sexta-feira, 1 de novembro de 2019

The LPM connection


Um dos grandes temas do momento no universo leonino são as diligências que alguns sócios do Sporting estão a tomar tendo em vista a queda dos actuais órgãos sociais. Neste sentido, parece-me relevante recordar as movimentações que foram feitas para destituir a direcção de Bruno de Carvalho e colocar no poder Frederico Varandas. Até porque tenho algumas novidades em relação a esta matéria. 

A rampa de lançamento para a candidatura


Como se sabe, o ataque à Academia ocorreu a 15 de maio. Ora, a 19 desse mês, véspera da final do Jamor frente ao Desportivo das Aves, Frederico Varandas era apresentado pela imprensa como o "homem que agarrou as pontas".

Jornal Abola 19/05/2018
Importa recordar que os jogadores foram levados para a clínica de Frederico Varandas para manterem a condição física. Curiosamente, se estão bem recordados, foram inúmeras as publicações nas redes sociais a propagandear essa situação, como se pode ver na própria notícia do jornal ABola. Por certo, tudo coincidência. 

Assim como foi coincidência que por volta da uma da manhã de dia 19, Luís Paixão Martins, fundador da agência LPM, tenha ido para o Twitter dizer que "Jorge Jesus e Frederico Varandas são o cimento que aguentam o Sporting por estes dias".

Link (aqui)
Portanto, ao início da madrugada, ainda o jornal Abola não tinha ido para as bancas e já Luís Paixão Martins lançava a narrativa. Obviamente, coincidência. 

Varandas desertou e apresentou a candidatura


A 24 de Maio, três dias depois da final da Taça de Portugal, Frederico Varandas apareceu em tudo quanto é televisão e jornal, anunciando a sua demissão do Sporting e apresentando a sua disponibilidade para ser candidato à presidência do clube. Atentem no vídeo seguinte:


Como podem verificar, as 4 televisões nacionais fizeram entrevistas individuais a Frederico Varandas. Nos jornais, destaque para 3 entrevistas concedidas de forma individual ao Jornal Abola, Record e Correio da Manhã. Aqui ficam pequenos recortes destas 3 entrevistas em papel:

Cliquem para aumentar

Nesse mesmo dia, Luís Paixão Martins publicou a carta de demissão de Frederico Varandas no seu Facebook pessoal.



Não satisfeito com esse post, decidiu publicar mais 8 posts sobre Varandas/Sporting.


Fica claro para todos que tudo isto não aconteceu do nada. Existiu uma estratégia bem delineada para Frederico Varandas se posicionar e que contou claramente com o apoio da LPM. Quatro entrevistas individuais a televisões nacionais e três entrevistas para jornais nacionais é coisa para custar bom dinheiro.

A Manif de 4 de junho


A 4 de junho de 2018, realizou-se uma célebre manifestação à porta do Edifício Visconde Alvalade. Uma manifestação que contou com as presenças de algumas figuras que se tornariam relevantes no universo leonino dai em diante. 


Figuras como as de Henrique Monteiro ou Daniel Oliveira. Para quem já não está recordado, importa relembrar que quatro dias antes desta manifestação, Henrique Monteiro foi nomeado coordenador da comissão de fiscalização. Portanto, temos o líder do "organismo" que vai julgar o conselho directivo, numa manifestação contra o conselho directivo e que sempre teve um ódio de estimação assumido contra Bruno de Carvalho. Mas há quem ache isto normal. 

Nessa manifestação também estavam outras três figuras que viriam a fazer parte dos órgãos sociais de Frederico Varandas. 


Na imagem do lado esquerdo, junto ao cartaz principal da manifestação é possível vermos Miguel Afonso, Director Comercial da LPM e membro do Conselho Directivo de Frederico Varandas com o pelouro das modalidades. Na imagem do lado direito é possível vermos também Pedro Lencastre, actual vice-presidente do Conselho Directivo e Pedro Almeida Cabral, vogal da MAG.

A queixa disciplinar do braço-direito jurídico da LPM


Nesse mesmo dia em que a manifestação foi realizada, ficamos a saber que uma série de sócios fizeram uma participação disciplinar contra o Conselho Directivo do Sporting.

Link da notícia (aqui)

Como podem verificar, o advogado João Teives foi o "mentor" desta participação disciplinar contra o conselho directivo do Sporting. E quem é João Teives? Nada mais, nada menos, do que advogado de Luís Paixão Martins...

Link da notícia (aqui)

João Teives, advogado e amigo de Luís Paixão Martins, teve uma ligação interessante ao amigo, ou melhor, ao filho do amigo. João Teives foi director da revista Advocatus de 2010 a 2017, altura em que a publicação passou de revista para site. Curiosamente, a proprietária da revista era uma empresa administrada pelo filho de Luís Paixão Martins, que também detinha a Briefing, veiculo de propaganda do grupo. Aqui fica o print da revista para não restarem dúvidas:

Revista advocatus sob a liderança de João Teives

No dia seguinte, eis que Luís Paixão Martins partilha um post de João Teives com a participação disciplinar.


Por óbvio coincidência, a realidade é que o nosso "amigo" João Teives entrou nas listas de Frederico Varandas tendo-se tornado vice-presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar. Aqui fica o print do programa eleitoral de Frederico Varandas.


Importa ainda recordar que com a polémica envolvendo o estatuto dos magistrados, podem sair dos actuais órgãos sociais 4 elementos. Nesse lote está precisamente o Juiz Joaquim Baltazar Pinto, presidente do CFeD. A sua saída abrirá caminho para João Teives passar a ser Presidente do CFeD do Sporting.

Os jornais dizem que esta participação disciplinar foi assinada por 21 sócios do Sporting. Até hoje só são conhecidos os nomes de dois subscritores: João Teives, autor da "coisa" e Manuel Moura dos Santos, conhecido apoiante de Frederico Varandas que passou a ter lugar cativo na tribuna presidencial de Alvalade e convites para todos os eventos do Sporting.




Também recordar que o senhor Manuel Moura dos Santos teve um outro acto muito relevante. No dia 21 de junho, dois dias antes da AG de destituição de Bruno de Carvalho, Manuel Moura dos Santos publica na sua página de Facebook uma série de actas confidenciais do Sporting sobre uma proposta de prémios de desempenho para o Conselho Directivo. Uma proposta de 2017 que nunca chegou a sair do papel.


Eu continuo a aguardar o respectivo processo disciplinar ao sócio Manuel Moura dos Santos por ter divulgado informação interna e confidencial do Sporting, mas como entretanto o seu amigo João Teives foi eleito nas listas de Frederico Varandas como Vice-presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar, tenho poucas esperanças.

Também, obviamente, uma enorme coincidência.


A preparação da Assembleia destitutiva 


Na preparação da AG destitutiva há um episódio muito interessante. A 20 de junho, três dias antes da AG, Margarida Caldeira da Silva, conhecido Sportinguista que trabalhou no Sporting nos tempos dos senhores de punho rendado, publicou isto no seu Facebook pessoal:



Portanto, são precisos voluntários para validar e controlar a legalidade das votações e da própria AG e quem é que está a coordenar as coisas? Nada mais, nada menos do que João Teives, que nesta altura era o tal advogado da LPM. Vejamos quem foram os escolhidos.

Miguel Afonso e Rahim Ahamad, membros do Conselho Directivo de Frederico Varandas

Ora, por coincidência das coincidências, Miguel Afonso e Rahim Ahamad foram dois dos delegados à AG de destituição como prova o vídeo seguinte.


Miguel Afonso, que para além de ser membro do CD é também director comercial da LPM. Para que não restem dúvidas da sua ligação à LPM, aqui fica o print do site da empresa:

Link (aqui)

E também a sua apresentação aos sócios no manifesto eleitoral de Frederico Varandas, onde deliberadamente ocultou a sua ligação à LPM.



Apresentação da candidatura


Com a queda do Conselho Directivo foram marcadas eleições para o dia 8 de Setembro. Frederico Varandas foi o primeiro a avançar oficialmente. No dia da apresentação a sala estava cheia de gente gira...


Na imagem anterior é possível verem Margarida Caldeira da Silva - a tal senhora que serviu de pombo correio a pedir voluntários para o "exército" de João Teives - em amena cavaqueira com Luís Paixão Martins.


Eu voto no Teives



Na véspera das eleições, Luís Paixão Martins declarou o seu voto em João Teives (candidato a vice-presidente do CFeD) através da partilha de uma foto do seu "vizinho de bancada" com a sua parceira Sandra Silva, no jantar de fim de campanha de Frederico Varandas.

Curiosamente, Sandra Silva é um alto quadro dá... LPM.

Aqui fica o print do site da empresa:

Link (aqui)

A hora da vitória



Aqui fica o post de consagração no Estádio de Alvalade. O "reformado" Luís Paixão Martins, com João Paixão, herdeiro do império da propaganda e João Teives, o tal "amigo da bancada de Alvalade" e dos tribunais.


O assessor Benfiquista


Já aqui tinha dito que o homem da comunicação que acompanhou Frederico Varandas em permanência durante a campanha eleitoral foi um tal de Gonçalo Vilela Santos, como podem verificar no print seguinte.


Importa dizer que Frederico Varandas escolheu para homem forte da comunicação um senhor que é adepto do... Benfica.


Aqui fica uma das últimas aparições do sujeito, no sorteio do malfadado jogo da Taça de Portugal onde fomos humilhados dentro e fora de campo.


O senhor do voleibol


No passado mês de Abril o Sporting fechou contato com Miguel Pombeiro, para ser o novo homem forte do Voleibol. Por coincidência das coincidências, este senhor era presidente da Associação de Voleibol de Lisboa (abdicou do cargo quando veio para o Sporting), instituição onde o filho de Luís Paixão Martins é vice-presidente. Também por coincidência, o máximo responsável pelas modalidades do clube e consequentemente por esta escolha, é Miguel Afonso, funcionário da LPM e vogal com o pelouro das modalidades.

Link (aqui)
Curiosamente, o filho de Miguel Pombeiro foi uma das contratações do Sporting para esta época.

Link da notícia (aqui)
De facto, o mundo é mesmo muito pequeno...

The LPM connection


Tudo o que foi versado anteriormente já é do conhecimento publico e está tudo mais do que provado. Cada um fará a interpretação desses factos da forma como quiser. Agora, o que eu trago de seguida são um conjunto de informações recolhidas junto de boas fontes e que muito provavelmente serão tornadas públicas nos próximos tempos. Vamos às novidades.

A LPM tem vindo a deixar gradualmente de prestar serviços ao Sporting, sendo que ontem terminou a ligação directa ao Sporting, pondo ponto final ao acordo de comunicação institucional, depois de nos últimos meses terem abandonado o jornal e as redes sociais, que passaram para a esfera do clube. Segundo informação que recolhi, o Sporting contratará nova agência de comunicação para substituir a LPM.

O divorcio entre as partes ocorreu num pequeno-almoço entre Luís Paixão Martins e Frederico Varandas. O "arrufo de amor" terminou de forma tão azeda que na estreia no "Prolongamento" na TVI 24, a 22 de Abril, o "reformado" decidiu dizer isto. 


"O Presidente do Sporting comunica mal e não quer comunicar melhor. Já se viu." Declarações fortes que tiveram repercussão nos jornais desportivos do dia seguinte:

Record e Abola de dia 23/04/2019
Face ao "arrufo de amor", a participação de Luís Paixão Martins no programa, que estava acordada para durar muito tempo, acabou por durar apenas meia dúzia de semanas, tendo Luís Paixão Martins sido corrido por pressões do Sporting. 

Também é engraçado que desde o divórcio, o filho de Luís Paixão Martins tenha sido deixado de ser visto nos corredores de Alvalade onde era odiado por toda a estrutura pela prepotência e completa impreparação, com excepção de Rahim Ahamad que venerava os conselhos do "júnior".

Ora, face a todas as ligações provadas anteriormente, os Sportinguistas têm direito a saber como fica o clube no meio de toda esta salgalhada. Se a incompatibilidade de Miguel Afonso que ocupava cargos directivos quer no Sporting, quer na LPM, já era gritante, como fica agora? Se já tinha poucas condições para servir o Sporting, não acabou de ficar sem condições absolutamente nenhumas?

Então e João Teives, vice-presidente do CFeD e que é ao mesmo tempo o homem de mão de LPM para questões jurídicas, como fica no meio de tudo isto? Ainda para mais, sabendo que a esposa é funcionária da LPM.

Outra questão relevante está relacionada com os funcionários da LPM que passaram dos quadros da empresa para os quadros do Sporting e que mantiveram os mesmos direitos laborais que traziam da agência. Quanto é que custou esta brincadeira ao Sporting? Não era muito mais lógico ir buscar colaboradores novos sem assumir responsabilidades que seriam da LPM? Agora também fazemos caridade à LPM? Por falar em funcionários que transitaram da LPM para o Sporting. Importa dizer que Frederico Varandas tudo fez para contar com Gonçalo Vilela Santos, conhecido entre os Sportinguistas pelo "assessor lampião", mas o sujeito terá recusado face ao facto de achar que a direcção de Frederico Varandas não tem futuro, o que não lhe daria segurança profissional. E ai, até tenho de concordar com o benfiquista. Fez bem em recusar, até porque os Sportinguistas dispensam bem serviços de benfiquistas numa área como a comunicação.  

Curiosamente, desde o "divórcio", Luís Paixão Martins deixou de falar sobre o Sporting nas suas redes sociais, quando até ai o fazia diariamente. Costuma-se dizer que "zangam-se as comadres, sabem-se as verdades". E como se sabe, Luís Paixão Martins nunca foi propriamente alguém conhecido por se calar. A não ser que "valores mais altos se levantem". São precisamente estes valores que têm de ser revelados aos Sportinguistas. A começar nos valores pagos ou não por Frederico Varandas à LPM pelos serviços da campanha eleitoral? Frederico Varandas pagou esses serviços ou a campanha foi feita em pró-bono pela LPM com a promessa de ficarem com toda a comunicação do Sporting? Fica também por saber quanto é que o Sporting pagou à LPM? Pagou apenas os serviços prestados ou tivemos de pagar alguma indemnização contratual?

Um dia destes vamos todos saber quanto é que custaram aos cofres do Sporting os "valores que se levantaram" nesta lógica de "sei o que fizeste no verão passado" entre a LPM e a direcção de Frederico Varandas. Mas enfim, é este o nosso "fado"...

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Festa rija!


De expressões bélicas como "guerra civil" ou "terrorismo", o Sporting passou nas últimas horas a um estado de festa rija, que na minha visão é absolutamente incompreensível e serve de exemplo para a mediocridade instalada no seio do clube. Vamos por partes:

Wendel dá início às festividades


Os Sportinguistas estranharam a ausência de Wendel da convocatória de Silas para o jogo com o Vitória de Guimarães. No final da partida, o técnico leonino foi muito claro quanto à não convocação do atleta.


Silas foi directo ao assunto, dando a cara pela decisão e mostrando que o clube e a equipa sobrepõe-se sempre às individualidades. É isto que os Sportinguistas querem. Existem regras e condutas próprias para atletas que jogam num clube como o nosso e quem não as respeitar tem de ser punido em conformidade.

Em relação a estas matérias considero que é preferível manter o problema entre portas não dando espaço para a imprensa, adeptos e concorrência cavalgarem no assunto. Contudo, neste momento Silas não se pode dar ao luxo de não o fazer. É um treinador com pouco currículo, com pouco tempo de trabalho e com uma liderança muito "fresca" num clube grande. Tem de se impor e aproveitar estes momentos para mostrar para dentro e para fora quem manda. Silas tem essa personalidade e capacidade para o fazer e esteve muito bem.

E esteve muito bem, também por outra questão. O treinador leonino nunca entrou em qualquer pormenor sobre o comportamento que o jogador teve. É um problema disciplinar e não é necessário entrar em pormenores sobre o sucedido. O jogador será castigado - ficou de fora da convocatória e treinará agora com os sub-23 - e só lhe resta uma opção: "atinar" definitivamente.

Por "atinar", refiro-me a tornar-se num profissional que respeite o clube, os colegas e a profissão. É isso que Wendel tem de fazer. E se não o fizer, a solução não pode passar pela saída do atleta, como hoje surge em toda a imprensa. É engraçado que os astros parecem alinhados para a saída do jogador já em Janeiro. As notícias apontam a vontade do Sporting em vender o atleta, a vontade do jogador de sair do clube e a habitual vontade dos empresários em transferirem os jogadores para facturarem mais uns "cobres".

Que o Wendel e o seu empresário pensem na saída como melhor opção, acho normal. O que já não acho normal é o Sporting considerar sequer essa opção. Um clube como o Sporting não pode ceder às vontades e desvarios dos jogadores. Se Wendel não tem comportamentos dignos, tem de ser punido por eles e procurar a redenção através do trabalho, do profissionalismo e da competência. É este o único caminho que tem de ser mostrado ao jogador e enquanto esse caminho não for percorrido, o atleta não pode sair do Sporting. Não há cá saídas fáceis por empréstimo nem vendas. Ou muda o seu comportamento tornando-se um elemento válido para o grupo ou então "apodrece" nos sub-23.

É que se assim não for, não faltarão jogadores a cometerem atitudes erradas para forçarem a saída ao desbarato. No caso de Wendel falamos já do 5º caso de indisciplina. Começou com um atraso na pré-época de 18/19, depois um atraso no regresso de uma viagem ao Brasil, uma viagem a Itália para ver o Juventus-Ajax sem autorização do Sporting, o gravíssimo caso de conduzir sem carta e por fim o episódio ocorrido no noite da passada sexta-feira, onde segundo a imprensa, terá chegado a um restaurante para jantar às 23H00 tendo só saído do mesmo já na madrugada de sábado, com treino na manhã desse dia e na véspera de um jogo. Ou seja, são já cinco casos envolvendo o atleta que com tudo isto se desvaloriza no mercado e não corresponde às exigências do Sporting. Termino com a mesma ideia. Das duas, uma: ou "atina" ou então apodrece nos sub-23 até ao final do contrato como forma de exemplo para todos os outros.


Para a próxima levem auscultadores


Para dar seguimento à festa iniciada por Wendel na madrugada de sexta-feira para sábado, o Sporting decidiu dar um colorido auditivo especial ao final do jogo com o Vitória de Guimarães.


Musica nas alturas para silenciar os sócios do Sporting. Eu aproveito a ocasião para sugerir ao "Doutor Coragem" que na próxima partida em Alvalade apague as luzes e ligue os aspersores da relva virados para as bancadas. 

"Dale Papi"


Da festa de furar os tímpanos dos Sportinguistas no final do jogo, passamos para a festa no balneário do Sporting no final da partida. 


Eu não sei se o Sportinguistas têm a perfeita noção que o Sporting vai jogar para aquecer até ao final da época, razão pela qual me parece melhor fazer uma revisão da matéria dada até ao momento.

Na Supertaça fomos atropelados pelo Benfica por 5-0 na pior final da história do Sporting. Na Taça da Liga estamos com pé e meio fora da competição, dependendo de terceiros para conseguirmos a qualificação para a Final 4. Na Taça de Portugal sofremos a humilhação de sermos eliminados por uma equipa da 3ª divisão dentro e fora do campo contra um bando de amadores. Na Liga Europa temos um dos grupos mais acessíveis de sempre e temos conseguido vitorias caídas do céu contra essas equipas. Perante isto, alguém espera que o Sporting consiga vencer a Liga Europa? Por fim, na Liga estamos em 4º lugar a 5 pontos do Famalicão e a uns incríveis 7 pontos dos nossos dois rivais, sendo que eles já jogaram entre si. Sinceramente, alguém acha que vamos ser campeões perante este cenário?

E isto são apenas os resultados da equipa, porque ainda há que somar a isto as exibições da equipa e toda a instabilidade no clube. Foi perante este cenário que os jogadores do Sporting decidiram fazer uma festa no balneário. Se isto não é sinal de total mediocridade, não sei o que será. 

O convidado de honra


Em qualquer festa rija é fundamental haver um convidado de honra, sendo que o escolhido por Frederico Varandas foi William Carvalho.  


William Carvalho esteve no Sporting mais de metade da sua vida (14 épocas), tendo chegado a capitão de equipa e sendo um dos jogadores mais respeitados do clube. Apesar de tudo isto, decidiu rescindir unilateralmente com o clube que lhe deu tudo, utilizando uma "justa causa" que não existe e que é um mero copy paste das justificações patéticas apresentadas pelos restantes jogadores.

É engraçado que William Carvalho tenha perdido o medo de sair à rua e tenha deixado de acordar a meio da noite com suores frios. Talvez o chorudo ordenado que aufere em Sevilla - fruto da canalhice que fez ao Sporting - lhe tenha permitido fazer um tratamento inovador para curar essas maleitas. Quem sabe até se não foi o "Doutor Coragem Varandas" que lhe aplicou esse tratamento inovador.

A rescisão unilateral levou o Sporting a vender o jogador por uma verdadeira bagatela em mais um negócio ruinoso de Sousa Cintra. Falamos de um jogador que foi vendido por 16M com 4M por objectivos, sendo que destes extras apenas considero como sendo realizável 500 mil euros, caso o jogador seja convocado para o Euro 2020.

Se os órgãos sociais do Sporting fossem dignos, ao invés de formularem convites para os camarotes de Alvalade, já teriam tomado medidas contra os atletas que rescindiram contrato com o clube. A começar pelo Conselho Fiscal e Disciplinar que já deveria ter aberto um processo disciplinar com vista à expulsão de sócios de todos aqueles que rescindiram contrato com o Sporting. Haverá acto mais lesivo do que rescindir de forma unilateral - usando argumentos mentirosos - para colocar em causa o futuro de clube? Se isto não dá expulsão de sócio, não sei o que dará. Quanto a esta matéria, se o CFeD não tomar medidas, talvez esteja na hora de os Sportinguistas fazerem as respectivas participações disciplinares.

Por parte do Conselho Directivo e da administração da SAD o que se pede é que defendam a honra do clube e dos seus associados. William Carvalho cuspiu no prato onde comeu durante todos estes anos, assim como cuspiu na cara de todos os Sportinguistas. Ver o conselho directivo e a administração da SAD validar estes comportamento com convites VIP e palmadinhas nas costas é uma desonra e um acto indigno para com os Sportinguistas.

Esta atitudes são de uma completa falta de respeito pelo Sporting. Mesmo do ponto de vista interno é um sinal terrível que se está a passar aos jogadores que decidiram manter-se fieis ao clube, assim como para os jovens que estão a sair da Academia. O que o Sporting está a dizer é que o jogadores podem cometer um acto de extrema gravidade para com o clube que apesar disso, serão sempre bem-vindos em Alvalade. 

Nada de novo vindo da administração que achou por bem recuperar um sujeito da estirpe de Tiago Ilori ou que decidiu forrar as paredes da Academia do Sporting com imagens de Rui Patrício como sendo um sujeito que "liderou pelo exemplo". E de facto, liderou. Foi Rui Patrício que liderou o processo de rescisões de contrato com o Sporting. 



Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Varandices


Depois da humilhação em Alverca tem ocorrido uma série de episódios surreais, que merecem ser baptizados por "Varandices". Vamos a elas.

A uma quinta-feira?



O nível de bazófia dos actuais dirigentes do Sporting chegou ao ponto de se dizerem coisas como esta: "Sabemos que nos próximos anos iremos esmagar todos os recordes relacionados com a marca Sporting". Declaração de Miguel Cal, administrador da Sporting SAD no célebre artigo de opinião sobre a venda de cerveja nos estádios e sobre a necessidade de o Sporting passar a jogar a dias e a melhores horários.

Ora, nesse artigo foi prometido aos Sportinguistas que os horários e os dias dos jogos do Sporting iriam melhorar para benefício dos nossos sócios e adeptos. Só que como se tem visto, nada disso tem acontecido. E eu pergunto aos nossos doutos dirigentes e à fantástica estrutura de futebol o porquê de termos aceite antecipar o jogo da Taça de Portugal para uma quinta-feira, quando apenas jogamos na quinta-feira seguinte?

Para que as pessoas tenham uma melhor noção desta vergonha, importa dizer que o Alverca-Sporting foi o único jogo desta eliminatória da Taça a ser realizado na quinta-feira (17). No dia seguinte (sexta-feira) jogou apenas o Benfica e no sábado e domingo os restantes jogos da eliminatória da Taça de Portugal. Isto quando o Benfica joga já na próxima quarta-feira e Porto e Sporting jogam apenas na próxima quinta-feira. Ora, a haver alguma antecipação de jogo até deveria ser para o Benfica que é a primeira equipa portuguesa a entrar em campo nas competições europeias.

Da bazófia até à realidade ficam os números. Dos 12 jogos realizados pelo Sporting esta época, apenas um foi realizado num dia em que no dia seguinte não seria "dia de trabalho" para a maior parte dos Sportinguistas (Sporting-Rio Ave num sábado). Todos os outros 11 jogos foram realizados nos seguintes dias: Domingo (5), Quinta-feira (3), Segunda-feira (2) e Quarta-feira (1). Isto é que é defender o Sporting e os Sportinguistas, não é? Mas tenho de concordar com o Miguel Cal. Se ao menos vendessem cerveja nos estádios, sempre ajudava os Sportinguistas a beberem para esquecer que são liderados por um bando de amadores cheios de bazófia.


Mais um recorde para Varandas


Mas de facto, há que dar o mérito ao vaticínio de Miguel Cal relativo a baterem todos os recordes. Eu até já perdi a conta aos recordes negativos que têm sido acumulados pela administração presidida pelo Presidente Frederico Varandas. O doutor conseguiu mais um em Alverca. Pela 2ª vez nos 113 anos de história do Sporting, perdemos um jogo oficial contra uma equipa de uma 3ª divisão. Tínhamos perdido com o Tirsense em 1948/1949 por 2-1 na Taça de Portugal. Passados 70 anos voltamos a perder um jogo oficial contra uma equipa do terceiro escalão. 


Mas ainda há mais informação relevante. Se contabilizarmos também as partidas não oficiais verificamos que em 113 anos de história só por três ocasiões perdemos com equipas de 3ª divisão, duas delas com Frederico Varandas na Presidência. Recordar que em Julho passado perdemos uma partida de pré-época contra uma equipa da 3ª divisão da Suiça. Um bando de amadores que dão pelo nome de FC Rapperswil-Jona. De facto, Frederico Varandas é um mestre a bater recordes.

Jogar para aquecer


Em Agosto fomos atropelados pelo Benfica na disputa pelo primeiro título da época. Foram 5 secos que ditaram a pior final de sempre dos 113 anos de história do Sporting. Lá se foi a Supertaça. Em Setembro ficamos fora da luta pelo título. Estamos a 8 pontos da liderança e a 7 de Benfica e Porto. Também em Setembro colocamo-nos praticamente fora da Taça da Liga. Temos de vencer os 2 jogos em disputa e esperar que o Rio Ave escorregue frente ao Gil Vicente. Por fim temos a Liga Europa, mas será que alguém acredita que uma equipa que nem ao Alverca ganha, irá disputar a Liga Europa até ao fim?

Portanto, é hora de um reality check para muitos Sportinguistas. Meus caros, vamos andar o ano todo a jogar para aquecer. É esta a dura realidade que nos está a ser proporcionada por uma equipa directiva absolutamente incompetente. 

Um 11 "Made in Varandas"


Dos 11 atletas que entraram em campo em Alverca, 9 foram contratações de Frederico Varandas, sendo que os outros 2 são jogadores da formação: Max e Miguel Luís. Talvez agora os Sportinguistas percebam melhor o porquê de o quadro com os custos relacionados com a compra e venda de jogadores continuar por divulgar como já abordei (aqui).

Não ganhamos a ninguém, mas o Excel está um luxo



"Reduzimos a massa salarial e, parece-me, não reduzimos a competitividade do plantel profissional. Os rivais perderam alguns dos melhores jogadores e o Sporting manteve o seu melhor e reforçou a equipa." Esta afirmação tem um mês, caros Sportinguistas. Da bazófia a uma realidade, à vista de todos em apenas um mês.

Bem, mas há que ver as coisas pelo lado positivo. Eu já estou a imaginar o Excel de Francisco Salgado Zenha todo a verde com as poupanças em deslocações e estadias que iríamos ter caso seguíssemos em frente na Taça de Portugal.

Uma casa a arder



Então não era com esta direcção que o Sporting passaria a ser um clube que "sabe estar", liderado por "gente de bem"? Admite-se que nenhum jogador do clube tenha dado a cara na hora da derrota? Onde estão os capitães de equipa?


Por falar em atletas...


Jornal Record 20-10-2019
Continua a limpeza nas modalidades do Sporting, especialmente naquelas que não são modalidades de pavilhão. Em tempo oportuno também avisei para esta matéria mostrando-me contra o Orçamento apresentado aos sócios (aqui). Mas, como sempre, os sócios são soberanos e decidiram em consciência. Aceitaram cortar 2,3M de euros nas modalidades mesmo acrescentando o Basquetebol. Cortes que vêm na sequência de 6 exercícios consecutivos de lucros no clube, com lucros totais acumulados na casa dos 17 milhões de euros.

Dignidade, histerismo ou cobardia?


Não é o Presidente Varandas que diz que "há três formas de lidar com a derrota: com dignidade, a versão histérica e a cobarde". Vejam o vídeo seguinte e digam-me em qual destas categorias se enquadra a reacção do Presidente Varandas?


Bem, a parte da histeria parece-me que podemos retira-la da equação. Sobram a dignidade ou a cobardia. Há alguma dignidade nesta declaração? Um líder que começa a sua declaração aos Sportinguistas a dizer que "não há muito a dizer". Isto é para rir? 

Depois disse simplesmente isto: "Não há a mínima desculpa. Tamos envergonhades e este grupo tem que reagir. É a obrigação. Tem que reagir. Tá!? Muito boa noite". E foi isto. Uma declaração de 10 segundos sem direito a perguntas dos jornalistas. Ou seja, a culpa é do grupo. Tudo o resto está impecável. E eu a pensar que já tínhamos ficado envergonhados com a pior pré-época em 50 anos, com a maior derrota de sempre numa final, com a pior série de jogos sem vencer da história do Sporting, com duas derrotas contra equipas da 3ª divisão no espaço de três meses ou com as 6 derrotas que já levamos esta época em apenas 12 jogos. Só depois de tudo isto é que Frederico Varandas chegou ao ponto da vergonha. Vergonha têm os Sportinguistas de terem um bando de incompetentes à frente dos destinos do clube.  

Uma atitude de homem


Independentemente do teor das declarações, não posso deixar de dar uma palavra de apreço para o Silas, que face às limitações regulamentares que o impedem de falar na Flash e em CI, veio ao exterior do estádio dar a cara e responder a todas as perguntas dos jornalistas. Quando deveria ter uma estrutura a vir a terreiro dar o peito às balas em defesa do treinador, teve de ser o próprio a dar a cara pela derrota. 

#SilasOut


O jornal de propaganda da direcção do Sporting já encontrou o bode expiatório. Ainda está para nascer o dia em que este pasquim dará uma medalha de lata a Frederico Varandas.


O reaparecimento do "Chicão"



Na noite em que o SCP foi humilhado em Alverca, Francisco Rodrigues dos Santos, carinhosamente tratado por "Chicão", reaparece no Cons. Nacional do CDS disponibilizando-se para a liderança do partido. Diz o rapaz que "não abandona o partido e não foge". Isto depois de ter fugido à última AG do Sporting onde teria uma série de explicações a prestar aos sócios. Questões como a incompatibilidade de funções entre o cargo que ocupa no conselho directivo do SCP com a de deputado (cargo ao qual concorreu e perdeu), mas sobretudo pelo facto de transformado o departamento de sócios do Sporting numa filial da Juventude Popular.

Que ao menos tenha a decência de pedir imediatamente a sua demissão do conselho directivo do Sporting. Mais informação sobre esta matéria (aqui) e (aqui).

"Tripla punição"


Como se tudo isto não fosse suficientemente mau, a direcção do Sporting decidiu ir mais longe e contestar na secretaria a vitória justíssima que o Alverca conquistou em campo. E aqui não me interpretem mal. Defendo que os regulamentos devem ser cumpridos - e até me parece que foram - mas há outras coisas que vão para além dos regulamentos. Nomeadamente, a dignidade.

Eu até aceitaria sem problemas alguns uma queixa do Sporting nesta matéria, desde que a mesma fosse feita no momento certo. E aqui até haviam dois momentos para a fazer. O primeiro desses momentos teria de ser obviamente na reunião preparatória da partida que ocorre entre os delegados das equipas, as forças de segurança, bombeiros e a equipa de arbitragem. Nesse momento são entregues as listas de convocados das equipas e restantes informações relevantes. Se o Sporting achava que o adversário estaria a usar um atleta que estava impedido de o fazer só tinha de apresentar a queixa neste momento. Era um gesto de respeito e de cortesia para com o adversário que até poderia retirar nesse momento o atleta da ficha de jogo morrendo o assunto por ali. Não foi isto que o Sporting fez.

Depois havia ainda uma segunda hipótese que passava por efectuar o protesto ao 4º árbitro logo após a bola ter começado a rolar e com o atleta em causa na equipa titular, para garantir a tal pretensa ilegalidade do adversário. Qualquer um destes dois momentos seria encarado por mim como um protesto digno. Antes de se saber o resultado e não depois da humilhação sofrida em campo.

Meus caros, o Sporting é um dos maiores clubes da Europa e do Mundo, tendo uma estrutura gigante e muitíssimo bem remunerada. Uma estrutura que supostamente deveria ser competente, mas que claramente não o é. E o responsável tem rosto e nome: Beto, team-manager do Sporting e responsável directo pela equipa.

E agora eu pergunto? Quando a equipa andou a preparar o jogo com o Alverca não estudaram o adversário? Não viram que o Luan (atleta em causa) era um dos titulares habituais do Alverca e que tinha sido expulso na última partida do Campeonato Nacional de Seniores? Quando prepararam o jogo e analisaram o adversário contavam com a utilização desse atleta por parte do adversário ou não? Se contavam com a não utilização do atleta, como é possível que não tenham feito um protesto formal de imediato quando viram o atleta a ser inscrito na ficha de jogo pelo Alverca? Enfim, cada um tirará as conclusões devidas.

Para concluir, dizer apenas que perdemos em campo, vamos perder na secretaria e já perdemos na dignidade ao levar um clube da terceira divisão para uma batalha na disciplina desportiva. O que vale é que o "Sporting já não é motivo de chacota".



Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)