domingo, 4 de setembro de 2016

Reestruturação financeira para totós


A máquina de propaganda lampiâ prepara-se para novo ataque, no que aos valores recebidos pelo Sporting diz respeito. Os primeiros sinais foram dados nos últimos dias, com a publicação daquilo que designo de "contas da treta" em blogs ligados ao Benfica e obviamente no Correio da Manhã. 

Os carregadores de piano


Como habitualmente, é o Correio da manhã a dar o pontapé de saída. Senão, vejamos:



No dia 30, véspera do fecho de mercado, eis que o Correio da Manhã aparece a falar nos 50% que o Sporting tem que entregar à banca. Depois foi a vez dos blogs afectos ao Benfica "analisarem" o assunto. A estupidez foi tanta que num destes espaços mais parecia que o Sporting ainda tinha que pagar para levarem os jogadores.

Foram 3 dias a preparar terreno para o ataque de mais logo na CMTV, Trio de Ataque e Play-off. Para amanhã está guardado pináculo da verborreia encarnada. Por tudo isto, impõe-se a explicação exaustiva destas vendas.

Qual é a percentagem que o Sporting tem que entregar à banca?


Recorrendo aos contratos divulgados pelo Footballeaks é possível perceber que o Sporting após 30 de Junho de 2014 tem que reembolsar os bancos em "30% do excesso do preço de venda dos passes", como podem ver no ponto i) do print anterior. Realço que o Sporting só passou a ter a obrigação de entregar estes valores após 30 de Junho de 2014, ou seja, desde a época 14/15.

Esses 30% serão deduzidos dos valores das vendas de jogadores enquanto a tranche D e B não estiverem integral e incondicionalmente reembolsadas. Após reembolso integral e incondicional desses tranches a taxa baixa para os 20%.

Que tranches são essas? Quanto está em cada uma?



Como podem verificar, a marcador amarelo estão as duas sub-tranches que compõem a tranche B. No total estamos a falar de (14,649,562.11 € + 10,308,000.00 €) = 24,957,532.11 €

Ou seja, na tranche B estão cerca de 25 Milhões de euros. Falta agora perceber o montante que está na tranche D. Como podem verificar, esse espaço está em branco, uma vez que este montante é destinado a "encargos financeiros" do exercício, logo não é possível atribuir um montante fixo. No fundo são as despesas correntes relacionadas com a actividade bancária. Juros de contas correntes, seguros, etc.

Resumindo: O Sporting terá que "descontar" 30% do montante recebido em transferências enquanto a tranche B (25 Milhões) e D (despesas correntes com a banca) não estiverem liquidadas. Importa dizer, que a tranche D tem obviamente que ser paga independentemente de haver ou não vendas. No fundo, esta retenção de 30% no que à tranche D diz respeito, funciona mais como uma garantia.

E depois de essas tranches estarem pagas ?


Depois de esses montantes relacionados com as tranches B e D estarem liquidados, a percentagem a "descontar" na vendas de jogadores passa a ser de 20%, como se pode verificar em cima. Percentagem essa que se manterá até que o Sporting consiga liquidar todos os seus encargos.

Quanto é que o Sporting já liquidou?

Como vimos, o Sporting tem que descontar os 30% das vendas desde 2014/2015. Isto quer dizer que já foi descontada uma parte substancial desse montante. Vejamos:

Não vou entrar aqui grandes pormenores para descobrir o valor exacto que o Sporting pagou. Fica apenas um pequeno exercício, só para perceberem: Em 14/15 o Sporting recebeu cerca de 30Milhões em vendas e na época 15/16 foram cerca de 17 Milhões. Tudo somado são cerca de 47 Milhões. 

Vamos imaginar que desses 47 Milhões, o Sporting teve que entregar cerca de 7 Milhões a fundos. Ficaria com 40 Milhões líquidos. Ora, como vimos anteriormente, 30% desse montante teria que ser pago à banca. 

40 Milhões x 30% = 12 Milhões 

Isto significaria que o Sporting já entregou cerca de 12 Milhões para pagamento das tranches B e D. 

Isto é só para dar um exemplo, para que os leitores percebam. Não sei ao certo qual foi o montante descontado porque para isso seria preciso fazer as contas a todas as vendas e respectiva percentagem dos passes detidas pelo Sporting. 

"Ó mister faz ai as contas do João Mário"

 
João Mário foi vendido ao Inter por 40 Milhões de Euros fixos e mais 5 Milhões variáveis. Vou só considerar os 40 Milhões porque é o que entra já no exercício. 

Relembro que o Sporting detinha "apenas" 75% do passe, logo: 

40M x 75% = 30 Milhões que entram no Sporting.

Destes 30 Milhões, 30% serão para "pagar" à banca. Logo:

30 M x 30% = 9 Milhões que o Sporting entregou à banca

Para sabermos com quanto fica o Sporting temos que retirar o montante atribuído à banca. Logo:

30M - 9M = 21 Milhões que o Sporting fica para gerir como entender melhor.

"Ó mister faz também as contas do Slimani"


Slimani foi vendido ao Leicester por 30 Milhões de Euros fixos e mais 5 Milhões variáveis. Vou só considerar os 30 Milhões porque para já é o que entra no exercício.

Como é do conhecimento público, havia uma entidade com direito a 20% de uma mais-valia. Contudo, alguma imprensa afirmou que o Sporting conseguiu comprar o direito a 20% da mais-valia por 4 Milhões. Fica essa informação, mas como não é oficial vou fazer as contas com os dados que tenho, ou seja, considerando que o Sporting pagou os 20% da mais valia.

30 Milhões - 300 Mil euros (preço de compra) = 29,7 Milhões de mais-valia neste negócio

Logo, a entidade externa fica com 29,7 M x 20% = 5,940 Milhões

O Sporting fica com: 30 Milhões - 5,940 Milhões = 24,06 Milhões

Vamos agora retirar os 30% para a banca:

24,06 M x 30%= 7,218 Milhões vão para a banca

Subtraindo o montante que vai para a banca:

24,06 M - 7,218 M = 16, 842 Milhões é o montante que o Sporting fica à sua disposição para gerir como entender. 

Ora, somando os cerca de 12Milhões "descontados" em 14/15 e 15/16 ao montante descontado nos negócios de João Mário e Slimani chegamos à conclusão que:

12 Milhões (14/15 e 15/16) + 9 Milhões (João Mário + 7,218 Milhões (Slimani) = 28,218 Milhões

Isto quer dizer que o Sporting já liquidou a tranche D e muito provavelmente já liquidou também a tranche B. E não estou a contabilizar outros negócios feitos pela SAD neste verão, nomeadamente a venda de Naldo por 4,5 Milhões de Euros (são mais 1,35 Milhões).

Resumindo:



Aqui está um quadro resumo das duas enormes vendas que o Sporting fez neste defeso. Como viram em cima, o Sporting já terá liquidado por esta altura os montantes relativos à tranche B e D, pelo que daqui para a frente só serão "descontados" 20% nas vendas de jogadores. Sinal que estamos a cumprir o acordo com a banca de forma eficaz e efectiva.

Agora que está tudo esclarecido, fico à espera do carvão nos programas de hoje e amanhã.

Dúvidas, deixem nos comentários.

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já.

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

38 comentários:

  1. até começar o próximo mercado de vendas, vai ser bombas atrás de bombas sobre o sporting.

    ResponderEliminar
  2. Muito bem mister! Sempre a desmontar as contas dos pseudo contabilistas afectos aos corruptos de carnide! Esses merdicas eagles e outros paspalhos que se fodam pois so dizem mentiras

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Estamos num País onde se quer passar a ideia que pagar dívidas é para estúpidos.

    Bonito, bonito, é dever 600 Milhões a título pessoal, empresarial e o clube mais 450 Milhões!

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde que se paguem as prestações a tempo e horas, nada a dizer. Podem todos dizer o mesmo?

      Eliminar
  5. Isso não é bem assim. Como esses pagamentos vão ser pagos em tranches ao longo dos anos, pode acontecer que haja parte do JME / IS que possa ser a 20% para a banca e 30% ao fundo. Por exemplo, se vendessem o William ou o Adrien antes de pagarem completamente o JME / IS ao Sporting, era isso que acontecia.

    O que interessa é o que aparece quando pagarem ao Sporting no final do exercício. Aí desconta-se os 30% até perfazer a tranche B + D (esta que existe todos os anos). Interessa pouco porque a multiplicação é distributiva em relação à adição, mas não é factual que se vá pagar 30% dos passes do JME / IS à banca.

    Aliás, há quem diga que a tranche B já foi completada e parte do pagamento JME / IS já faz parte das outras contas (bom, a D existe sempre).

    ResponderEliminar
  6. Mister, Apenas comentar que no caso JM o Sporting recebe já 10M€ pelo "empréstimo" e o restante para o ano como opção de compra obrigatória. Isto foi o que entendi do negocio feito com o Inter.

    Z

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há empréstimo nenhum. O João Mário foi vendido.

      Eliminar
  7. Só acho graça nessa conversa como se, os seja, 50% ou 30% ou 20%, ao serem entregados à banca é dinheiro NÃO Sporting. É para rir? todo esse dinheiro é do Sporting, não fica em cash flow, pois mas abate o passivo, e ter um passivo de 450M como o benfica não é o mesmo que ter um abaixo de 200M como o Sporting vai ter em junho de 2017, data em que essas percentagens têm de ser canalizadas para a banca - redução de passivo.

    ResponderEliminar
  8. Até parece que neste País é mal visto pagar dívidas. Pois, os outros, os espertos não pagam. Vendem pra c&r&lho mas a divida não diminui. Lindo.

    ResponderEliminar
  9. Mister, não me parece claro o que siginifica o "excesso de preço de venda" ?

    Já li que é um valor fixo a partir do qual são aplicadas essas percentagens. Só a partir de 8 ou 9M€ se aplicaria essa %. E neste caso seria avaliado transferência a transferência ou sobre o total da época?

    Os documentos do football leaks não esclarecem isto?

    E não existe obrigatoriedade de reter mais 20℅ nunca conta reserva do Sporting que só pode ser utilizada para recompra de vmocs ou conservação de património?

    SL

    ResponderEliminar
  10. Mister, desde quando se inclui (subtracção) o valor da compra nas contas?
    Por essa ordem de ideias tambem teriamos de incluir o salário.
    O scp pagou 300mil pelo Slimani, veio no R&C seguinte e não se fala mais nisso.
    Vende por 30milhoes...não tem de aparecer o valor da compra...sao coisas completamente diferentes.
    de qlq forma...bom artigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de disparar para o ár, lê as bem as coisas.. Para calcular 20% da mais valia tens, obviamente, de tirar ao preço de venda o preço de compra (mais valia) e só depois multiplicar pela percentagem em causa (caso o Sporting não tenha comprado os 20% por 4M conforme foi noticiado).
      O que não está mencionado neste pequeno exercicio contabilístico é o imposto de selo que ainda tem algum relevo nestas contas.
      Para além do mencionado no post, existe a clausula 24, onde nos obriga a colocar em reservas 20% das tranferencias, enquanto não pagarmos as tranches B e D, e 30% apartir do momento que esteja liquidada.
      Em relação às reservas, são para garantir que o clube consegue equilibrar as contas face ao passivo, mas é dinheiro do Sporting e não da banca.

      Eliminar
    2. JR

      Acho que essa cláusula 24,tem a ver com as VMOCs, depois de liquidadas as tranches, continuarão a ser retirados os 20%,que serão para o tal fundo, para pagar juros abater principal e uma percentagem para recomprar VMOCs aos bancos credores.

      Quer dizer que não me parece que haja mais algum ónus sobre a venda de passes para além do citado no excelente post do Mister... e tal continuará pelo prazo de 10 anos até os 55 milhões de VMOCs serem liquidadas, coisa que os bancos esperam que o Sporting não consiga ou queira, pois se convertessem e vendessem as acções em bolsa iriam ganhar muito mais.

      O Sporting tem 10 para comprar as VMOCs todas, ao fim de qual prazo são convertidas em acções directamente... o fundo existe para assegurar os bancos, mas o Sporting pode mexer no dinheiro como quiser para encargos financeiros ou impostos

      Esta é a ideia que tenho, e a meu ver até faz bastante lógica.. mas posso estar errado

      Eliminar
  11. Oh Mister obrigado pelos esclarecimentos!
    Agora, quanto aos corruptos, lampiões e CS não vão entender, por um lado, porque são burros e por outro, o que é pior, porque estão de má-fé para denegrir o que o Sporting tem feito de extraordinário nestes 3 anos de presidência de BdC.
    SL

    ResponderEliminar
  12. Isso são contas muito complicadas para aprendizes de jornaleiros/as do CM e mais ainda para a massa encefálica das papoilas saltitantes do Carnide.

    ResponderEliminar
  13. Li noutro blogue:

    - o Sporting tem que pagar, mas houve perdão de dívida

    - o Sporting só tem 75% de um passe e 80% do outro.

    - o Sporting tem que entregar metade ao banco

    - o dinheiro que o Sporting entrega aos bancos não conta como sendo para o Sporting

    - há que deduzir comissões a empresários

    - há que deduzir o valor do custo do atleta

    - há que deduzir os valores com ordenados

    - deduz-se os 15 milhões à Doyen (parece que ficamos a pagar 15 para sempre, todos os anos)

    no fim, as contas lampiãs ainda davam prejuízo, claro.

    Nas publicidades às vendas do Midas, contabilizam-se todas as cláusulas possíveis e impossíveis como dado adquirido, não há valores a pagar nem nada, é tudo lucro.

    Juro que vi esta contabilidade num blogue lampião. Muitos aplaudiram por lá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. - o Sporting tem que pagar, mas houve perdão de dívida - ERRADO!!! NÃO HOUVE PERDÃO DE DÍVIDA NENHUM.

      - o Sporting só tem 75% de um passe e 80% do outro. ERRADO!!! SPORTING TEM 75% DO PASSE DO JOÃO MÁRIO E 100% DO PASSE DO SLIMANI. O QUE ACONTECE NO CASO DO SLIMANI É QUE EXISTE UMA ENTIDADE COM 20% DA MAIS-VALIA. REPITO: MAIS-VALIA!

      - o Sporting tem que entregar metade ao banco FALSO!!! SÃO 30%

      - o dinheiro que o Sporting entrega aos bancos não conta como sendo para o Sporting QUE ESTUPIDEZ!!! PARA QUE AS PESSOAS PERCEBAM MELHOR. O SPORTING RECEBE O DINHEIRO E SÓ PASSADOS 30 DIAS DO FECHO DO EXERCÍCIO ECONÓMICO É QUE TEM QUE COLOCAR O DINHEIRO À "DISPOSIÇÃO" DA BANCA.

      - há que deduzir comissões a empresários E PAGAR O TINTEIRO DA IMPRESSORA QUE IMPRIMIU OS CONTRATOS

      - há que deduzir o valor do custo do atleta E NÃO ESQUECER AS GARRAFAS DE ÁGUA QUE O JOGADOR BEBEU NOS TREINOS

      - há que deduzir os valores com ordenados E JÁ AGORA DESCONTAR O DINHEIRO GASTO EM LAVAR O EQUIPAMENTO DO JOGADOR

      - deduz-se os 15 milhões à Doyen (parece que ficamos a pagar 15 para sempre, todos os anos) OS LAMPIÕES ACHAM QUE TEMOS UMA AVENÇA COM A DOYEN E QUE EM TODOS OS EXERCÍCIOS TEMOS QUE PAGAR 15M

      no fim, as contas lampiãs ainda davam prejuízo, claro.

      Nas publicidades às vendas do Midas, contabilizam-se todas as cláusulas possíveis e impossíveis como dado adquirido, não há valores a pagar nem nada, é tudo lucro.

      Juro que vi esta contabilidade num blogue lampião. Muitos aplaudiram por lá.

      Eliminar
    2. Sem dúvida. E muito obrigado por desmontar as teorias dos avençados.

      Um dos dois melhores blogues a fazê-lo junto com o Artista do Dia. Ambos leitura obrigatória.

      Para os lampiões, não vale a pena. A realidade não entra ali.

      Eliminar
  14. Mister

    Não é só o Naldo que falta nas contas... quando se tem um produto de qualidade superior, tal é apetecível até pelos pouco endinheirados, todos os 6 emprestados ao estrangeiro foram com cláusulas de compra (até o Slavchev)-> são desejados nesses clubes, sem favores de e ao Mendes e sem negociatas incluidas no meio (como Talisca foi valia 25 na venda, mas afinal foi emprestado por 2...sem Mendes era 0)

    Tou a contar com mais de 8 milhões dos empréstimos a juntar ao Naldo... sem bancos meterem a pata... oficialmente do Mané foram 2, o Teo pelo menos 1.2, e os rumores é que o Barcos foi também mais que 1 milhão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, claro. Há muitos montantes ainda desconhecidos. Só quando o jornal do Sporting anunciar os montantes das vendas/compras é que saberemos ao certo quanto se gastou e quanto se recebeu.

      Não me parece que chegue a 8 Milhões entre o Naldo + emprestados e outras pequenas vendas, mas temos que aguardar.

      Eliminar
  15. Mister,
    Ainda relativamente a estas questões:

    a) Estes valores não eram apenas relativos a vendas superiores a 10M ? ( li em alguns sitios 8M ) Fazendo por exemplo com que sobre a venda do Naldo não tivessemos que entregar 30%

    a) Não tinha ficado estabelecido um valor adicional de 20% ( para uma especie de fundo de maneio )?

    Parabens pelo Blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No acordo de reestruturação não há nenhuma referencia a montantes mínimos. Esse é um dos pontos usado pela propaganda. Por isso é que uns dizem que é 8M, outros 10M, etc. Tudo para confundir.

      Nem faria sentido haver uma montante mínimo. Ou melhor, os bancos não aceitariam isso, até porque antes das vendas de Slimani e João Mário, o Sporting só tinha vendido 7 jogadores acima dos 10M EM TODA A SUA HISTÓRIA.

      A questão dos 20% está explicada em cima. Quando as tranches B e D estiverem liquidadas a percentagem "retida" para pagamento à banca desce para dos 30% para os 20%.

      Eliminar
    2. Nasik,

      1- Vai ler o comentário do Koboi em relação à tal espécie de fundo de maneio de que falas. Ele explica lá tudo ao contrário do Mister

      2- Não sei se há referência a montante minimo...Se houver os tais 8M é melhor para o sporting. Se não há montante minimo é mau para o sporting, porque até na transferencia do Naldo o sporting viu os milhões desviarem-se para o BES/BCP...
      O Bdc é que dizia.

      O Bdc é que dizia das receitas da Nos "O dinheiro vai estar todo disponível para o Sporting, não vai para bancos ou comissões" Não sei se é verdade em relação à NOS, mas que o dinheiro das vendas de jogadores vai para os bancos e comissoes lá isso vai.

      Eliminar
  16. O encaixe que o Sporting fez em vendas não estava mesmo no programa do jornalismo amestrado. Sendo o resultado incontornável e não terem como fugir do assunto, pintam a coisa de maneira como se fosse um meio fracasso. Tivesse aquele valor sido feito pelo clube do dono e imagino as capas que não lhe dedicavam a adular a obra do Midas.

    ResponderEliminar
  17. Só mesmo a galinhagem para pensar que "abater dívida" não é "ficar com o dinheiro", tratando a operação como uma espécie de desperdício ruinoso.... Pagar dívida é olhar para o futuro, e é sempre dinheiro bem empregue, ou, no mínimo, não mal empregue!

    Mas é deixá-los continuar a pensar assim como pensam, só nos torna ainda mais distintos, e "duráveis" :)

    ResponderEliminar
  18. Mister, os 30% incidem sobre o valor excedente e sobre o recebimento no exercício, correcto? Não faz sentido essas percentagens incidirem sobre valores de vendas cujo recebimento é postcipado. Na medida em que a amortização de dívida é um fluxo financeiro (pagamento de dívida, saída de caixa), ela deverá deverá estar alinhado com o fluxo financeiro da venda (recebimento da venda, entrada e caixa) e não com o seu fluxo económico (registo contabilístico da venda).

    O mais fascinante no meio disto tudo é que os idiotas que levantam estas restrições associadas às vendas do Sporting (como se tal fosse argumento para tirar mérito às vendas excelentes que fizemos) são os mesmos que falaram em concorrência desleal na reestruturação financeira. Ridículos.

    SL
    João

    ResponderEliminar
  19. 1- Não vale apena falar somente da Cláusula 5ª e esconder a 24ª do Acordo.

    2- O perdão de juros da divida está patenteado nos varios relatorios e contas do Sporting.

    3- Parabens pela primeira vez na vossa existência terem feito vendas de jeito. Custou mais foi.

    4- Curiosamente das vendas feitas, foi através de empresarios e agentes com poder de influencia como Kia Joorabchian e Abou Khaled Gheram

    5- O Sporting tem diferendos/acordos/negocios, com Doyen, BCP, BES, agentes, Fundos, etc mas aqui pensa-se que vai tudo para o Sporting.......Ninguém nega que o Sporting tem que pagar a essas entidades, portanto qual é o problema de aceitarem que o um clube que tem dividas faz um negocio e algo vai para o clube e algo vai para cada uma dessas entidades?

    Ah ja sei o sporting apesar de pela primeira vez na vida ter feito vendas acima de 30M€ o melhor do mundo a negociar :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebo tamanha revolta com o suposto perdão de juros da divida que, segundo afirma, estará patenteado nos vários relatórios e contas do SCP. Não acha que tal facto só demonstra que houve da parte dos dirigentes do SCP competência na negociação com as entidades envolvidas? Não será esse argumento revelador de uma certa dor na alma por os dirigentes do seu clube - seja ele qual for - não terem conseguido encontrar tal solução para questões similares? O SCP tem o acordo de reestruturação que negociou livremente com as entidades envolvidas no processo, e no qual perfilam um conjunto de clausulas, umas melhores outras piores, são assim as negociações, nada de anormal. Quanto às vendas de 30 M pela primeira vez, estamos gratos ao BDC por ter tido capacidade negocial para transferir jogadores do plantel do SCP por valores consideráveis, ajudará com certeza a abater o passivo da SAD, o que só poderá garantir um conforto financeiro nos anos futuros. No SCP ao contrário dos outros clubes portugueses habituados às andanças dos negócios milionários, o dinheiro tem um rumo, não navega à deriva pelas mãos de comissionista, fundos ou clubes fantasmas.

      Eliminar
    2. A cláusula 24 fala apenas da conta de reserva, e não de reembolso obrigatório.
      Essa conta de reserva, que corresponde aos tais 20/30% pode ser movimentadas em vários cenários (descritos no documento, que fica aqui: https://footballleaks2015.wordpress.com/2016/01/04/acordo-quadro-sporting-novo-banco-e-bcp/).

      Isso inclui pagamento de VMOCs aos bancos, pagamento de dívida, 50% das remunerações e até obras de conservação do Pavilhão e outro património.

      Portanto, caro anónimo, e para que fique claro nessa cabecinha que está um pouco confusa (normal, tendo em conta as fontes que deve usar):
      1) 30% (que depois passam a 20%) são usados para reembolso aos bancos;
      2) 20% (que depois passam a 30%) podem ser usados para N coisas, como ordenados, pagamento de VMOCs, e conservação, QUANDO e COMO o Sporting quiser.

      Nenhum dos 2 pontos inclui deitar dinheiro ao rio, nem comissões a Kadhafis dos pneus portanto não há que ficar preocupado.
      No entanto, o ponto 2) é especialmente importante, porque apenas garante que o Sporting pode usar esse dinheiro de reserva para tratar de custos correntes, variáveis de ano para ano. Não só não é dinheiro deitado ao rio, como é usado pelo clube (SAD) de forma perfeitamente normal.

      P.S. - Peço desculpa pelo post mais longo, duvido que o lamp o leia, mas fica mais um esclarecimento aos Sportinguistas.

      Eliminar
    3. De anónimo para anónimo,

      Creio ser o primeiro sportinguista que não nega que houve um perdão de juros da dívida do Sporting.
      Confesso estar surpreendido.

      Eu acho que houve competência dos dirigentes do SCP na negociação com as entidades envolvidas. Simples.

      Dito isto, agora que os dirigentes do SCP deram o exemplo, acho que o mesmo deveria acontecer com as restantes empresas portuguesas. E não falo somente de SADs. Eu acho que deveria haver o mesmo privilégio para empresas desde startups até multinacionais.
      Mas isso nunca acontecerá porque a diferença é que o Sporting ao contrário das pequenas e médias empresas é demasiado grande para cair. O Sporting deve centenas de milhoes de euros à banca. Se isso acontecer os bancos já cheios de problemas, ainda ficarão pior. Mas lá que o tratamento dado ao Sporting é completamente diferente de qualquer outra empresa em Portugal, lá isso é. Isso sim é revoltante, na medida em que muita pequena e média empresa acaba por despedir pessoas, ou abrir falência com várias famílias a irem para o desemprego.

      Mas enfim deixando de falar de revolta e passando a falar em ética. È ético uma empresa que não cumpre com as suas obrigações com as entidades financeiras, levar como prémio um perdão ? Afinal de contas dá vontade de todos deixarem de cumprir e de realizar uma reestruturação.

      Parabéns por terem conseguido levar a vossa avante. Espero que seja a última vez. Não quero voltar a ver dois bancos intervencionados pelo Estado a terem que voltar a injectar ou dar benesses a clubes seja Sporting, Benfica, Porto, Braga, etc...

      Meu caro o Sporting também negoceia com fundos, como por exemplo no caso do João Mário o fundo Quality Football Ireland Limited, também tem empresários que recebem belas comissões e %s dos passes dos jogadores como Kia Joorabchian ou Abou Khaled Gheram e também envolve-se com clubes como o Caalá que tudo é feito de modo muito pouco transparente e com um único objectivo... Além do mais acho que pelo meio os angolanos ainda andam metidos ao barulho com o Mesquita e a sua Holdimo.

      O mundo do negócio no ramo do futebol não difere muito. O Sporting não vive numa ilha...Quem é o dono do Estoril ? Quem faz negócios com o Braga ? Quem trabalha com o Benfica ? Quem exerce influência no Porto ? Quem ... e por aí afora.

      O Sporting vive num mundo à parte ? Claro que não :)

      Koboi,

      Exactamante 20% para conta de reserva. Está ligado aos VMOC's.
      É verdade que não é de reembolso obrigatório, no entanto não é para nos esquecermos dessa clausula ;) Aqui neste blogue apenas se fala dos 30% porquê ? A conta de reserva é para meter no lixo ? :)

      "1) 30% (que depois passam a 20%) são usados para reembolso aos bancos;
      2) 20% (que depois passam a 30%) podem ser usados para N coisas, como ordenados, pagamento de VMOCs, e conservação, QUANDO e COMO o Sporting quiser."


      Bravo assim sim! Tudo direitinho. Nada de omitir.

      Deitar dinheiro ao rio ? Isso é o que o Sporting tem feito...nos últimos 20 anos foram quase 360 Milhoes de prejuízos!!! (dá uma média de quase 18 milhoes deitados ao rio por ano) Espero que definitivamente com este acordo deixem de deitar dinheiro ao rio.

      PS: O post diria que foi bastante mais informativo que o tópico (que esse sim não consegui ler até ao fim) Parabéns! Pena é que tenha sido graças a um post dum lampião (e digo com orgulho, derivado do significado que a palavra tem) que o esclarecimento tenha sido feito.

      Eliminar
    4. De anónimo para os outros anónimos;

      Acho que estão a confundir perdão com renegociação.
      Vou dar um exemplo de um caso bem real que acompanhei:

      Uma empresa tem uma divida relativa à construção de um Imóvel de 10M, na altura (2007) do contrato ficou acordado o pagamento da euribor, acrescida de 7% de spread.
      As coisas não estavam a correr bem as prestações deixaram de ser pagas e estava em cima da mesa, a possibilidade de o banco tomar posse do imóvel ou renegociar o contrato que permitisse à empresa respirar e recomeçar a cumprir com as suas obrigações.
      O banco preferiu renegociar, actual o contrato ficou com 2 anos de carência de capital, só paga trimestralmente juros com acréscimo de 1,5% spread a partir de 2018 as prestações já incluem amortização de capital e mantém o spread nos 1.5%.

      Como é óbvio para o banco ceder estas condições, exigiu garantias adicionais, nomeadamente aval dos sócios.
      Uma renegociação em que houve cedências de todas as partes, onde encontra juros perdoados? Foi isto que se passou no Sporting.
      Alias, se acham que as condições actuais do Sporting são mais vantajosas (lembro que ha vantagens e desvantagens) porque razão não seguem o exemplo?

      Eliminar
    5. Sempre disposto a esclarecer.
      Acho sempre curioso esse interesse de adeptos rivais nas contas do Sporting.
      Também não percebo como se mandam postas sobre cláusulas (em listas numeradas ainda por cima!!!) quando não se sabe exactamente do que se está a falar.

      Enfim, até se 50% das transferências fosse para fundo da reserva estávamos nós bem. Dá para usar em quase tudo o que interessa, e evita excessos no reforço do plantel. Two birds...

      Eliminar
    6. De facto quando se está endividado até as orelhas ( neste momento o SCP só está até ao pescoço ), como o benfas e os corruptos tão, deve ser desagradável ver o SCP renegociar e pagar a divida. É preciso jogar areia para os olhos dos adeptos não vão eles querer que nesses 2 clubes comecem a pagar dividas tb...

      Eliminar
    7. E quem deu o aval no caso do Sporting ?

      O Benfica também já renegociou. Isso é conhecido, pois data do tempo em que se construiu o novo estádio da luz. Quem deu o aval foi o LFV. Se não houvesse essa garantia não sei não.
      Pois realmente deveriamos seguir o mesmo exemplo.

      Nasik,

      Nunca achaste estranho o Sporting ser sempre o clube que emite emprestimos obrigacionistas com taxas de juro muito mais elevadas que os seus rivais ?
      Deve ser porque o Benfica e o Porto nunca cumprem com as suas obrigações e não pagam dívidas, e o Sporting sim...

      Eliminar
    8. Anónimo, o aval é apenas um exemplo ilustrativo de como podem ser feitas negociações.
      No caso do Sporting, como já deves saber cedeu uma coisa bem mais importante que o aval, cedeu receitas futuras, cedeu na reestruturação empresarial que implicou o despedimento ou redução do salário de muitos trabalhadores, cedeu na aceitação do administrador nomeado pela Banca, etc... Será que o Pedro Guerra (é só um exemplo podia meter montes de outros nomes que constam de lista de trabalhadores e avençados do Benfica) e outros que tais iriam aceitar de bom grado o despedimento ou redução de salários?? Assim a exemplo do que aconteceu por exemplo com Manuel Fernandes!?
      Será que LFV aceitava um corpo estranho na sua administração que poderia questionar por exemplo o negocio do Vrra, ou do Garay, do Gimenez etc...

      Eliminar
  20. Este artigo do CM é o resultado de agarrar em gente habituada a fazer ditados e que mal sabe escrever, e pô-las a fazer contas!

    ResponderEliminar
  21. E ainda faltam os 10M€ por objectivos. 2 grandes vendas.

    ResponderEliminar