" Mister do Café: Os delegados do Reino do Algarve

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Os delegados do Reino do Algarve


Depois do post sobre a "coordenação" entre o jornal Record e a Associação de Futebol do Algarve, quero falar um pouco do comunicado sobre a incompatibilidade de funções dos seus delegados. Vou colocar o comunicado na integra mas dividido por vários prints para ir comentando ponto a ponto. Vamos lá.

Levantou poeira...



Desde logo é muito interessante verificar que o comunicado principia com a teoria da poeira. Uma pequena variação à "teoria da lama" utilizada por amigos de outras andanças. Com sorte ainda vão exigir uma indemnização de 14 milhões.

Não posso falar pelos comentadores, nem pelos blogues ou redes sociais. Falo por mim. E perante a teoria das suspeitas lançadas, tenho a dizer que o que escrevi não são suspeitas, são factos. E bem sei que isso causa alguma irritação no reino do Algarve, mas é a vida.

O momento de comédia deste comunicado chegou ao terceiro parágrafo, quando os senhores do reino do Algarve trazem à colação o código deontológico dos jornalistas e a conivência das direcções de informação. E ainda bem que foi a própria Associação de Futebol a levantar essa questão, até porque encaixa como uma luva no senhor Armando Alves, jornalista do Record desde 1 de Setembro de 1986. Curiosamente, o senhor Armando Alves acumula a função de jornalista nesse diário com o cargo de Coordenador editorial da revista da AF Algarve desde Janeiro de 2006, como demonstrei (aqui).

Já que falam no código deontológico dos jornalistas e perante a notícia publicada ontem por Armando Alves no jornal Record, quero deixar aqui o que diz o código deontológico dos jornalistas:

Link (aqui)
É engraçado perceber como este ponto 10 do código deontológico se enquadra na perfeição em Armando Alves e na AF Algarve. Incompatibilidade? Nahhh. E o Record continua a bater palmas a isto.

Continuando com a análise ao comunicado:

"Função não é cargo" ou "dolo sem intenção"



É importante que as pessoas percebam que este comunicado omite questões de extrema relevância. Falam num parecer do Conselho de Justiça mas não referem que conselho de Justiça é esse. Será o Conselho de Justiça da FPF ou o Conselho de Justiça da AF Algarve? Por que será que isto foi omitido? Estarão com medo de dizer que o parecer é do Conselho da Justiça da própria associação? E é um parecer vinculativo? Se sim, vincula quem: AF ou FPF? E porque é que o parecer não é divulgado para que de uma vez por todas se fique a perceber quem o assinou e as verdadeiras fundamentações?

Depois, estes senhores não têm a coragem de dizer que o tal parecer é datado de 2005. E eu pergunto: que relevância pode ter um parecer com 12 anos, face a todas as alterações sociais e regulamentares que foram feitas ao longo deste período?

Segundo o comunicado, esse parecer milagroso afirma que não existe incompatibilidade porque "a condição de delegado se traduz no exercício de uma função e não no exercício de um cargo". Ora digam lá que isto não é surreal. Mais um "dolo sem intenção" para a mesa do canto se faz favor...

Vejamos o que dizem os estatutos da AF Algarve:

Artigo 9º ponto 4 - Link (aqui)

No comunicado, os senhores do reino do Algarve "lançam poeira para o ar" afirmando que a AF Lisboa não é uma associada da Liga, que é a entidade que gere os delegados. Isso é um facto tão indesmentível como irrelevante para o caso. O enquadramento à situação de incompatibilidade está sublinhado a amarelo no print anterior, e está relacionado com a ilicitude de "exercer cargos em quaisquer organizações nacionais directamente relacionadas com o Futebol". Ora, se a Liga de clubes não é uma organização ligada ao futebol, vou ali e já venho...

Critérios de admissão de delegados para 2017/2018 - Link (aqui)
É importante referir que no concurso de admissão de delegados para esta época está a condição de não serem agentes desportivos ligados por qualquer forma ao futebol profissional. Aqui está mais um ponto que prova o completa irrelevância de um parecer com 12 anos.

Mas existe ainda um argumento mais importante e que desmonta por completo a validade do parecer.

Parecer não se enquadra na função de Reinaldo Teixeira



Como já vimos, para além de Reinaldo Teixeira, coordenador dos delegados da Liga e Presidente da Mesa da Assembleia Geral da AF Algarve, também Albertino Galvão, delegado da Liga e vice-presidente da AF. Algarve está em situação de incompatibilidade.

Em 2005 o parecer foi emitido para o caso de Reinaldo Teixeira que na altura era delegado da Liga. Logo, quanto muito poderia ser usado como arma de defesa de Albertino Galvão nos dias de hoje, uma vez que ocupa o cargo de delegado da Liga.

Actualmente Reinaldo Teixeira não é delegado da Liga, mas sim coordenador de todos os delegados, logo esse parecer nem sequer se enquadra na situação actual do líder dos delegados. E aqui eu faço a pergunta do milhão de dólares: Coordenador dos delegados da Liga é um cargo ou uma função?

Estou muito curioso para saber o que vão inventar a seguir para justificar um claro caso de incompatibilidade.

Quem escreveu o comunicado? 



É interessante verificarmos que a AF Algarve decidiu dar uma explicação histórica sobre a forma como os delegados eram escolhidos, algo que foi alterado há dois anos. Até por aqui se percebe que por todas as alterações regulamentares e sociais, o parecer de 2005 está completamente desactualizado e só serve para perpetuar no poder alguns artistas como os que tenho aqui apresentado. Mas porque é que a AF Algarve tem de se pronunciar sobre isto?

A AF Algarve vai ainda mais longe e assume as dores do coordenador dos delegados, ameaçando "sem pretender, por ora, entrar na verdadeira razão pela qual alguns colocaram a circular estas questões, mas conhecendo a quem poderiam beneficiar". E aqui acho que há matéria mais do que suficiente para a comissão de instrutores da Liga abrir um processo de averiguações. O que é que a AF Algarve está a insinuar?

Um verdadeiro ditado


Digam lá que este comunicado não parece um ditado. E continua...


A AF Algarve considera que o concurso para novos delegados se realizou em "moldes inovadores". Lindo!!! Mas o que é que a AF Algarve tem a haver com os moldes em que realizou a escolha de delegados? E ainda tiveram a lata de "lançar mais poeira para o ar" afirmando que existiam 8 vagas para 400 candidatos. Algo que é mentira! Existiram sim 4 vagas para 400 candidatos e depois mais 4 vagas para os senhores que fizeram a pós-graduação dos 3600€.

E para fechar, a própria AF Algarve ainda acusa candidatos "não aprovados" de fomentarem esta polémica. Algo que também é falso. Não vi nenhum dos "não aprovados" a reclamar publicamente. Quem deu a cara contra a forma a Liga renovou os quadros foram dois ex-delegados: César Pereira e Ana dos Santos.

A dignidade e a honra



É engraçado vermos um comunicado assinado por um dos visados neste assunto, como é o caso de Albertino Galvão, vice-presidente da direcção. De facto, é sempre mais fácil ser juiz em causa própria.

Para fechar, a ameaça habitual a todos os que atentaram contra o "bom nome, a dignidade e a honra da instituição e dos que emprestam o seu tempo ao serviço da mesma." Por falar em questões deste género, Alves Caetano, presidente da AF Algarve é um expert na matéria.





Resumindo

- A AF Algarve está preocupada com o código deontológico dos jornalistas, mas tem nos seus quadros Armando Alves como coordenador editorial da revista da AF Algarve. Esse senhor acumula as funções com as de jornalista do jornal Record. Foi também esse senhor quem escreveu uma notícia manipuladora sobre a  AF Algarve na passada segunda-feira entrando em incumprimento do ponto 10 do código deontológico dos jornalistas.

- O parecer tem 12 anos e não está claramente adequado ao futebol actual. Na altura os delegados eram nomeados pelas Associações e pelos clubes. Hoje há um processo de selecção completamente diferente e uma das condicionantes passa pelo facto de os candidatos não estarem ligados de qualquer forma ao futebol profissional.

- O parecer foi feito para a função/cargo de delegado, logo nunca pode ser utilizado para defender a situação de Reinaldo Teixeira que é coordenador dos delegados.

- Neste comunicado, a AF Algarve assume de forma vergonhosa as dores de Reinaldo Teixeira e tenta a todo o custo defender o escandaloso processo de renovação dos quadros de delegados onde Reinaldo Teixeira teve um papel fundamental.

- A falta de vergonha ficou também bem patente quando um dos "incompatíveis" teve a lata de assinar este comunicado.

E é este o futebol que temos em Portugal. A Liga e a FPF continuam a assobiar para o lado, mas não o vão conseguir por muito mais tempo. Já o disse e volto a repetir, ainda nem cheguei a meio do caminho sobre este assunto.


Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

12 comentários:

  1. Neste país de corruptos, só se espera corrupção no mundo do futebol.

    ResponderEliminar
  2. Paira no ar futebolístico português um certo ambiente de queda de ditadura. Nos últimos 4 anos, as cartilhas, as apitadelas e os relatórios dos meninos queridos andaram sobre rodas, sem escrutínio, como se tudo fosse apenas resultado de onze contra onze dentro das quatro linhas. Mas hoje já não é assim. Hoje, é muito claro para toda a gente a forma como as coisas funcionam. O problema, quanto a mim, é que as ditaduras, quando acossadas e na sua fase final, se tornam geralmente ainda mais repressivas e violentas. É o que temo que aconteça na época que se avizinha. Enquanto os elementos podres das estruturas não começarem mesmo a cair, as verdadeiras mudanças não irão acontecer. Numa imagem menos grandiosa do que a de uma ditadura, eu diria que é como um ladrão que, ao ser descoberto a roubar, tenta encher ainda mais o saco antes de começar a fugir.

    ResponderEliminar
  3. Carregue Mister, em cima desses corruptos todos...

    ResponderEliminar
  4. Mister, isto não vem a propósito -ou talvez venha, afinal é mais uma ajuda para perceber a badalhoquice que grassa na Liga- e a minha intenção é, apenas, levar ao seu conhecimento. Querendo publicar assim, publique; ou, se entender que o assunto merece a sua intervenção, deixe-o de lado e use do modo que lhe parecer melhor. Um abraço. SL

    "Apresentação de Keaton no Benfica gera indignação e ganha capítulo surreal

    Liga e Federação não se entendem em relação às decisões de um processo que decorre no Tribunal Arbitral do Desporto e na Comissão Arbitral Paritária. Jogador ainda não foi inscrito.

    A novela em torno do norte-americano Keaton Parks, que foi apresentado na segunda-feira como reforço do Benfica B para as próximas quatro temporadas e deixou os responsáveis do Varzim indignados, ganhou mais um capítulo surreal. Depois de a Liga ter aceitado a inscrição do médio, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) não homologou a mesma e o jogador arrisca-se a ficar sem jogar nos próximos meses.

    Contratado pelos poveiros aos norte-americanos do Liverpool Warriors em 2015, o jogador de 19 anos deu nas vistas na equipa B varzinista e conseguiu, na época passada, destacar-se pela formação principal na II Liga, apontando dois golos em 13 jogos, mas deixou entretanto de ser utilizado e alegou salários em atraso para rescindir com justa causa. O Varzim intentou uma ação que ainda decorre no Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), mas a Liga impulsionou, depois, um processo na Comissão Arbitral Paritária (CAP), que tinha sido extinta e foi entretanto reativada, que reconheceu a justa causa sem que clube poveiro tivesse sido ouvido.

    No meio deste imbróglio e com o objetivo de impedir a inscrição do médio para esta época, o Varzim interpôs uma providência cautelar e o TAD decidiu que a CAP não tem competência para julgar o caso, impedindo Keaton de ser inscrito por outro clube até que seja conhecida a decisão. Sustentada na aprovação da CAP, a Liga aceitou a inscrição de Keaton Parks e enviou a mesma para a FPF que teve outra leitura e baseou-se na decisão da TAD para recusar inscrever o jogador, já tendo notificado o Benfica.
    ..."
    (in onojo online de hoje. Se quiser ler a notícia completa:
    http://www.ojogo.pt/futebol/1a-liga/benfica/noticias/interior/apresentacao-de-keaton-no-benfica-gera-indignacao-e-ganha-capitulo-surreal-8666839.html

    O que mais me chocou:"... a Liga impulsionou, depois, um processo na Comissão Arbitral Paritária (CAP), que tinha sido extinta e foi entretanto reativada, que reconheceu a justa causa sem que clube poveiro tivesse sido ouvido."

    Vale tudo, até ressuscitar "mortos" para obter um parecer positivo!

    ResponderEliminar
  5. Muito bom. Está gente deveria ter vergonha. Um grande abraço Mestre.

    ResponderEliminar
  6. Ha dois anos o Farense combinou descer de divisao por troca com Benfica B. Coincidência?

    ResponderEliminar
  7. Boa noite, Mister...

    Resolvi alertar para um facto k acho estranho.

    Como é k um blog deste nível, se permite direcionar um link direto para a baixaria anti sporting de 'O fura redes'?

    SL

    ResponderEliminar
  8. Código deontológico de jornalista?
    Isso existe?
    Força Mister!

    ResponderEliminar