quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Erros crassos


No final da partida com o Braga, Frederico Varandas decidiu falar aos jornalistas. Esta foi a primeira vez que os Sportinguistas viram o seu presidente falar no final de uma partida. Uma semana depois, e face ao que ocorreu ontem, é útil analisar a forma e o conteúdo do que foi dito há precisamente uma semana pelo Presidente leonino. 

Amadorismo


Antes de passar ao conteúdo da declaração, gostaria de analisar a forma como a mesma foi feita. Para isso recorro às imagens.


Como podem verificar, Frederico Varandas apresentou-se aos jornalistas presentes na zona mista precisamente no momento em que Abel Ferreira estava a dar a sua conferência de imprensa. Obviamente, as televisões continuaram com a conferência de Abel Ferreira, passando depois uma gravação das declarações de Frederico Varandas. Para depois passarem essas declarações gravadas de Frederico Varandas, as televisões têm de esperar que todos os protagonistas falem, para não perderem a via aberta na recolha de declarações em directo. 

É absolutamente vergonhoso que um clube como o Sporting tenha um departamento de comunicação com este nível de amadorismo. O problema é que este não é um caso isolado. É apenas e só mais um episódio na longa lista de patetices feitas pelo departamento liderado pelo benfiquista Gonçalo Vilela Santos da LPM. Para os mais desatentos, importa dizer que Frederico Varandas é presidente da SAD, e que um dos seus pelouros é precisamente o da comunicação, o que quer dizer que estas patetices são da sua directa responsabilidade. 

Para ser justo tenho de retirar desta equação o Paulo Cintrão, responsável pela comunicação da equipa de futebol. Quer Marcel Keizer, quer os jogadores falaram nos momentos certos e tiveram as suas intervenções a passar em directo nas televisões e sem se sobreporem a ninguém. 

Para fechar sobre esta matéria, dizer apenas que é muito triste ver a comunicação do Sporting a ser gozada - com argumentação válida - por um canal como a CMTV.

A intervenção 


Aqui fica a intervenção na integra para análise dos leitores.


Passo agora a analisar as três ideias chave da declaração.

A dedicatória a Keizer


O Presidente Varandas começou por dedicar a vitória a Marcel Keizer por este ter perdido um familiar próximo naquele dia. Foi uma excelente forma de começar a sua declaração mostrando-se solidário com o nosso treinador. Julgo que poderia fazê-lo em nome de todos os Sportinguistas. Ficaria ainda melhor. 

As três formas de lidar com a derrota


Após a bonita referência a Keizer, Frederico Varandas decidiu teorizar sobre as formas de lidar com a derrota. Disse então que "há 3 formas de lidar com a derrota, com "dignidade (olhando para dentro), com histerismo ou com cobardia". Da teoria, Varandas passou à prática e exemplificou. 

Considerou que perder com dignidade foi o que o Sporting fez com o Tondela ou com o Portimonense, onde na sua opinião a "equipa perdeu bem". Varandas exemplificou o perder com "histerismo" com a reacção que António Salvador teve no final desse jogo e fechou atirando a versão cobarde para o comportamento que Luís Filipe Vieira teve no dia anterior, onde fez um ataque feroz à arbitragem.

Curiosamente no tal jogo em que Varandas diz que "o Sporting perdeu bem" com o Tondela aconteceu isto.


Não sei em que categoria das "três formas de lidar com a derrota" é que Frederico Varandas enquadra o comportamento do Beto. E o que dizer do comportamento do senhor que foi substituir Beto no banco e que acabou expulso no jogo de ontem?


Dignidade, histerismo ou cobardia, caro Presidente?

Obviamente, estas declarações são um erro crasso de Varandas e um autêntico tiro no pé, como ontem se viu. Uma figura como o Presidente do Sporting tem de perceber que as suas declarações nunca podem ser fechadas. Nunca se pode balizar o que quer que seja da forma como Varandas fez. Ainda para mais, não tendo incluído a critica legitima ao trabalho de uma equipa de arbitragem. Estava na cara de que mais cedo do que tarde o Sporting seria gravemente prejudicado pela arbitragem. Foi preciso esperar apenas uma semana para isso acontecer.

Por falar em tiros nos pés, gostaria também de recordar que durante a campanha eleitoral, o então candidato Varandas dizia que só iria aparecer nos maus momentos, deixando o protagonismo para os jogadores nos bons momentos. Ora, não é isso que se tem visto. É precisamente o oposto. Varandas só deu a cara no final dos jogos depois da vitória contra o Braga e da conquista da Taça da Liga. Ninguém o ouviu falar depois dos jogos com o Portimonense, Tondela, Porto ou Setúbal.

Posto isto, depois da roubalheira de ontem eu gostaria de perguntar ao Presidente o seguinte: de que forma devem os Sportinguistas reagir ao que se passou em Setúbal. Com "dignidade (olhando para dentro), com histerismo ou com cobardia"?

Um tempo que não volta para trás 


Mas não se pense que só tenho críticas para o Presidente do Sporting. As declarações sobre o VAR e sobre a pressão inaceitável feita por Luís Filipe Vieira a Fábio Veríssimo, foram muito boas. E aqui destaco mesmo a relevância e qualidade da expressão utilizada: "um tempo que não volta para trás". E não pode mesmo voltar. Mas para isso não acontecer, o Presidente do Sporting tem de estar activo, tem de dar a cara pelo clube, não pode deixar que a bipolarização do futebol português volte a ser uma realidade, tem de fazer propostas para melhorar o futebol nacional, tem de encontrar aliados, tem de defender intransigentemente os interesses do clube e sobretudo tem de unir o Sporting, como tanto apregoou na campanha eleitoral. Algo que claramente não está a conseguir, pelo contrário. 

Um tempo que voltou atrás


Mas pior do que vermos erros próprios é vermos Frederico Varandas a repetir erros do Presidente anterior, até usando algum do palavreado recorrentemente usado por Bruno de Carvalho.  Ainda antes do jogo de ontem ter principiado, começou a circular na imprensa um editorial do Jornal Sporting com um ataque feroz ao Benfica, sendo que o mesmo estava assinado por Frederico Varandas. E aqui importa referir que o jornal só saiu hoje para as bancas e que foi a comunicação do Sporting quem decidiu passar em primeira mão para a imprensa esse editorial. Precisamente antes de um jogo decisivo para as contas do Sporting ter início. 


Como podem verificar, a notícia do Expresso foi publicada às 18:56, quatro minutos antes de se iniciar o jogo do Sporting em Setúbal. Quanto ao editorial em si não consigo perceber a estratégia de atacar o Benfica num momento em que nada de relevante aconteceu, até porque Varandas já tinha comentado as declarações de Vieira na Taça da Liga. Também não me parece que incendiar o ambiente antes do derby traga algo de positivo para o Sporting. Aliás, não faltará por ai gente a assacar responsabilidades morais a Varandas em caso de alguma coisa correr mal nos dois próximos derbys. 

Na realidade o karma é mesmo tramado e enquanto a notícia do editorial dedicado ao Benfica circulava pelos jornais e redes sociais, o Sporting deixava dois pontos em Setúbal, ficando a 10 pontos do Porto, a 5 pontos do Benfica e a 4 pontos do Braga. Se calhar era sobre isto que os Sportinguistas gostavam de ler um editorial...

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Nojo


Peço desde já desculpa aos leitores pelo título utilizado, mas a realidade é que não há nenhum adjectivo que expresse melhor o que sinto em relação à contratação de Tiago Ilori pelo Sporting.

A novela em torno da saída de Tiago Ilori


No Verão de 2013 o Sporting vivia a maior crise desportiva e financeira da sua história. Vinhamos de uma época em que terminamos no 7º lugar e de dois exercícios económicos que totalizaram quase 100 milhões de euros em prejuízos. A direcção de Bruno de Carvalho tinha entrado no clube no final de Março e estava por esta altura a negociar a reestruturação financeira. Só para se ter noção do estado financeiro do clube, recordo Nobre Guedes, financeiro de Godinho Lopes, que por esta altura dizia à boca cheia que o "Sporting não tem salvação". 

É preciso relembrar os Sportinguistas do momento que se vivia no clube para que fique claro que foi neste contexto que Tiago Ilori e Bruma decidiram entrar em conflito com o Sporting, numa jogada que teve a mão de Pini Zahavi. A novela em torno de Tiago Ilori começou logo no início de Maio, ainda com o campeonato em andamento. 


Nesta notícia é dito que "o objectivo primordial da nova direcção verde e branca prolongar o vínculo do jogador por mais algumas temporadas". Alguns dias depois é tornado público o interesse do Liverpool.


Portanto, chegamos a meados de Maio e o Sporting estava a tentar renovar com o jogador enquanto que apareciam já os primeiros interessados no concurso do atleta. Dessa altura, destaco a notícia seguinte, publicada em finais de Maio. 


Segundo a notícia, o Sporting ofereceu a Tiago Ilori um contrato com um vencimento progressivo que ia dos 350 mil euros na primeira época até aos 700 mil euros na última época. Isto daria um vencimento desta grandeza:
- 1ª época: 350 mil euros
- 2ª época: 437,5 mil euros
- 3ª época: 525 mil euros
- 4ª época: 612,5 mil euros 
- 5ª época: 700 mil euros

Tudo somado, estamos a falar de um contrato no valor global de 2,625 Milhões de Euros para um jovem valor que tinha 12 jogos feitos na equipa principal. E isto numa altura em que o Sporting passava grave dificuldades financeiras. 

No dia 7 de Junho, os jornais já davam o jogador como estando com um pé no Liverpool. 



No dia seguinte a estas notícias...


Tudo isto numa altura em que o jogador estava com a selecção no Campeonato do Mundo de Sub20. Neste mesmo dia há um artigo muito interessante do jornalista António Tadeia que resume bem o que se passava em torno desta novela. Deixo uma pequena citação: 

"Tiago Illori ainda tem mais dois anos de contrato. Não é mais um: são mais dois! Uma eternidade, portanto. Por isso, colocado perante este cenário, ao Sporting só restam duas alternativas que não se aproximem da gestão danosa. Uma é ficar com o jogador e esperar que ele mude de ideias. Se não quer se aumentado já, pode continuar a ganhar o que ganha agora; se quer jogar e progredir, fantástico; se não quer, pode ser que daqui por um ou dois anos a ver jogar os outros na bancada, ainda alguém lhe pegue. A outra alternativa é aceitar vendê-lo, mas a troco daquilo que faz mesmo falta ao Sporting. E o que lhe faz mesmo falta em Alvalade é dinheiro, dinheiro a sério, não os 4,5 milhões de euros que a imprensa diz que o Liverpool está na disposição de vender nem um marroquino para a única posição que no clube atual há excedentes de qualidade." - Link do artigo (aqui)

Avançando mais um dias nesta novela.



Como se pode ver, nos últimos dias do mês de Junho o jogador mostrou-se "deprimido" pelo Sporting não o querer vender por meia dúzia de trocos. Devido a toda esta novela, o seleccionador nacional deixou até o jogador no banco de suplentes de Portugal na estreia no campeonato do Mundo. Alguns dias depois alguns meios de comunicação social ingleses dão eco que o Liverpool desistiu do jogador devido ao braço de ferro entre Zahavi e o Sporting, para a renovação de contrato do jogador. 


Dias depois, nada melhor do que entrar em cena o interesse de José Mourinho.

Anunciado novo pretendente, voltam a surgir notícias sobre o estado psicológico do jogador.


Uma notícia que surgiu um dia antes de o jogador voltar a treinar com a equipa do Sporting. Três dias depois, o jogador fez uma fractura no 4.º metacarpo da mão direita e ficou afastados dos relvados entre 3 e 4 semanas. 

De seguida, começaram a aparecer pretendentes por toda a Europa. Aqui fica um breve resumo. 


A novela continuou a ser alimentada até ao último dia do mercado de transferências, altura em que Tiago Ilori foi transferido para o Liverpool por 7,5M, sendo que o Sporting ficou ainda com 25% de uma mais valia futuro. Algo que nunca chegou a acontecer. 

A entrevista


Dois dias depois de o Sporting ter confirmado à CMVM o negócio, Tiago Ilori decidiu dar a celebre entrevista onde disse que "estava preparado para ficar dois anos sem jogar". Declarações vergonhosas que serviram essencialmente para confirmar que a novela que se iniciou no início de Maio - ainda com o campeonato a decorrrer - e terminou no último dia do mercado, foi escrita por este senhor e pelo seu empresário. Curiosamente, foi Zahavi que voltou a ter Ilori no Sporting. Aposto que até abdicou da comissão...

Tiago Ilori e o seu empresário aproveitaram-se da fragilidade desportiva e financeira do Sporting para facturarem uns largos milhões e isso é inaceitável. Foram 4 meses de novela que acabou a contento desta gente. O Sporting resistiu até onde teve força, mas acabou mesmo por vender Bruma e Ilori em cima do fecho do mercado. A entrevista concedida depois da transferência serviu apenas para colocar a cereja em cima do bolo da ingratidão. 

Mal saiu a entrevista os Sportinguistas reagiram mostrando o seu descontentamento com a atitude do jogador. Desse dia para cá, nunca foi esquecido entre nós o exemplo do jogador que estava disposto a estar 2 anos sem jogar para sair sem que o clube recebesse um cêntimo. 

Nojo


Acabo com uma série de notas sobre o regresso do jogador:

- O vídeo de apresentação de Tiago Ilori é mais um enxovalho, e é sobretudo tomar os Sportinguistas como parvos. Usar a figura tão querida dos Sportinguistas como é o Paulinho para lavar a imagem da entrada de um traidor no Sporting, é um gesto muito baixo.

- Depois das tristes declarações, Tiago Ilori teve 5 anos para dar uma entrevista a contrariar o que disse, teve 5 anos para se desculpar pelas suas palavras e para mostrar algum tipo de arrependimento ou carinho pelo Sporting. Nunca o fez. 

- O destino pregou uma partida na carreira de Tiago Ilori. Ao longo destes 5 anos passou por 5 clubes. No Liverpool fez 3 jogos. Esteve emprestado ao Bordéus onde fez 15 jogos, ao Aston Villa onde fez 3 jogos e ao Reading onde fez 8 jogos. Em 17/18 foi comprado pelo Reading da 2ª Liga Inglesa por cerca de 3,75 milhões de libras (cerca de 4,3M de euros). Na época passada fez 34 jogos e nesta época ia com 24 jogos no 22º classificado da 2ª Liga Inglesa. Chega ao Sporting por 2,4M por 60% do passe, o que é ainda uma avaliação inferior aquela com que saiu do Liverpool. Isto para mostrar como a carreira do jogador tem vindo a decair. Face a tudo isto, ainda vamos estender a mão a quem tão mal nos tratou. Se a vida tivesse corrido bem a Ilori e estivesse num grande clube e não enterrado num clube que está na zona da descida para a 3ª Liga Inglesa, também teria vontade de regressar? Pois...

- Ver Tiago Ilori a jogar em frente aos sócios em Alvalade, a treinar na Academia onde formamos o nosso futuro e a receber dinheiro do Sporting é um enxovalho que me deixa com um profundo sentimento de revolta. A mensagem que estamos a passar aos nossos jovens da Academia é a que podem cuspir no prato que comeram porque a porta estará sempre aberta para os traidores. Para além do péssimo exemplo para os jovens da Academia, há ainda que referir que Ilori está a retirar espaço na primeira equipa a dois jogadores que têm todas as condições para fazerem parte do plantel da próxima época: Ivanildo e Domingos Duarte. O que pensarão eles do regresso de Ilori? 

- A responsabilidade por esta contratação é obviamente do Presidente Frederico Varandas, que demonstrou, mais uma vez, uma total falta de memória e de respeito pelos Sportinguistas e pelos valores do clube. A negociação com o Reading para o regresso de jogador dura há semanas e durante todo esse período os Sportinguistas manifestaram-se contra o regresso do jogador. Mesmo assim, o Presidente Varandas decidiu ir contra uma enorme maioria de sócios do Sporting e recuperar o traidor. Existem dezenas de defesas centrais com qualidade no mercado e dentro dos valores que podemos pagar. Porquê fazer finca pé na contratação de alguém que os Sportinguistas não gostam?

Deve ser esta a forma de "unir o Sporting" tão propalada na campanha eleitoral. Se continuarmos a unir desta forma, não faltará muito nos unirmos com gente como Bruma, Carrillo, Moutinho ou até quem sabe o Simão Sabrosa. 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Azia, compromisso e vídeo


O Sporting venceu esta fim-de-semana a Taça da Liga, depois de ter vencido o Porto no desempate por grandes penalidades, numa final 4 que ficou marcada por azia, compromisso e vídeo. 

A azia de Vieira 


A primeiro ataque de azia surgiu na primeira meia-final entre Benfica e Porto. No final do jogo, Luís Filipe Vieira atacou tudo e todos, tendo colocado em causa a honorabilidade de Fábio Veríssimo, VAR da partida. A realidade é que esse jogo fica marcado por 3 erros evidentes e possivelmente um outro erro de difícil análise para o VAR. O primeiro erro da partida foi a não marcação de um pontapé de penálti a favor do Porto, numa falta sobre Corona, num momento em que o jogo estava (0-0). Depois, o primeiro golo do Porto é precedido de falta no início da jogada. São dois lances evidentes em que Fábio Veríssimo deveria ter intervido. Depois há um lance evidente para segundo amarelo de Seferovic que o árbitro perdoou. Relembro que neste último caso o VAR nada pode fazer. 

O lance mais polémico da partida foi o golo "invalidado" ao Benfica. Nesse lance o árbitro auxiliar deixou prosseguir a jogada até ao final, de acordo com as recomendações. Aqui é preciso explicar que o árbitro auxiliar deixa o lance seguir para não parar a jogada e impedir a intervenção do VAR. Como sabemos, no final da jogada o árbitro auxiliar levantou a bandeira, considerando que estava em offside e correndo o risco de ser desmentido pelo VAR. Ao ver as imagens, parece-me que o jogador do Benfica não está offside, mas a realidade é que não dá para ter qualquer tipo de certeza absoluta olhando apenas para as imagens. O protocolo do VAR refere que só deve existir intervenção quando o lance for claro. Fábio Veríssimo não considerou o lance como erro claro e não interferiu. E aqui parece-me também evidente que se o árbitro auxiliar não tem assinalado o offside, Fábio Veríssimo teria tido a mesma opção. 

Tenho visto alguns comentários relativos à norma de "em caso de dúvida, beneficia-se o atacante". É muito importante que as pessoas percebam que esta premissa só é válida para os árbitros de campo. No caso do VAR, quando existe dúvida, prevalece a decisão da equipa de arbitragem. E foi o que aconteceu. 

Na minha opinião, parece-me que estas premissas são válidas para os lances objectivos como os de fora de jogo. Já em lances subjectivos, como os das grandes penalidades, parece-me que seria positivo haver uma alteração no protocolo por forma a permitir aos VAR mostrarem as imagens aos árbitros, sempre que estão estão com dúvidas. O árbitro viu o lance no campo e ao ter a possibilidade de ver as imagens fica com um total percepção do que aconteceu. 

A azia do trolha e do ressabiado


Depois da equipa principal do Benfica ter perdido com o Porto, foi a vez da equipa satélite jogar contra o Sporting. No final do jogo, o trolha e o ressabiado vieram a terreiro atacar a arbitragem. Para esses senhores deixo apenas as opiniões dos especialistas de arbitragem dos órgãos de CS.


A azia de Sérgio Conceição


Ao contrário de Vieira, Salvador e Abel, Sérgio Conceição não se refugiou em questões de arbitragem para justificar a derrota. No caso do treinador do Porto a azia manifestou-se durante a entrega das medalhas, tendo inclusivamente feito recolher a equipa para os balneários antes de o Sporting receber a taça. 

Devo dizer que não tenho nada contra o comportamento de Sérgio Conceição e dos seus jogadores. Identifico-me com a forma apaixonada como o treinador do Porto vive o futebol e sobretudo com a enorme vontade de ganhar que demonstra diariamente. Sérgio Conceição queria ganhar. Fez tudo o que estava ao seu alcance para ganhar mas perdeu. E na hora da derrota não teve problemas em mostrar a sua azia. Não vejo nenhum mal nisso e não considero sequer uma falta de respeito pelo Sporting e pelos seus jogadores não ter estado no relvado a assistir ao levantar da Taça. É a azia pura daqueles para quem a palavra derrota não consta no dicionário. 

Felizmente, no Sporting também temos gente dessa fibra. Da raça que nunca se vergará - e não vergaram mesmo, nem a jogar 14m com menos um - como Paulo Freitas ou Ângelo Girão. Bem sei que alguns Sportinguistas não gostam deste estilo, mas é este o estilo que quero ver no clube. Dignidade na hora da vitória e uma profunda azia na hora da derrota. Uma azia digna e que não passe os limites, como infelizmente aconteceu com o treinador de guarda-redes do Porto, que agrediu um adepto do Sporting à "medalhada". Mesmo não sabendo o que disse ou fez o adepto do Sporting, nada justifica o comportamento "Cantoniano" do senhor. 


Inacreditavelmente, o Sporting viu um dos seus adeptos serem agredidos por um agente desportivo e até ao momento, nem uma única palavra sobre o sucedido. É absolutamente vergonhoso que o Sporting não tenha colocado o tema na agenda e defendido o seu adepto. Pior ainda é vermos o Benfica a liderar o assunto.

Link da notícia (aqui)


Enquanto isso acontece, a comunicação do Sporting está mais preocupada em meter nas capas dos jornais o senhor que foi assistido por Frederico Varandas nas bancadas de Braga, do que em colocar o adepto que foi agredido pelo treinador do Porto, para que este tenha a possibilidade de explicar o que aconteceu.   

Compromisso


Toda a equipa demonstrou um enorme compromisso nesta final 4 da Taça da Liga, mas há dois jogadores que merecem destaque pela resiliência e compromisso para com o clube: André Pinto e Petrovic foram uns heróis em terem jogado naquelas condições. Pareceu-me que no caso de André Pinto não dava mesmo para aguentar mais, uma vez que até já andava em campo com as duas narinas tapadas. Quanto a Petrovic gostaria de salientar que foi graças ao seu esforço que Marcel Keizer conseguiu ter uma última substituição. A entrada de Diaby acabou mesmo por ser decisiva para a vitória, uma vez que foi o jogador que sofreu a grande penalidade que nos permitiu empatar a partida. 

Gostaria também de mais uma vez enviar um forte abraço a Nélson Pereira. O nosso treinador de guarda-redes tem também grande mérito nesta vitória. Com ele na liderança dos guarda-redes leoninos nunca perdemos um desempate por grandes penalidades. E vão 6 :
- Sporting 2x2 Braga (3x1) 14/15
- Sporting 0x0 FC Porto (4x3) 17/18
- V. Setúbal 1x1 Sporting (4x5) 17/18
- Sporting 1x0 FC Porto (5x4) 17/18
- Braga 1x1 Sporting (3x4) 18/19
- Sporting 1x1 Porto (3x1) 18/19

Por curiosidade, perdemos o Troféu 5 violinos nas grandes penalidades, mas nessa altura Nélson não estava na equipa, uma vez que tinha sido vergonhosamente afastado da equipa por Sousa Cintra.

Vídeo


Esta foi a quarta final disputada pelo Sporting nesta competição. Na primeira final frente ao Setúbal perdemos do desempate por penáltis. Na segunda final tivemos de levar com o senhor Lucílio Baptista e um dos maiores escândalos da arbitragem portuguesa. Este senhor conseguiu transformar uma bola no peito numa bola no braço, sem sequer ver o lance. Bastou-lhe o espalhafato feito por Di Maria. 


A realidade é que com VAR a funcionar nesta partida, o Sporting teria conquistado a sua primeira Taça da Liga. Importa também lembrar que a vitórias nas finais da época passada desta época só aconteceram porque o VAR viu duas grandes penalidades evidentes que os árbitros das partidas não conseguiram ver. Talvez com este pequeno exemplo as pessoas consigam perceber o porquê de alguns clubes questionarem tanto o VAR.

Para fechar


Toda esta chinfrineira feita pelos rivais serviu para valorizar a prova e a nossa conquista. Depois de tudo o que foi dito e depois de toda a azia, hoje ninguém terá a coragem de dizer que a Taça da Liga na vale nada. O meu agradecimento a todos os que contribuíram para isso. Esta é nossa! 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

O "folhetim" Acuna


Perante as notícias que têm surgido na imprensa nos últimos tempos é perceptível que a saída de Marcos Acuna do Sporting está para muito breve. Dentro deste "folhetim" entramos hoje na fase de justificação da venda, como se pode perceber pela notícia do jornal Ojogo.

A cláusula de Sousa Cintra



Diz o jornal Ojogo que "Sousa Cintra demoveu o argentino a rescindir em Maio e inclui-lhe uma cláusula no contrato depois de renovado".

Ora, é importante recordar que Sousa Cintra só se tornou presidente da SAD depois da destituição de Bruno de Carvalho a 23 de Junho. Isto é o mesmo que dizer que Sousa Cintra não teve qualquer interferência na tomada de decisão do jogador, uma vez que o prazo legal para exercer esse pedido de rescisão - com base nos acontecimentos de Alcochete - terminou um mês depois do incidente (16 Junho), numa fase que ainda era Bruno de Carvalho presidente do Sporting.

Depois é dito que Sousa Cintra incluiu uma cláusula que permitia a saída de Acuna por 20M. Algo que não é verdade, até porque não foi Sousa Cintra quem renovou o contrato com Marcos Acuna. Durante a gestão de Sousa Cintra existiram notícias que davam conta de negociações para a renovação do contrato, mas nada foi assinado entre as partes. Acuna só renovou contrato a 23 de Outubro de 2018, já com Frederico Varandas na presidência do clube, como se pode ver de seguida.

Link da notícia (aqui)
O comunicado do Sporting é muito claro quanto à cláusula de rescisão do atleta: 60M. De qualquer forma, se existe uma outra cláusula que permite ou dificulta a vida do Sporting caso apareça uma proposta de 20M, a mesma é da responsabilidade Frederico Varandas e não de Sousa Cintra. 

Ainda relativamente ao não pedido de rescisão é importante recordar que se havia jogador com debilidades argumentativas num processo contra o Sporting, esse jogador era Marcos Acuna. É também importante que os Sportinguistas não se esqueçam do comportamento do atleta no final do jogo na Madeira.


Por falar nos comportamentos do atleta, vamos recordar os últimos tempos. 

O pontapé de saída


No dia 14 foi noticiado na Rússia o interesse do Zenit no jogador. As informações rapidamente chegaram a Portugal e no dia seguinte já era noticiado o seguinte:


Portanto, a 15 de Janeiro o empresário de Acuna já andava por Lisboa a negociar a venda.

Um jogador revigorado


Depois de ter sido anunciado o interesse do Zenit e do empresário de Acuna ter estado em Lisboa, o jogador ganhou um "andar novo". A melhoria no rendimento do jogador foi clara e evidente para todos os que acompanharam essas partidas. As análises dos desportivos às exibições de Acuna também comprovam esta ideia. Uma vez que comecei por falar no jornal Ojogo, coloco aqui as crónicas desse jornal em relação às últimas exibições de Acuna. 

Acuna, melhor em campo frente ao Feirense e Moreirense

Para o jornal Ojogo, Acuna foi a "figura" contra Feirense (16/01) e Moreirense (19/01). No jogo seguinte frente ao Sporting de Braga para a Taça da Liga(24/01), o jornal disse isto:


Acuna teve nota 7 e só foi ultrapassado por Renan, que acabou por ser a figura da partida ao ter defendido 3 penáltis. No jogo contra o Porto, Acuna saiu ao intervalo, presumivelmente por dificuldades físicas. 

Portanto, dos 4 jogos realizados após ter sido tornado público o interesse do Zenit, Acuna foi o melhor em campo em 2 desses jogos e num terceiro só não foi o melhor porque Renan destacou-se nos penáltis. 

A pergunta do milhão de dólares


Quantas vezes foi Marcos Acuna considerado o melhor em campo no período da época que antecedeu o interesse do Zenit? A resposta é simples: ZERO!

Acuna fez 23 jogos pelo Sporting esta época antes do interesse do Zenit ter sido tornado público e nunca foi considerado o melhor em campo pelo Ojogo, sendo em apenas 3 ocasiões conseguiu ter nota 7: Rio Ave (Taça), Rio Ave (Campeonato) e Santa Clara (Campeonato).

Portanto, em 23 jogos só por 3 ocasiões conseguiu ter nota 7 dada pelo jornal Ojogo. Curiosamente, nos últimos 4 jogos teve duas notas 7 e uma nota 8. Isto é o que eu chamo de "jogar para a transferência".

Concluindo


O que aconteceu na Academia do Sporting foi inqualificável e não tem desculpa, mas não podemos apagar o comportamento que Marcos Acuna teve para com os adeptos do Sporting no final do jogo na Madeira e no aeroporto. Por isso mesmo, os seus argumentos num eventual pedido de rescisão eram muito fracos. De qualquer forma o jogador não entrou em confronto com o Sporting e acabou por ter sempre o apoio dos Sportinguistas. 

Relativamente à renovação do jogador, não consigo perceber como se renova com o atleta depois de ter passado pouco mais de um ano do início do seu contrato. Ainda para mais quando existia a expectativa de fazer uma venda. Parece-me que os sócios merecem uma explicação sobre esta matéria e também sobre a existência de alguma clausula especial.

Por outro lado, não consigo perceber o motivo pelo qual o jornal Ojogo tenta atirar para cima das costas de Sousa Cintra a responsabilidade de o Sporting não conseguir fazer mais de 20M pelo jogador. A tal cláusula falada (se existir) não é da responsabilidade de Sousa Cintra, mas sim de Frederico Varandas. Cheira-me a esturro e provavelmente só quando os valores forem comunicados oficialmente se perceberá melhor o porquê desta notícia. Vamos aguardar com serenidade.

Quanto aos valores falados, a informação que tenho (já com algum tempo) é que o Zenit ofereceu 16M fixos + 4M em variáveis e o Sporting pede 20M fixos + 4M em variáveis. Parece-me que a posição do Sporting é justa e os valores se enquadram na valia do jogador. 

Para fechar, é bom que a equipa técnica e a administração da SAD façam uma profunda reflexão interna sobre aquele que foi o comprometimento e a qualidade de Acuna antes do interesse do Zenit e depois do interesse. É que se isto vira moda, se calhar será uma boa ideia deixamos de investir em condições de treino e em treinadores e passamos a investir em notícias de jornal para motivar os jogadores...

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

sábado, 26 de janeiro de 2019

A 53ª final leonina


O Sporting disputa hoje a sua 53ª final de competições oficiais de futebol. Hora para recordarmos os resultados dessas finais.

Taça da Liga


O Sporting venceu uma das três finais que disputou. Chegados à quarta final temos o 4º adversário diferente. Por falar em finais da Taça da Liga, eram bom que os senhores do Benfica recordassem a célebre final da competição de 2008/2009. É que com VAR não tinham levado o "caneco" para casa. 

Taça de Portugal

O Sporting venceu 16 das 28 finais que disputou na Taça de Portugal. O Clássico Sporting-Porto só se jogou na final da Taça de Portugal por 4 ocasiões com duas vitórias para cada lado. 

Supertaça 


Das 9 finais disputadas na Supertaça, apenas uma derrota contra o Benfica. Destaque para as 4 vitórias frente ao Porto, adversário desta noite.

Campeonato de Portugal


Nos campeonatos de Portugal o Sporting conquistou 4 das 10 finais que disputou. O clássico Sporting-Porto foi disputado na final por 3 ocasiões com a vitória a sorrir sempre para o lado dos Dragões. 

Competições Europeias 



Em termos europeus, duas finais. A vitória da Taça das Taças e a derrota na Taça Uefa realizada no Estádio José Alvalade.

Confrontos com o Porto em finais


Analisando os confrontos com o Porto em finais de competições oficiais verificamos que o Sporting venceu 6 das 11 finais. Curiosamente, este século o Sporting venceu sempre o Porto nas 4 finais disputadas (3 Supertaças e 1 Taça de Portugal). 

Para mais logo


Como se costuma dizer, "as finais não se jogam, ganham-se" e é isso que o Sporting tem de fazer mais logo. De nada adianta todo o esforço e dedicação das partidas anteriores se no momento decisivo não conseguirmos levantar o "caneco". Vamos a isso, leões! 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

UEFA coloca Benfica e Porto no Top20 Europeu de clubes com maior dívida


Pelo 10º ano consecutivo a UEFA publicou o relatório de referência do licenciamento de clubes no futebol europeu. No documento foram analisados dados económicos de mais de 700 clubes das primeiras divisões europeias. Vejamos os dados relativos à dívida líquida recorrendo também aos dados dos dois relatórios anteriores.


2015



No ano de 2015 o Benfica apareceu neste estudo como o 2º clube com maior dívida em termos europeus. É também curioso que para além do Benfica, Jorge Mendes tenha mais 3 carruagens do seu carrossel neste lista: Valência (4º), Atlético (15º) e Mónaco (18º). 


2016



Em 2016 tivemos os 3 grandes neste ranking. Benfica a repetir o 2º lugar do ano anterior. O Porto no 16º lugar e o Sporting a fechar o ranking no 20º lugar. De notar que de acordo com este estudo o Benfica tinha mais dívida líquida do que Porto e Sporting juntos. Mais uma vez, os "amigos" de Mendes estão em grande nesta lista: Benfica (2º), Atlético de Madrid (6º), Valência (9), Porto (16º) e Besiktas (18º).


2017



No estudo publicado na semana passado vemos que o Benfica melhorou a sua situação, passando do 2º lugar para o 6º. O Porto seguiu em sentido inverso passando do 16º para o 14º lugar. O Sporting não se encontra na listagem dos 20 clubes com maior dívida em termos europeus. 

Quanto aos "amigos" de Mendes: Atlético de Madrid (3º), Benfica (6º), Valência (12º), Porto (14º), Besiktas (17º) e Mónaco (18º)

Os últimos dados publicados pelos clubes


Para fechar importa recordar os últimos dados relativos ao passivo dos três grandes, de acordo com os ReC do exercício de 17/18.



Porto lidera com um passivo de 464M. Benfica está com 398M e o Sporting com "apenas" 282M. Como referi os dados são relativos ao exercício 17/18, mas o Sporting publicou já as contas do 1º trimestre de 18/19. É que ao contrário dos rivais, os leões publicam as suas contas trimestralmente. 

Ora, de acordo com o ReC do 1º trimestre de 18/19 o Sporting está com um passivo de 281M, tendo conseguido uma descida de cerca de 1,3M neste período. Nada mau, para quem está falido, como dizem alguns comentadores da praça. Se o Sporting está falido, os rivais estão o quê? 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

O trolha e o ressabiado


O Sporting conseguiu ontem a qualificação para a Final da Taça da Liga após vencer o Sporting local no desempate por grandes penalidades. Há que salienta que a exibição do Sporting foi má, mas a realidade é que chegou e sobrou para arrumar com o Braga. Se jogamos mal e conseguimos o objectivo, imaginem o cesto que estes trolhas e ressabiados levavam se tivéssemos jogado à Sporting. Mas vamos ao tema do momento. 

O trolha e o ressabiado


Relativamente às queixas do trolha e do ressabiado em relação à arbitragem deixo as opiniões dos especialistas sobre os dois lances mais relevantes. 


Portanto, 7 dos 8 especialistas dizem que ficou por assinalar um penalti a favor do Sporting. Luís Godinho, VAR da partida, também achou que era penalti, por isso é que deu a indicação ao árbitro Manuel Oliveira, que não concordou. Tudo somado, em 10 especialistas só o senhor Fortunato Azevedo e o árbitro Manuel Oliveira é que acham que o agarrão ostensivo da camisola do Coates não era passível de pontapé de penálti. 

Relativamente ao golo anulado ao Braga, dá-se a extraordinária coincidência de apenas os senhores do jornal Ojogo considerarem que foi mal anulado. Luís Godinho, Manuel Oliveira e outros 5 especialistas consideraram o contrário. Portanto, 7 contra 3.

Relativamente à arbitragem estamos conversados. Fecho com algumas notas: 

Algumas notas finais


1) Este foi o 5º desempate por penáltis consecutivo do Sporting a vencer:

- Sporting 2x2 Braga (3x1) 14/15 
- Sporting 0x0 FC Porto (4x3) 17/18 
- V. Setúbal 1x1 Sporting (4x5) 17/18 
- Sporting 1x0 FC Porto (5x4) 17/18 
- Braga 1x1 Sporting (3x4) 18/19 

O denominador comum nestes resultados é o nosso Nélson Pereira, que foi vergonhosamente afastado por Sousa Cintra da equipa principal, mas que com o ingresso de Marcel Keizer regressou à equipa. Por isso quero deixar esta nota particular.

2) Os apanha-bolas

Parecendo que não, o jogo foi realizado oficialmente em campo neutro. Razão pela qual os apanha-bolas não deveriam ser os meninos do Sporting de Braga, que condicionaram o jogo ao atrasar a entrega das bolas aos atletas do Sporting, e até algumas vezes de forma provocatória deixavam as bolas caírem no chão, obrigando os atletas leoninos a baixarem-se para as recolher. Com tanto amor que os trolhas e os ressabiados sentem pelo Sporting, não me admirava nada que o procedimento continuasse a ser o mesmo na final. É bom que os dirigentes do Sporting abram os olhos e façam o seu trabalho, uma vez que a Liga anda a dormir. Se não nos queixarmos ninguém fará nada. 

3) Salvador não viu a Luz

O trolha começou a sua intervenção de ontem a agradecer o apoio dos seus adeptos. Foi pena não ter feito o mesmo depois do jogo na Luz, onde os seus adeptos fizeram 600kms e chegaram a casa com um "consumo médio" de um golo por cada 100km. 

4) Abel aos bilhetes

Abel muito criticou a Liga pelo preço dos bilhetes para o jogo de ontem. Bilhetes que estavam a 15€. É curioso que não tenha aberto a boca aquando da deslocação do Sporting à Pedreira no início da época. Os bilhetes para esse jogo custaram 25€ e o preço foi estipulado pelo Braga. Por certo na próxima deslocação do Sporting a Braga o ressabiado pedirá ao trolha para colocar os bilhetes a 5€. 

Quanto aos restantes comentários que fez no final do jogo, tenho a dizer que não merecem resposta. Ninguém pode ligar ao que diz um tipo que na época passada - curiosamente, antes do jogo com o Benfica - disse que não conhecia Sérgio Conceição pessoalmente, quando trabalhou com ele no Braga durante 7 meses, sendo que foi o próprio Sérgio Conceição que deu o aval à sua contratação. 

Realço só que gostei particularmente de ver Abel Ferreira a falar em linhas de fora de jogo, quando no jogo de ontem não existiu nenhum lance polémico de offside. O ressabiado já deve estar a interiorizar uma passagem para a equipa A na próxima época.  

5) Braga 2020

Importa recordar que a Liga atribuiu a Final 4 da Taça da Liga ao Municipal de Braga por 3 anos. Todo o chinfrim em torno do G15 serviu para Pedro Proença beneficiar o testa de ferro do movimento que assim ganhou uma vantagem competitiva e financeira sobre os concorrentes. Dá sempre jeito a Pedro Proença estar nas boas graças do trolha que lidera o movimento dos clubes que assumem como pequenos. É uma vergonha ver os presidentes dos outros clubes calados sobre esta matéria, especialmente o presidente do Vitória de Guimarães. 

6) Ganhar, ganhar, ganhar

A vitória de ontem não interessará para nada se no Sábado não vencermos a competição. É bom que tenhamos a consciência disso. Agora é descansar e preparar bem o jogo por forma a voltarmos a levantar o caneco. Foco total no que temos de fazer para ganhar! 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Não há desculpas


O Sporting joga hoje a qualificação para a final da Taça da Liga frente ao Braga no Municipal local. Falamos de um jogo que nos pode dar a terceira final no espaço de um ano, depois da vitória na Taça da Liga frente ao Vitória de Setúbal e da derrota na Taça de Portugal frente ao Desportivo da Aves. 

Sendo o campeonato uma miragem é muito importante que o Sporting vença as Taças que disputa e aqui não pode haver nenhum tipo de desvalorização em relação à Taça da Liga. Quem me lê regularmente sabe que não desvalorizo esta competição. É muito importante que o Sporting continue a disputar os principais troféus em Portugal numa base regular, o que faz com que este jogo tenha uma importância adicional também por isso. 

O adversário tem uma boa equipa, está melhor classificado do que o Sporting no campeonato e joga em "casa", mesmo sabendo que o Estádio será divido em zonas iguais para os dois clubes, mas...

Não há desculpas


Uma vez que nas últimas semanas o discurso do miserabilismo voltou a Alvalade, gostaria de lembrar alguns Sportinguistas da grandeza do Sporting Clube de Portugal quando comparada com o "grandeza" do Sporting local. 

- O Sporting tem um orçamento quatro vezes superior ao do Sporting de Braga (atirando por baixo);
- As infraestruturas do Sporting são superiores em tudo às do Sporting de Braga;
- O Sporting tem mais adeptos no distrito de Braga (para não dizer na cidade) do que o Sporting de Braga tem em todo o mundo;
- Na minha opinião, nenhum dos jogadores do plantel do Braga seria titular no Sporting. Nem um! 

Olhando para o plantel, para as infraestruturas, para o investimento e para os adeptos, o Sporting tem de ser claramente favorito na partida de mais logo. Como se tudo isso não fosse suficiente, do outro lado da barricada estará um trolha e um ressabiado que têm de ser colocados no devido lugar. Por tudo isto está na hora de provarmos a nossa valia, de assumirmos as nossas responsabilidades e de conseguirmos a qualificação para a final. Sem discursos miserabilistas e sem desculpas. É para ganhar! 

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Indignidade


No passado sábado o Sporting venceu o Moreirense por 2-1, numa partida que ficou marcada por uma apitadela inenarrável de Rui Costa e por uma exibição muito cinzenta dos leões. Fora das quatro linhas o jogo ficou marcado pelo regresso a Alvalade de William Carvalho que assistiu à partida nas bancadas.


O regresso 


Muito se especulou nas redes sociais sobre se William Carvalho tinha ido para a tribuna ou para um camarote. Mais relevante ainda era a dúvida sobre se tinha comprado o seu lugar ou se tinha sido convidado pelo Sporting. Olhando para as notícias dos três jornais desportivos é fácil perceber tudo o que aconteceu. Aqui ficam os prints das notícias e o print de um post de Instagram que William Carvalho colocou na sua conta de Instagram:




Camarote ou Tribuna? 


O jornal Ojogo foi o único órgão de comunicação social a referir que o jogador viu a partida num camarote. Algo que é confirmado pelo post que o jogador colocou no seu instagram. Nele é possível verificar que viu o jogo junto à linha final. Se fosse na tribuna seria precisamente na linha de meio campo. 

Pagou o seu bilhete ou foi convidado?


O jornal Abola é o único a referir explicitamente que o ex-jogador do Sporting foi "convidado pela direcção do Sporting". Há ainda uma outra forma de confirmar que se trata mesmo de um convite. Reparem na foto do jornal Abola que coloco de seguida:


Na foto é possível ver que ao lado de William Carvalho está o responsável "oficial" máximo pela comunicação, o benfiquista Gonçalo Vilela Santos. Curiosamente este sujeito conhece o jogador dos tempo em que era gestor de conta da Nike através da LPM. Na fila de baixo está Miguel Cal, administrador da Sporting SAD. Isto quer dizer que os lugares daquele camarote não estão para venda uma vez que estão reservados a altos dirigentes/funcionários do clube. A notícia da Abola é clara a dizer que houve convite da direcção do Sporting, mas fica também este pormenor para que se perceba que o jornal não falhou no que informou. 

Em amena cavaqueira com Frederico Varandas


No intervalo da partida a transmissão televisiva da Sporttv mostrou o ex-jogador do Sporting em amena cavaqueira com Frederico Varandas numa primeira fase e depois com Miguel Cal, administrador da SAD.


Resumindo e concluindo


Os factos 
Portanto, o conselho directivo do Sporting decidiu convidar William Carvalho para assistir ao jogo num camarote com todas as comodidades e ao lado de altos quadros da estrutura leonina. No intervalo da partida o Presidente do Sporting decidiu abandonar a tribuna presidencial e os seus convidados para se dirigir ao camarote onde se encontrava William Carvalho para falar com o ex-jogador do Sporting. Tudo isto é factual.

A rescisão unilateral
William Carvalho esteve no Sporting mais de metade da sua vida (14 épocas), tendo chegado a capitão de equipa e sendo um dos jogadores mais respeitados do clube. Apesar de tudo isto, decidiu rescindir unilateralmente com o clube que lhe deu tudo, utilizando uma "justa causa" que não existe e que é um mero copy paste das justificações patéticas apresentadas pelos restantes jogadores.

É engraçado que William Carvalho tenha perdido o medo de sair à rua e tenha deixado de acordar a meio da noite com suores frios. Talvez o chorudo ordenado que aufere em Sevilla (fruto da canalhice que fez ao Sporting) lhe tenha permitido fazer um tratamento inovador para curar essas maleitas. Usando algum tratamento inovador ou não, o que é certo é que está recuperado e só vê paz e amor na sua vida. Tanto assim é que no dia que assinou contrato com o Bétis, começou logo a beijar o escudo do clube. Provavelmente, será só até ao dia em que encontrar uma qualquer teoria de treta para rescindir contrato e seguir para paragens mais abastadas.

A rescisão unilateral levou o Sporting a vender o jogador por uma verdadeira bagatela em mais um negócio ruinoso de Sousa Cintra. Falamos de um jogador que foi vendido por 16M com 4M por objectivos, sendo que deste montante apenas 500 mil euros é realizável como já expliquei (aqui). Recordo que no ano anterior o Sporting rejeitou liminarmente uma proposta do West Ham de 25M + 10% de uma venda futura e ainda variáveis.

A posição dos órgãos sociais
Se os órgãos sociais do Sporting fossem dignos já teriam tomado medidas contra os atletas que rescindiram contrato com o clube. A começar pelo Conselho Fiscal e Disciplinar que já deveria ter aberto um processo disciplinar com vista à expulsão de sócios de todos aqueles que rescindiram contrato com o Sporting. Haverá acto mais lesivo do que rescindir de forma unilateral - usando argumentos mentirosos - para colocar em causa o futuro de clube? Se isto não dá expulsão de sócio, não sei o que dará. Quanto a esta matéria, se o CFeD não tomar medidas, talvez esteja na hora de os Sportinguistas fazerem as respectivas participações disciplinares.

Por parte do Conselho Directivo e da administração da SAD o que se pede é que defendam a honra do clube e dos seus associados. William Carvalho cuspiu no prato onde comeu durante todos estes anos, assim como cuspiu na cara de todos os Sportinguistas. Ver o conselho directivo e a administração da SAD validar estes comportamento com convites VIP e palmadinhas nas costas é uma desonra e um acto indigno para com os Sportinguistas.

Pior ainda. Esta atitudes são de uma completa falta de respeito próprio pelo Sporting. Do ponto de vista interno é um sintoma terrível que se está a passar aos jogadores que decidiram manter-se fieis ao clube, assim como para os jovens que estão a sair da Academia. O Sporting vive neste momento na eminência de perder um talento como Tiago Djaló, que provavelmente rumará a outras paragens sem que o clube seja ressarcido. O que o Sporting está a dizer é que o jogador pode ir à sua vida que será sempre bem-vindo em Alvalade. Ele e todos os outros que estão na nossa Academia. Podem rescindir, podem dizer que estão disponíveis para ficarem sem jogar que tudo se perdoa, como o Sporting está a perdoar a Tiago Ilori tentando resgatar um jogador que teve um comportamento vergonhoso para com o clube.

Do ponto de vista externo a ideia que passa é ainda mais assustadora. O Sporting está a dizer a todos os outros agentes desportivos, políticos, judiciais e outros, que se pode brincar com o clube sem que existam consequências. Os árbitros podem fazer as apitadelas que quiserem, os jornais podem inventar o que quiserem sobre o Sporting, os agentes de jogadores podem fazer o que quiserem com os jogadores, as instituições de justiça desportiva podem castigar como lhes aprouver o Sporting, os clubes podem brincar com o Sporting, etc. Está tudo na paz do senhor e todos serão recebidos com pétalas de rosas quando vierem a Alvalade. E depois ainda há Sportinguistas que ficam admirados com o tratamento que o clube recebe de muita desta gente.

Neste jogo com o Moreirense o senhor Rui Costa teve uma prestação absolutamente vergonhosa. Perante isto o Sporting não disse uma única palavra. Talvez porque o máximo responsável pela comunicação, um administrador da SAD e o próprio presidente estiveram mais preocupados em prestar vassalagem um sujeito que não merece um pingo de respeito. Enfim, são estas as prioridades de quem lidera o clube.

Para fechar, parece-me que já vai sendo tempo de esta indignidade acabar de uma vez por todas, sob pena de vermos definhar ainda mais o Sportinguismo.

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

A relevância da liderança no final da primeira volta


Fechada a primeira volta do campeonato que não foi nada positiva para o Sporting, deixo uma análise aos resultados dos últimos 20 anos para demonstrar a importância de fazer uma grande primeira metade de campeonato. 

Os campeões de inverno



No quadro anterior é possível vermos os líderes do campeonato no final da primeira volta dos últimos 20 anos. Como podem verificar, o Porto lidera este "ranking" de forma destacada. Nos últimos 20 campeonatos o Porto chegou ao final da primeira volta na liderança por 11 ocasiões. Benfica conseguiu por 4 vezes, Sporting em 3 ocasiões e Braga e Boavista por uma ocasião. 

Campeões de Inverno Vs Campeões Nacionais


Retirando esta época da análise - porque ainda não há campeão - é possível concluir que a probabilidade de a equipa que termina a primeira volta em 1º lugar fechar a Liga como campeã nacional é muito grande. Em 14 das 19 últimas edições, o "campeão de inverno" festejou o título nacional em Maio. 

As igualdades no final da 1ª volta


Em duas das cinco ocasiões que o "campeão de inverno" não se sagrou campeão nacional, o número de pontos do líder no final da 1ª volta era o mesmo de outros concorrentes. Aqui ficam os 2 casos.

2004/2005 - Benfica campeão
No final da primeira volta de 04/05 o Sporting era líder mas com os mesmos pontos de Benfica e Porto. Acabou por ser uma luta quase até ao último suspiro com o derby do Estádio da Luz com o mítico lance faltoso de Luisão sobre Ricardo deu o título ao Benfica.

2009/2010 - Benfica campeão
- Em 09/10 o Braga foi "campeão de inverno" mas só por uma questão regulamentar uma vez que tinha os mesmos pontos que o Benfica. Esse campeonato acabou por ser decidido na última jornada. 

Relativamente a estes dois campeonatos nem sequer se pode falar de uma verdadeira recuperação. 

A 3 "verdadeiras" recuperações


1999/2000 - Sporting campeão
O Porto liderava o campeonato no final da primeira volta com 3 pontos de avanço do Sporting. Os comandados de Augusto Inácio conseguiram recuperar esta desvantagem sendo que o clássico de Alvalade foi crucial para a conquista do campeonato. 

2011/2012 - Porto campeão
No final da primeira volta o Benfica liderava o campeonato com um avanço sob o Porto de 2 pontos. A liderança do Benfica manteve-se até à 21ª jornada, altura em que o Porto foi ao Estádio da Luz vencer por 3-2 e assumir a liderança da Liga 

2015/2016 - Benfica campeão
Sporting acabou a primeira volta com 4 pontos de avanço de Porto e Benfica. A recuperação do Benfica ficou consumada na 25ª jornada quando o Benfica ganhou no Estádio de Alvalade por 1-0. 

"Aspirações intactas"


As conclusões que retiramos destes números são claras. Quem acaba a primeira volta na liderança muito dificilmente não se sagra campeão nacional. Como vimos isto aconteceu "verdadeiramente" em 3 ocasiões nos últimos 19 campeonatos e nestes casos o jogo entre os candidatos na segunda volta foi decisivo. 

Posto isto, a conclusão é simples: Neste século nunca nenhum clube recuperou de uma desvantagem superior a 4 pontos no final da primeira volta. Neste momento, o Porto tem 5 pontos de vantagem do Benfica e 8 do Sporting e joga com ambos no Estádio do Dragão na 2ª volta. 

Serve este exercício para demonstrar que os campeonatos se começam a ganhar desde a primeira jornada e que nos momentos certos é preciso ganhar os confrontos directos para recuperar ou ultrapassar quem vai na frente. Tenho de voltar a bater na tecla da falta de atitude competitiva e de mentalidade vencedoa. Foi muito isto que faltou no Sporting para partir em busca da vitória no clássico da semana passada, mesmo sabendo que seria preciso correr alguns riscos. Riscos que tinham de ser corridos por quem se deixou ficar para trás na corrida ao título.

Vencer o jogo reduziria a diferença para 5 pontos e qualquer percalço do Porto poderia colocar o Sporting a depender apenas de si na luta pelo título. Infelizmente, o empate foi o resultado final e o Sporting tem de recuperar 8 pontos ao Porto. Tantos quanto o número de pontos desperdiçados pelos Dragões na primeira metade de campeonato. Só um milagre. E daqueles que dão direito a canonização.

Mas, mais cego do que quem não vê e do que quem não quer ver, são aqueles que querem que outros vejam coisas que não existem. Dizem os senhores da comunicação do Sporting no Jornal do clube que as nossas aspirações ficaram intactas depois de um um clássico que nos deixou no 4º lugar da Liga a 8 pontos do líder.


Do mal o menos, ninguém se aleijou...

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)