lateral direito tendo Thierry Correia ficado de fora. Só no último jogo de pré-época foi efectivamente aposta e no jogo deste domingo fez uma bela exibição, tendo sido dos melhores elementos do Sporting. 

3) Uma equipa sem identidade


Eu imagino a cara dos jogadores quando o treinador os informou que iriam jogar contra o Benfica num sistema de 5 defesas, quando na pré-época nem um único minuto testaram esse esquema. Devem ter ficado radiantes. 

Obviamente, a mensagem que passou aos atletas foi a de uma completa inferioridade face ao rival. Marcel Keizer não teve capacidade para resolver a questão defensiva com os 4 defesas que testou ao longo de toda a pré-época, mas de um momento para o outro, qual miúdo a jogar um FM ou Fifa, decidiu resolver o problema da forma mais simples possível: "Ai sofremos muitos golos!? Então meto mais um defesa central lá pró meio que deve resolver".

Keizer nunca quis assumir o jogo. Nunca quis impor a sua identidade ao adversário. A única coisa que quis do jogo foi não sofrer golos. No fundo foi uma...

4) Estratégia de equipa pequena


Todos percebemos a estratégia de Keizer para este jogo. Já a vimos noutras ocasiões e até resultaram na conquista de duas Taças. A ideia foi a habitual. Tentar controlar o jogo em termos defensivos e ferir o adversário em contra-ataque. Precisamente como as equipas pequenas fazem. O importante era tentar não sofrer golos tendo depois as probabilidades do nosso lado nas grandes penalidades. Foi isto que Keizer quis do jogo.

E não me interpretem mal. Não me importo de ter no Sporting um treinador absolutamente pragmático na abordagem e nem sequer me importo de não dar espectáculo. Desde que no final do jogo o resultado seja a nosso favor, por mim está tudo bem. O que me choca aqui é o facto de se ter contratado um treinador com a aura (mentirosa) de formador e do futebol espectáculo e depois o que vemos é um Keizer a tentar imitar um José Mota desta vida. Será que eu estou confundido e não era este holandês que dizia à boca cheia que queria jogar futebol ofensivo, espectacular e com muitos golos? Não era este treinador que até gostava era de ganhar jogos por 4-3?

5) Bas Dost na frente?


A jogar claramente para o contra-ataque, que sentido teve colocar Bas Dost como homem mais adiantado da equipa? Mas isto faz algum sentido na cabeça das pessoas? Um ponta de lança fixo, de último toque, lento, sem grande capacidade técnica e táctica a jogar neste esquema táctico? Absolutamente patético. E mais patético se torna quando o Sporting investiu 7,5M por 50% do passe de um jogador apelidado de "sonho" pelo Presidente Varandas e cuja principal característica é ser um jogador para jogar em ataques rápidos e contra-ataques. Basta ver precisamente que as suas melhores épocas foram em equipas com este perfil. Absolutamente fantástico.

Ainda em relação a Bas Dost é preciso dizer com todas as letras que as caracteristicas do jogador não têm sido aproveitadas. Se olharmos para a pré-época dá para contarmos pelos dedos de uma mão o número de cruzamentos feitos para a área. Tirando uma oportunidade falhada (não chegou a tempo da emenda) frente aos marretas da 3ª divisão suiça, Bas Dost não teve uma única oportunidade de golo. Quando teve meia oportunidade mandou um bilhete lá para dentro (jogo com o Valência). Portanto, temos um matador na equipa e não jogamos para ele. Queremos que ele faça coisa que não tem a mínima capacidade de fazer. De facto, temos de estar tranquilos...

6 ) Sem plano B


Esta estratégia de equipa pequena foi até desmontada pelo treinador quando no final do jogo diz: "Depois surgiu o 2-0, demasiado cedo na segunda parte, e mudámos de sistema, para 4-3-3, para tentar marcar.". Portanto, o sistema para "tentar marcar" é o 4-3-3 e não o 5-4-1. Isto é assunção da estratégia de tentar marcar um golo primeiro do que o adversário ou pelo menos não sofrer golos para levar o jogo para as grandes penalidades. Era este o plano de Keizer.

Incrivelmente, o Sporting não estava preparado para a eventualidade de estar a perder na partida. Não existiu qualquer plano B dentro da estratégia montada. O melhor que se conseguiu fazer foi alterar para o 4-3-3 treinado durante toda a pré-época. A tal táctica para "tentar marcar". O resultado dessa alteração foi o conhecido. Desnorte completo e mais 3 golos encaixados sem sequer conseguirmos chegar à baliza adversária. 

7) Joga como treinas


Do outro lado da barricada, o que se viu foi uma equipa a aplicar no terreno de jogo tudo aquilo que tem andado a treinar ao longo da pré-época. Pressão constante ao adversário, linhas subidas, exploração dos ataques rápidos e muito jogo interior. Lage não quis surpreender ninguém e apresentou em campo aquilo que tem trabalhado com os seus jogadores. 

8) Não ganhamos um jogo desde 5 de Maio


O Sporting está numa série incrível de 10 jogos consecutivos sem conseguir vencer. São 4 jogos oficiais e 6 jogos amigáveis.


Mas lá está, há quem ache isto normal. Tudo tranquilo.

9) Reforços? Onde?


Dos 14 atletas que entraram em campo, apenas 4 chegaram ao Sporting nos tempos do Presidente Varandas e de Marcel Keizer: Neto, Doumbia, Borja e Luiz Phellype sendo que os dois últimos entraram na segunda parte. Neto que só jogou devido à invenção dos 3 defesas centrais e no caso da posição de médio mais defensivo teria sempre de ser ocupada por um reforço, uma vez que o titular da época passada abandonou o clube neste defeso. Se olharmos apenas para os reforços contratados neste defeso verificamos que só jogou Luís Neto. 

Recordar que só em reforços já foi investido um montante muito próximo dos 40 milhões de euros em pouco mais de 6 meses. E o mais curioso de tudo isto é que nenhum dos reforços é melhor do que os jogadores que tínhamos. Não há nenhum que consiga sequer ser titular, tirando o Doumbia (por saída do Gudelj). Mas também não é motivo para preocupações. Está tudo bem...

10) A melhor "Unidade de Performance" do mundo e arredores...


Foi desta forma que o Presidente Varandas vendeu aos Sportinguistas todo o investimento feito nesta área de performance. Uma área que seria a última coca-cola no deserto e que nesta pré-época o que está a mostrar não é nada bonito. Temos um atleta que foi contratado lesionado e que ainda não treinou (Rosier). Depois temos uma série de jogadores que têm tido problemas na pré-época. Jovane Cabral, que já vai na segunda lesão nesta pré-época e que hoje foi noticiado que só regressa à competição em Setembro. Ristovski que também se lesionou na pré-época sem que tenha feito um único jogo. Ivanildo Fernandes chegou a participar na primeira partida de pré-época mas depois lesionou-se. Rafael Camacho foi contratado e também se lesionou pouco tempo depois. É também curioso o caso de Rodrigo Battaglia, cuja paragem anunciada foi de 6 meses e já vamos em 9 meses, sendo que nas últimas semanas até esteve na Argentina. 

Mas pior do que isto foi mesmo a condição física demonstrada pelos atletas do Sporting na segunda metade do jogo da Supertaça. Se a tão famosa unidade de performance o melhor que consegue produzir é isto, estamos mal. Mas lá está, tudo está a correr muito bem e devemos estar todos absolutamente tranquilos. 

11) "Vamos ter uma semana difícil"


No final do jogo, Marcel Keizer disse "vamos ter uma semana difícil". E qual é a melhor forma de enfrentar uma humilhação? Obviamente, dar dois dias de folga aos jogadores. Já não bastou os jogadores e o treinador terem estado de "folga" durante a partida de domingo, ainda se achou por bem dar mais dois dias de folga. A tal "semana difícil" perspectivada por Marcel Keizer começa a uma... quinta-feira, data do primeiro treino de preparação para o importantíssimo jogo na Madeira com o Marítimo. Portanto, treino na quinta e na sexta, viagem para a Madeira no sábado e jogo no domingo. Gestão brilhante. De facto, não há motivo algum para preocupação. De facto, está tudo bem. Tudo tranquilo...

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)