quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

A maior manifestação contra uma Direcção da história do desporto nacional


As imagens que todos vimos da manifestação contra a Presidência de Frederico Varandas, do passado dia 9 de Fevereiro, não deixam dúvidas. Com larga margem, esta foi a maior manifestação contra um Presidente de um clube na história do desporto nacional. Vou repetir: a maior manifestação contra um Presidente de um clube na história do desporto nacional! Reforço de outra forma. Nunca em mais de um século de existência de entidades desportivas, o país tinha visto tamanha manifestação contra a Presidência de um clube desportivo.

Crise!? Qual crise!?


Deixei passar estes dez dias para com alguma distância analisar esta matéria, dando tempo para que todos os comentadores, analistas e afins pudessem dar a sua opinião. Passado todo este tempo é absolutamente delicioso ver o silêncio total em torno deste assunto. A imprensa ficou apenas pela notícia da manifestação e algumas reportagem no próprio dia. Nos dias seguintes, nenhum órgão de comunicação social achou interessante fazer uma peça ou debate sobre os motivos que levaram à maior manifestação contra a presidência de um clube na história do desporto nacional. Nem mesmo a CMTV, que noutros tempos fazia painéis rotativos noite dentro para debater a crise do Sporting. Nem sequer os cronistas da praça, acharam o tema interessante para os seus escritos.

Sintoma claro do branqueamento da crise leonina é precisamente o facto de nenhuma imprensa associar a palavra "crise" ao momento que o clube vive. Já tinham reparado nisto? Para os menos atentos, o Sporting vai bem e recomenda-se. Ora, se assim é, por que será que tantos Sportinguistas decidiram dar a cara contra o conselho directivo de Frederico Varandas? Não seria normal a imprensa procurar a resposta a esta questão? Não é relevante? Não é um conteúdo apelativo?

Obviamente, as alegadas agressões que terão ocorrido no Multidesportivo, sobre as quais falei (aqui) retiraram o foco. E digo, "alegadas", porque as imagens que recentemente foram mostradas não mostram as agressões. Talvez um dia apareçam as imagens de video-vigilância da zona do elevador propriamente dito. Curiosamente, dez dias depois da altercação, os meliantes continuam sem ser levados à justiça. E isto quando toda a gente sabe quem são, onde moram e o que fazem. Estamos à espera do quê?

Mas este virar de foco para a altercação em detrimento da manifestação impede que a maior manifestação de sempre contra uma Presidência de um clube desportivo em Portugal seja analisada?

Quantos foram? Quem foi? O que queriam?


Como é normal, os órgãos de comunicação social deram resposta a estas três questões relacionadas com a manifestação. Para responder a estas questões consultei notícias dos jornais semanários (Expresso e Diário de Notícias), dos 3 jornais diários generalistas (Público, JN e CM), das três principais rádios (Antena 1, TSF e RR), das quatro principais televisões (RTP, SIC, TVI e CMTV), assim como os três diários desportivos (Record, Ojogo e Abola). Ao todo, consultei 15 órgãos de comunicação social.

Vamos por partes. Começo pelos semanários Expresso e Diário de Notícias.

Diário de Notícias e Expresso

Como podem verificar, os semanários apontam para os 3000 adeptos que "pediram a demissão de Frederico Varandas".

Passando aos jornais generalistas diários, é este o panorama.

Jornal Público
Para o Público, "a demissão do presidente foi exigida por cerca de três mil adeptos".

Jornal de Notícias
O Jornal de Notícias não garantia os três mil adeptos como o Público, mas garantia que "mais de 2 mil adeptos juntaram-se em Alvalade e exigiram a demissão do presidente".

Antena 1, TSF e Rádio Renascença

Olhando para as três grandes rádios, todas dizem que "3 mil adeptos pedem demissão de Varandas". O mesmo aconteceu com as três principais televisões: RTP, SIC e TVI.

Vejamos agora os desportivos:

Jornal Abola
No Jornal Abola são referidos "mais de três mil adeptos do Sporting".

Jornal Ojogo
No Jornal Ojogo não se quiseram comprometer definitivamente e falaram apenas em "milhares de adeptos".

Os oficiais de propaganda da direcção de Frederico Varandas


Olhando para o Correio da Manhã, que fez apenas 2 parágrafos sobre a manifestação, verificamos que também consideram que estiveram três mil pessoas na manifestação, só que não eram adeptos, mas sim "claques". Algo que nenhum outro meio de comunicação social ousou dizer. 

Correio da Manhã
Mas se a versão do Correio da Manhã é boa, o que dizer da versão do Jornal Record, jornal oficial de propaganda da direcção de Frederico Varandas? Se ainda há alguém com dúvidas, fiquem com mais uma prova disso mesmo.

Jornal Record
Portanto, para o jornal Record não estiverem nem "três mil adeptos", nem "mais de dois mil adeptos", nem "milhares de adeptos". Estiveram apenas e só "um milhar de adeptos, afectos às claques Juventude Leonina e Directivo Ultras XXI". Digam lá que isto não é genial!? Toda a imprensa aponta para os três mil manifestantes, com excepção do JN que aponta para "mais de duas mil pessoas" e para o Ojogo que diz que eram "milhares de adeptos". Mas para o jornal Record eram apenas e só mil adeptos. E como se pode ler, eram adeptos, mas das claques. Todos das claques, porque como toda a gente sabe, com excepção da "escumalha", todos os Sportinguistas amam a direcção de Frederico Varandas. Ora digam lá que isto não é absolutamente fantástico!?

Perigoso grupo de Ultras da Juve Leo na manifestação contra Frederico Varandas 

Mas ainda há mais! É que ao contrário de todos os outros órgãos de comunicação social que davam conta que o objectivo dos manifestantes era a demissão de Frederico Varandas, eis que o Jornal Record encontrou a verdadeira razão do protesto. Segundo estas senhores, os manifestantes foram apenas "para demonstrar o descontentamento com o rumo que tem sido seguido pela direcção de Frederico Varandas". Genial!!!

Nada que surpreenda os Sportinguistas mais atentos ao "trabalho" desenvolvido pelo jornal oficial de propaganda da direcção de Frederico Varandas. Curiosamente, o mesmo jornal que lançou em primeira mão a auditoria de gestão. Um jornal que publicou documentação privada do Sporting, mas que ainda assim continua a ter todos os exclusivos do Sporting, como ainda recentemente aconteceu com uma grande entrevista de Frederico Varandas, que ocupou as páginas do jornal por dois dias.

Alguém acha normal que o Sporting dê todos os exclusivos ao jornal que prejudicou gravemente a vida interna do clube ao divulgar a auditoria de gestão? Então o Sporting ajuda quem tanto prejudicou o clube? A não ser que tenha acontecido o que toda a gente acha que aconteceu, mas que ninguém tem coragem de dizer publicamente. No fundo é o mesmo terreno pantanoso que os portugueses pisaram em relação a Isabel dos Santos e à sua fortuna ou em relação ao racismo que existe na sociedade portuguesa. Se o início de 2020 deslindou estas duas questões, pode ser que também nos traga novidades na lista dos grandes mistérios leoninos do século XXI. Se assim não for, podemos todos continuar a citar o nosso Presidente da Mesa da Assembleia Geral relativamente ao leak da auditoria: "Agora já está, já está!".

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aquiInstagram: (aqui)

22 comentários:

  1. Varandas foi eleito com legitimidade. Quem não votou nele e os seus opositores podem fazer as manifestações que quiserem que isso não tira legitimidade aos votos que os sócios lhe deram. A legitimidade das direções é dada pelos votos nas urnas e avaliada no final do mandato. Os mandatos não são para ser avaliados a meio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, agora os mandatos já são para cumprir.
      Então o anterior não foi legitimado por 90% dos sócios?
      Hipocrisia total.

      Eliminar
    2. O mesmo princípio valia para BdC e todas as restantes direcções. Só que não foi bê. Assim, não é? O Varandas foi eleito porque muito sócio sportinguista acreditou em tudo o que lia e ouvia pela Cmtv e outros que tais. Os princípios que originaram a destituição irão provavelmente todos com o tempo, verificar-se nulos, só que o que está feito, está feito.

      Eliminar
    3. Cada vez me convenço mais que Varandas foi eleito com a mesma legitimidade com que foi eleito Godinho Lopes, ou seja, com um churrasquinho à moda do Rogério Alves.
      Quanto aos mandatos serem para cumprir, tenho dificuldade em comentar pois não sei quais os motivos que o levam a fazer essa afirmação. A primeira coisa que me ocorre é que você é adepto do Carnide e anda a gozar com os números de circo e as palhaçadas destes patetas incompetentes.

      Eliminar
    4. Errado! Se há coisa que sabemos é que o fivelas não foi eleito legalmente.
      Mas continua a soprar essa para ver se pega.

      Eliminar
    5. A legitimidade do Varandas devia ser validada em AG.
      Medo do quê?

      Eliminar
    6. Há sempre um diogo desta vida a dizer merda. Mas muito isento...

      Eliminar
    7. Que perca de tempo com esse comentário DiogoC...

      Eliminar
    8. A legitimidade do Varandas está na aldrabice da assembleia que "destituiu" o Bruno de Carvalho.
      Cambada de vermes.

      Eliminar
    9. Eu FUI á manif, irei a todas as que se organizaresm, não pertenço nem nunca pertenci a nenhuma claque, e fui para que esse charlatão seja corrido do clube.

      Eliminar
  2. Sportinguistas deixem de comprar jornais da Cofina (Record e CM). Só assim lhes fazemos moça!

    ResponderEliminar
  3. A próxima já devia ter sido agendada para o jogo com o Boavista.
    Este silêncio só ajuda o Varandas...

    ResponderEliminar
  4. Varandas tem a proteção da CS porque sabem que com ele o SCP é inofensivo e não representa nenhuma ameaça ao poder instituído.

    ResponderEliminar
  5. Longe vão os tempos em que outro presidente da MAG -o bombeiro incendiário- disse que sentiu a vontade dos sócios ouvindo as manifestações de desagrado no estádio durante um jogo, e que isso serviu para convocar assembleia destitutiva. Varandas está bem respaldado por Rogério Alves e pelos personagens que escolheu para o Conselho Fiscal e Disciplinar. Agora já gostam de invocar a legitimidade eleitoral. O outro Presidente foi eleito por 90%, mas para eles o barulho encomendado que ouviram no estádio foi motivo suficiente para o afastar. Andam com as ideias um bocado baralhadas, só pode...

    Maldita Carbonária, nunca esteve tão activa desde 1910...

    ResponderEliminar
  6. Mr, excelente artigo a reavivar a importante manifestação realizada no fim-de-semana passado. Apenas uma falha, o Diário de Notícias não é diário? Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Mais um recorde para o capitão Vananas. São tantos que já lhes perdi a conta. Desta vez é a maior manifestação contra uma Direcção da história do desporto nacional.

    ResponderEliminar
  8. Obrigado Mister, por mais um excelente trabalho,continua a tentar acordar os VERDADEIROS LEÕES.

    ResponderEliminar
  9. Um cobarde no exercito e um exercito de cobardes.

    ResponderEliminar