" Mister do Café: Julho 2017

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Os delegados do Reino do Algarve


Depois do post sobre a "coordenação" entre o jornal Record e a Associação de Futebol do Algarve, quero falar um pouco do comunicado sobre a incompatibilidade de funções dos seus delegados. Vou colocar o comunicado na integra mas dividido por vários prints para ir comentando ponto a ponto. Vamos lá.

Levantou poeira...



Desde logo é muito interessante verificar que o comunicado principia com a teoria da poeira. Uma pequena variação à "teoria da lama" utilizada por amigos de outras andanças. Com sorte ainda vão exigir uma indemnização de 14 milhões.

Não posso falar pelos comentadores, nem pelos blogues ou redes sociais. Falo por mim. E perante a teoria das suspeitas lançadas, tenho a dizer que o que escrevi não são suspeitas, são factos. E bem sei que isso causa alguma irritação no reino do Algarve, mas é a vida.

O momento de comédia deste comunicado chegou ao terceiro parágrafo, quando os senhores do reino do Algarve trazem à colação o código deontológico dos jornalistas e a conivência das direcções de informação. E ainda bem que foi a própria Associação de Futebol a levantar essa questão, até porque encaixa como uma luva no senhor Armando Alves, jornalista do Record desde 1 de Setembro de 1986. Curiosamente, o senhor Armando Alves acumula a função de jornalista nesse diário com o cargo de Coordenador editorial da revista da AF Algarve desde Janeiro de 2006, como demonstrei (aqui).

Já que falam no código deontológico dos jornalistas e perante a notícia publicada ontem por Armando Alves no jornal Record, quero deixar aqui o que diz o código deontológico dos jornalistas:

Link (aqui)
É engraçado perceber como este ponto 10 do código deontológico se enquadra na perfeição em Armando Alves e na AF Algarve. Incompatibilidade? Nahhh. E o Record continua a bater palmas a isto.

Continuando com a análise ao comunicado:

"Função não é cargo" ou "dolo sem intenção"



É importante que as pessoas percebam que este comunicado omite questões de extrema relevância. Falam num parecer do Conselho de Justiça mas não referem que conselho de Justiça é esse. Será o Conselho de Justiça da FPF ou o Conselho de Justiça da AF Algarve? Por que será que isto foi omitido? Estarão com medo de dizer que o parecer é do Conselho da Justiça da própria associação? E é um parecer vinculativo? Se sim, vincula quem: AF ou FPF? E porque é que o parecer não é divulgado para que de uma vez por todas se fique a perceber quem o assinou e as verdadeiras fundamentações?

Depois, estes senhores não têm a coragem de dizer que o tal parecer é datado de 2005. E eu pergunto: que relevância pode ter um parecer com 12 anos, face a todas as alterações sociais e regulamentares que foram feitas ao longo deste período?

Segundo o comunicado, esse parecer milagroso afirma que não existe incompatibilidade porque "a condição de delegado se traduz no exercício de uma função e não no exercício de um cargo". Ora digam lá que isto não é surreal. Mais um "dolo sem intenção" para a mesa do canto se faz favor...

Vejamos o que dizem os estatutos da AF Algarve:

Artigo 9º ponto 4 - Link (aqui)

No comunicado, os senhores do reino do Algarve "lançam poeira para o ar" afirmando que a AF Lisboa não é uma associada da Liga, que é a entidade que gere os delegados. Isso é um facto tão indesmentível como irrelevante para o caso. O enquadramento à situação de incompatibilidade está sublinhado a amarelo no print anterior, e está relacionado com a ilicitude de "exercer cargos em quaisquer organizações nacionais directamente relacionadas com o Futebol". Ora, se a Liga de clubes não é uma organização ligada ao futebol, vou ali e já venho...

Critérios de admissão de delegados para 2017/2018 - Link (aqui)
É importante referir que no concurso de admissão de delegados para esta época está a condição de não serem agentes desportivos ligados por qualquer forma ao futebol profissional. Aqui está mais um ponto que prova o completa irrelevância de um parecer com 12 anos.

Mas existe ainda um argumento mais importante e que desmonta por completo a validade do parecer.

Parecer não se enquadra na função de Reinaldo Teixeira



Como já vimos, para além de Reinaldo Teixeira, coordenador dos delegados da Liga e Presidente da Mesa da Assembleia Geral da AF Algarve, também Albertino Galvão, delegado da Liga e vice-presidente da AF. Algarve está em situação de incompatibilidade.

Em 2005 o parecer foi emitido para o caso de Reinaldo Teixeira que na altura era delegado da Liga. Logo, quanto muito poderia ser usado como arma de defesa de Albertino Galvão nos dias de hoje, uma vez que ocupa o cargo de delegado da Liga.

Actualmente Reinaldo Teixeira não é delegado da Liga, mas sim coordenador de todos os delegados, logo esse parecer nem sequer se enquadra na situação actual do líder dos delegados. E aqui eu faço a pergunta do milhão de dólares: Coordenador dos delegados da Liga é um cargo ou uma função?

Estou muito curioso para saber o que vão inventar a seguir para justificar um claro caso de incompatibilidade.

Quem escreveu o comunicado? 



É interessante verificarmos que a AF Algarve decidiu dar uma explicação histórica sobre a forma como os delegados eram escolhidos, algo que foi alterado há dois anos. Até por aqui se percebe que por todas as alterações regulamentares e sociais, o parecer de 2005 está completamente desactualizado e só serve para perpetuar no poder alguns artistas como os que tenho aqui apresentado. Mas porque é que a AF Algarve tem de se pronunciar sobre isto?

A AF Algarve vai ainda mais longe e assume as dores do coordenador dos delegados, ameaçando "sem pretender, por ora, entrar na verdadeira razão pela qual alguns colocaram a circular estas questões, mas conhecendo a quem poderiam beneficiar". E aqui acho que há matéria mais do que suficiente para a comissão de instrutores da Liga abrir um processo de averiguações. O que é que a AF Algarve está a insinuar?

Um verdadeiro ditado


Digam lá que este comunicado não parece um ditado. E continua...


A AF Algarve considera que o concurso para novos delegados se realizou em "moldes inovadores". Lindo!!! Mas o que é que a AF Algarve tem a haver com os moldes em que realizou a escolha de delegados? E ainda tiveram a lata de "lançar mais poeira para o ar" afirmando que existiam 8 vagas para 400 candidatos. Algo que é mentira! Existiram sim 4 vagas para 400 candidatos e depois mais 4 vagas para os senhores que fizeram a pós-graduação dos 3600€.

E para fechar, a própria AF Algarve ainda acusa candidatos "não aprovados" de fomentarem esta polémica. Algo que também é falso. Não vi nenhum dos "não aprovados" a reclamar publicamente. Quem deu a cara contra a forma a Liga renovou os quadros foram dois ex-delegados: César Pereira e Ana dos Santos.

A dignidade e a honra



É engraçado vermos um comunicado assinado por um dos visados neste assunto, como é o caso de Albertino Galvão, vice-presidente da direcção. De facto, é sempre mais fácil ser juiz em causa própria.

Para fechar, a ameaça habitual a todos os que atentaram contra o "bom nome, a dignidade e a honra da instituição e dos que emprestam o seu tempo ao serviço da mesma." Por falar em questões deste género, Alves Caetano, presidente da AF Algarve é um expert na matéria.





Resumindo

- A AF Algarve está preocupada com o código deontológico dos jornalistas, mas tem nos seus quadros Armando Alves como coordenador editorial da revista da AF Algarve. Esse senhor acumula as funções com as de jornalista do jornal Record. Foi também esse senhor quem escreveu uma notícia manipuladora sobre a  AF Algarve na passada segunda-feira entrando em incumprimento do ponto 10 do código deontológico dos jornalistas.

- O parecer tem 12 anos e não está claramente adequado ao futebol actual. Na altura os delegados eram nomeados pelas Associações e pelos clubes. Hoje há um processo de selecção completamente diferente e uma das condicionantes passa pelo facto de os candidatos não estarem ligados de qualquer forma ao futebol profissional.

- O parecer foi feito para a função/cargo de delegado, logo nunca pode ser utilizado para defender a situação de Reinaldo Teixeira que é coordenador dos delegados.

- Neste comunicado, a AF Algarve assume de forma vergonhosa as dores de Reinaldo Teixeira e tenta a todo o custo defender o escandaloso processo de renovação dos quadros de delegados onde Reinaldo Teixeira teve um papel fundamental.

- A falta de vergonha ficou também bem patente quando um dos "incompatíveis" teve a lata de assinar este comunicado.

E é este o futebol que temos em Portugal. A Liga e a FPF continuam a assobiar para o lado, mas não o vão conseguir por muito mais tempo. Já o disse e volto a repetir, ainda nem cheguei a meio do caminho sobre este assunto.


Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

terça-feira, 25 de julho de 2017

Olha que bem coordenados que eles são...


A Associação de Futebol do Algarve decidiu sair a terreiro na defesa de Reinaldo Teixeira e Albertino Galvão, dois dos delegados que considero estarem em situação de ilegalidade, como denunciei no passado dia 9 de Julho (aqui).

Habemus resposta


É interessante verificar que foi preciso esperar 3 semanas para que alguém se pronunciasse sobre esta situação. Neste caso, estão directamente envolvidos: o coordenador dos delegados, cinco delegados, a AF Algarve, AF Coimbra, AF Lisboa, AF Santarém, Liga Portuguesa de Futebol Profissional e Federação Portuguesa de Futebol. Todos eles já deveriam ter esclarecido esta situação. Mas, mais vale tarde do que nunca...

Ontem coloquei novo post sobre este assunto, utilizando como base um post de Facebook de Bernardino Barros de dia 17 de Julho. O post de ontem pode e deve ser lido (aqui) até para ficar mais fácil perceberem a o "escaldão" provocado pelo reino do Algarve. 

Coincidências e curiosidades...


Curiosamente, passadas cerca de 3 horas e meia de ter colocado o meu post online, o jornal Record teve acesso privilegiado ao conteúdo de um comunicado da Associação de Futebol do Algarve, como podem ver de seguida:

Link da notícia (aqui)

Ao ler a notícia saltaram-me quatro situações à vista: a hora a que foi publicado (17:43h), o título e a foto escolhidas e o facto de na notícia do jornal Record não estar referido quem é que assinou o comunicado da AF Algarve. 

Por volta das 18:00h tive contacto com a notícia através de um leitor. Nessa mesma altura confirmei no site da AF Algarve e no facebook da associação se algum comunicado tinha sido publicado. Curiosamente, não encontrei nada. 

Por coincidência, o comunicado a que o jornal Record teve acesso antecipado só foi colocado online por volta às 19:45, precisamente duas horas depois de o jornal Record ter publicado a notícia, como podem ver no print seguinte:

Link (aqui)

1- Como é possível um jornal ter acesso antecipado a comunicados oficiais de instituições, duas horas antes de serem publicados oficialmente pelos órgãos de comunicação da AF Algarve? Por certo é coincidência...

2 - Perante um título como "CJ VALIDA ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES DOS DELEGADOS", os leitores são imediatamente levados a acreditar que o Conselho de Justiça se pronunciou no próprio dia sobre esta questão. Nada mais falso. Estamos a falar de um mero parecer que continua escondido e que é datado de 2005. Mas, por certo também é coincidência...

3 - Depois olhei para a foto e vi Reinaldo Teixeira, um dos implicados nesta ilegalidade. É curioso que tenha sido escolhida uma foto deste senhor para ilustrar a notícia. E mais curioso ainda é o facto de ter sido escolhido um sorridente Reinaldo Teixeira. Obviamente, também será uma coincidência...

4 - Para fechar, verifiquei que na notícia não constava o nome das pessoas ou órgão que assinaram o comunicado da AF Algarve. Como é possível um comunicado deste género não ter sido assinado? 

E pronto, fechamos por aqui as coincidências relativamente a esta notícia do jornal Record. Mas há outro tipo de coincidências...

O Jornaleiro


Perante tanta coincidência fiquei curioso em saber mais sobre a pessoa que escreveu uma "peça jornalística" deste género. Senhoras e senhores, apresento-vos Armando Alves.


Como podem verificar estamos a falar de alguém com 30 anos de serviço no jornal Record. 


Armando Alves teve a felicidade de poder estar presente na final do Euro 2016, o que sempre algo interessante para colocar no cv. Cada vez mais me convenço que só eu é que não fui ver a final. Se calhar tenho de começar a meter combustível na Galp.


O nosso amigo Armando tem um "fraquinho" pelo Benfica, mas provavelmente o seu grande amor é o anti-Sporting. 








Acho que já perceberam, certo?  Aqui fica a forma como o jornalista Armando Alves reagiu à notícia que indicava Reinaldo Teixeira como novo coordenador dos delegados da Liga.


Eu diria até que a figura de Reinaldo Teixeira não tem só "prestigiado e engrandecido" o futebol nacional. O trabalho fantástico deste senhor deve ser reconhecido até em termos internacionais, ao nível de figuras como Michel Platini, Joseph Blatter ou Angel Vilar. 

Voltando ao futebol algarvio, o nosso amigo também é um grande apreciador da Associação de Futebol do Algarve, senão vejamos:


Aqui está Armando Alves a discursar num palanque da Associação de Futebol do Algarve, com uma bandeira da Associação de Futebol do Algarve em pano de fundo e também com um polo da Associação de Futebol do Algarve. 

Um escriba com dois patrões


Curiosamente, para além da relação profissional com o Record que como vimos dura há mais de 30 anos, o nosso amigo Armando Alves é também coordenador editorial da revista da Associação de Futebol do Algarve desde Janeiro de 2006, como podem ver no link seguinte:

Link da revista (aqui)
E fica também a edição deste mês para não haverem dúvidas: 

Link da revista (aqui)
Isto deve ser complicado servir dois patrões ao mesmo tempo, não? Fico curioso para saber o que irá fazer o Record perante um funcionário que anda claramente a passar as mensagens que interessam à Associação de Futebol do Algarve num jornal que deveria ser isento. Incompatibilidade? Nada disso!

Com sorte, pode ser que o Record tenha no seu arquivo um parecer qualquer dos anos 60, assinado pela alta concorrência para a propaganda do regime, que prove que aqui não há incompatibilidade nenhuma.

PS: E ainda há gente que diz que o Reinaldo Teixeira não coordena bem.

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

segunda-feira, 24 de julho de 2017

"Pareceres há muitos, seus..."


Nos últimos dias tenho deixado a marinar o tema dos delegados. Não por falta de assunto, mas para dar espaço de manobra aos visados de se defenderem. No dia 17 deste mês, Bernardino Barros escreveu um post no seu Facebook explicando que foi contactado por um delegado no sentido de esclarecer a situação da incompatibilidade.

O post de Bernardino Barros




O delegado "mistério"


Não é preciso ser um "Nhaga" para perceber que o delegado que entrou em contacto com Bernardino Barros é um dos seis delegados que considero estarem em situação ilegal, como já denunciei (aqui)

O delegado que entrou em contacto com Bernardino Barros diz estar na posse de um parecer do Conselho de Justiça da FPF datado de 2005 e que legitima a compatibilidade de funções. Antes de me debruçar sobre a lei, quero tentar perceber quem é este delegado mistério. 

Ora, se o parecer é datado de 2005, estamos a falar de um documento com 12 anos. Dos seis delegados em situação que considero ser de incompatibilidade, apenas dois têm mais de 12 anos de serviço. Vejamos:

Aquando da divulgação da escolha de Reinaldo Teixeira como novo coordenador dos delegados, o jornal Record divulgou a informação que este senhor já está nesta "área" desde 1995/1996. 

Link da notícia (aqui)

Reinaldo Teixeira leva já uns impressionantes 22 anos de serviço. Entre os restantes 5 delegados que considero estarem ilegais, apenas um estava em funções para 2005/2006. Trata-se de Albertino Galvão que iniciou precisamente nessa época a sua carreira como delegado. 

Na altura em que o tal parecer do CJ da FPF foi emitido apenas Albertino Galvão e Reinaldo Teixeira já tinham iniciado a carreira como delegados. Só que há uma pequena diferença entre estes dois senhores. Em 2005, apenas Reinaldo Teixeira fazia parte dos órgãos sociais da Associação de Futebol do Algarve. Razão pela qual, o parecer só poder estar nas suas mãos.

Que Reinaldo Teixeira tenha a coragem para divulgar publicamente esse parecer para ser analisado pelos adeptos de futebol. Vou ficar à espera, sentado...

A Liga dos cobardes


Tendo recebido uma chamada de um delegado da Liga - que perante os factos anteriores considero ter sido de Reinaldo Teixeira - Bernardino Barros teve a ética e a cortesia de não divulgar o nome dessa pessoa. Apesar de não concordar com essa versão, Bernardino Barros teve também a coragem de passar a versão do delegado para a praça pública.

Perante isto, considero que o facto de o coordenador da Liga ter vindo a terreiro de forma encapotada é sintomático que algo de muito grave se passa no departamento dos delegados. Perante factos, o senhor Reinaldo Teixeira não tem coragem, frontalidade e ética para esclarecer em nome próprio todo processo de escolha dos delegados, a sua incompatibilidade e as incompatibilidades de cinco delegados por si liderados.

Uma verdadeira Liga dos cobardes que será chamada à pedra mais dia menos dia. 

Um parecer da treta


"Segundo um parecer do Conselho de Justiça da FPF de 2005, que o dito delegado tem na sua posse, Delegado da Liga não é um cargo, mas uma função. Logo, à face da lei, não há qualquer incompatibilidade."

Desde logo é importante esclarecer que um parecer não é algo vinculativo. Existem pareceres para todos os gostos e feitios, cujas conclusões podem variar consoante o interessado. Estamos a falar de algo que não vincula o Conselho de Justiça da FPF nem é garante de nada. Até hoje, o senhor Reinaldo Teixeira tem trabalhado na ilegalidade e assim pretende continuar. Vamos a factos.


Diz esse parecer da treta que "Delegado da Liga não é um cargo, mas uma função". Absolutamente surreal. Basta consultarmos o artigo nº3 do regulamento de competições, para percebermos que os delegados da Liga são considerados como "agentes desportivo", tal como treinadores, dirigentes, funcionários, jogadores, árbitros, etc.

Reinaldo Teixeira e os seus acólitos ilegais querem fazer passar a ideia que está tudo na legalidade quando isso não é verdade. Os regulamentos da Liga são claros assim como os regulamentos das associações em que estes senhores exercem funções. Aqui ficam eles para não haverem dúvidas.

Estatutos AF Coimbra

Estatutos AF Santarém

Estatutos AF Algarve

Estatutos AF Lisboa

É inconcebível e vergonhoso que esta situação continue sem um processo disciplinar, quer nas FPF quer nas próprias associações onde estes senhores fazem parte dos órgãos sociais. A forma como perante todas as evidencias continuam agarrados a estes cargo é demonstrativa do poder que possuem no futebol nacional. 

A incompatibilidade é clara e é gravíssima. Estes senhores são eleitos para os órgãos sociais das associações pelos clubes. Enquanto delegados fazem jogos dos clubes que votaram em si para órgão social de uma determinada associação de futebol, contra outros clubes de outras associações. Não está mais do que clara a incompatibilidade? Até quando as instituições nacionais vão ignorar este atropelo à lei, à moralidade e à ética?

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

domingo, 23 de julho de 2017

Grande decisão do vídeo-árbitro

O Sporting apresentou-se ontem aos sócios com uma vitória por 2-1 frente ao campeão francês e semi-finalista da Champions League. Um jogo que ficará na minha memória por ter sido o primeiro jogo disputado pelo Sporting com recurso a vídeo-árbitro. 

E logo no primeiro jogo, aconteceu isto:

Uma grande decisão do VAR



Como podem ver estão 3 jogadores em fora-de-jogo posicional, mas só a acção de um deles é irregular. O golo é anulado pela acção do jogador do Mónaco que passa à frente de Rui Patrício, impedindo-o de ver a bola partir. Com esta acção, o atleta do Mónaco teve clara interferência no lance e o golo foi muito bem anulado.

Uma decisão perfeita, unânime e que nem dá margem para discussão entre os adeptos de futebol. Os responsáveis por esta decisão foram: Manuel Mota, Manuel Oliveira, João Pinheiro e Vasco Santos. 

O Sporting lutou durante quatro anos pela introdução desta tecnologia, na pessoa do seu Presidente, Bruno de Carvalho. Uma tecnologia que visa essencialmente trazer mais verdade desportiva e fair-play ao futebol. Só pelo facto de existir esta possibilidade de rever os lances essenciais, os atacantes e defesas terão outra postura. Um exemplo claro disso, passa pela tentativa de obtenção de golos com a mão. Será que vale a pena o atacante tentar este gesto havendo VAR no jogo? Parece-me que não. 

O VAR não resolverá tudo, mas o erro grosseiro terá os dias contados. 

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

sábado, 22 de julho de 2017

Vocês sabem do que estou a falar


Não tinha particular interesse em falar do burburinho em torno de Octávio Machado por dois factores fundamentais: Primeiro, este senhor não merece o destaque que lhe tem sido concedido e depois existem temas muito mais importantes para falar, como a questão dos delegados, que vou continuar a acompanhar e a denunciar. 

Perante vários pedidos de leitores e tanta asneira que tem sido dito, resolvi dar a minha opinião sobre o caso. Comecemos pelo início. 


A escolha


O processo que levou à escolha do director para o futebol do Sporting, aquando da chegada de Jorge Jesus foi publico. Os nomes de José Luís do Belenenses e de Paulo Grencho do Vitória de Setúbal foram amplamente falados na imprensa. José Luís chegou mesmo a confirmar o convite e a justificar a razão para o ter rejeitado, como podem ver no link de seguida.

Link notícia (aqui)
Não vejo aqui onde é que está a grande novidade no facto de Octávio Machado ter sido uma terceira escolha, como afirmou Bruno de Carvalho. Ficamos apenas a saber que foi sugerido o nome de Carlos Janela e que o mesmo foi liminarmente declinado pelo Presidente do Sporting. 

Apesar de ter estado afastado do mundo do futebol durante 13 anos, Jorge Jesus convidou Octávio Machado para o cargo de director do futebol do Sporting. Na altura, a escolha até parecia ser interessante: Um homem com um experiência, com fama de disciplinador e intransigente na defesa do balneário. Alguém na linha da mítica figura de José Maria Pedroto, com quem trabalhou durante quatro épocas no Porto. Quando foi anunciada a sua contratação vi-o como sendo alguém que poderia ajudar a blindar o balneário e a dar a cara pelo clube junto da Comunicação Social. 

Um Cobarde


Ao contrário do que muita gente quer fazer passar, foi Octávio Machado quem pediu a demissão do Sporting. No momento da saída como foi público e confirmado pelo próprio Presidente do Sporting, Octávio Machado enviou apenas uma carta a comunicar a sua decisão à administração da SAD. 

Link notícia (aqui)
Este senhor não teve a coragem e a decência de marcar uma reunião com a administração da SAD para explicar os motivos que o levaram a querer sair do Sporting. Isto deve ser motivo de reflexão profunda por parte dos Sportinguistas.

Falta de Carácter


Como viram em cima, o pedido de demissão foi enviado por carta em Junho, tendo ficado liberto de vinculo contratual com o Sporting no final desse mês. Há por ai muita gente esquecida, mas no primeiro dia após o termo do contrato e no dia do aniversário do clube (1 de Julho), Octávio Machado decidiu conceder uma entrevista à CMTV, onde entre algumas pérolas lançou o ataque sobre o facto de ter sido "desconvidado" do casamento de Bruno de Carvalho. Isto no próprio dia em que Bruno de Carvalho casou.

Repito: No primeiro dia em que ficou desvinculado do Sporting, concedeu logo uma entrevista à CMTV.

Trazer a vida pessoal de Bruno de Carvalho para o debate foi mais um acto nojento deste senhor. Perante alguém que não teve o respeito e consideração de apresentar a sua demissão em pessoa, considero que Bruno de Carvalho esteve imperial em ter "desconvidado" o senhor. Vocês manteriam o convite a alguém que teve esta desconsideração? Eu não!

Ninguém precisa ter simpatia pessoal pelos colegas de trabalho ou pelos superiores, mas o respeito, o carácter, a dignidade, a lealdade e profissionalismo são características fundamentais em qualquer profissional. Ficou claro para todos que Octávio não possui nenhuma dessas características. Mais do que a falta de respeito a Bruno de Carvalho, Octávio Machado faltou ao respeito aos sócios do Sporting e à instituição na figura do Presidente do clube. E isto não pode nem deve ficar esquecido.

Não satisfeito com o impacto da primeira entrevista, Octávio Machado voltou à antena da CMTV para voltar a atacar o Sporting e o seu presidente, na última terça-feira. Alguém acha isto normal?

Parasita e ingrato


Octávio Machado nunca conseguiu blindar o balneário e nunca conseguiu fazer uma defesa eficaz da equipa nas instituições desportivas e na comunicação social, que foram as principais funções para as quais foi escolhido. Na última época foi confrangedor vermos Bruno de Carvalho, Jorge Jesus e Nuno Saraiva a darem a cara pelo Sporting, enquanto Octávio Machado não mexia uma palha, literalmente. O clube lá foi aguentando a falta de profissionalismo e de competências de Octávio, que continuou a ser defendido pela estrutura e acarinhado pelos adeptos do Sporting, como é bom exemplo o episódio de saúde que teve na Madeira. Octávio deveria estar agradecido ao Sporting, aos Sportinguistas e ao seu presidente por lhe ter sido concedida nova oportunidade de representar o Sporting. Pelo contrário, tem vindo para a praça pública enxovalhar quem lhe "deu de comer". Um parasita e um ingrato. 

Perante tudo isto, não vejo um único Sportinguista com pena pelo facto de Octávio ter deixado o Sporting. Esta é a maior prova da inutilidade que demonstrou no período em que esteve no clube. Bruno de Carvalho teve a coragem de esclarecer a situação perante os Sportinguistas. Provavelmente, não precisava de o ter feito, uma vez que os Sportinguistas sempre souberam e sabem os valores morais de Octávio Machado, que ficará livre para regressar para o buraco de onde veio.  E vocês sabem do que estou a falar...


Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Padres ordenados para 2017/2018


O conselho de arbitragem da FPF, presidido por José Fontelas Gomes e coadjuvado pelos vice-presidentes João Ferreira, Paulo Costa e Lucílio Baptista, ordenou ontem os padres para as missas de 2017/2018. Aqui fica a lista completa:

- António Nobre (Leiria)
- Artur Soares Dias (Porto)
- Bruno Esteves ( Setúbal)
- Bruno Paixão (Setúbal)
- Carlos Xistra (Castelo Branco)
- Fábio Veríssimo (Leiria)
- Gonçalo Martins (Vila Real)
- Hélder Malheiro (Lisboa)
- Hugo Miguel (Lisboa)
- João Capela (Lisboa)
- João Pinheiro (Braga)
- Jorge Sousa (Porto)
- Luís Godinho (Évora)
- Luís Ferreira (Braga)
- Manuel Oliveira (Porto)
- Manuel Mota (Braga)
- Nuno Almeida (Algarve)
- Rui Oliveira (Porto)
- Rui Costa (Porto)
- Tiago Martins (Lisboa)
- Vasco Martins (Lisboa)
- Vítor Ferreira (Braga)

O quadro foi diminuído de 24 para 22 árbitros. As caras novas são António Nobre (Leiria) e Vítor Ferreira (Braga). Os 22 padres irão acumular a condução dos jogos da I e II Liga com a função de vídeo-árbitro no principal escalão. 

Mais uma originalidade destes senhores. Numa altura em que haverá muito mais trabalho com a introdução do vídeo-árbitro, Fontelas Gomes e amigos decidem reduzir o quadro. Isto cabe na cabeça de alguém? Bem, pelos vistos cabe...

Como diria alguém: "Vamos ter os padres que escolhemos e ordenamos, nas missas que celebramos, temos é de rezar e cantar bem. AGORA APAGUE TUDO”

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

Entrevista de Bruno de Carvalho na Sporting TV

Para quem não teve oportunidade de ver a entrevista de ontem do Presidente Bruno de Carvalho na SportingTV, aqui fica o vídeo.


Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Resumo do Caso dos delegados na Sporting TV


No Sporting Grande Jornal de ontem foi apresentada uma grande reportagem sobre o caso dos delegados. Um caso que foi comentado em estúdio pelo comentador Eduardo Garcia que fez uma análise excelente a todo o caso:

Foram abordados 4 pontos fundamentais. Vou colocar em baixo um pequeno resumo e os links dos respectivos posts para quem ainda não leu. No final do post deixo o vídeo da Sporting TV.

1) 6 Delegados estão ilegais: Manuel Castelo, Nuno Pedro, Américo Gomes, Rui Manhoso, Albertino Galvão e Reinaldo Teixeira (coordenador dos delegados) estão na ilegalidade, uma vez que acumulam o cargo de delegados da Liga com cargos nos orgãos sociais de Associações de Futebol. Mais informação (aqui).

2) A pós-graduação: O concurso para novos delegados da Liga teve dois caminhos possíveis: O caminho normal, onde todos se poderiam candidatar e um caminho alternativo direccionado apenas para alunos de uma pós-graduação com 40 vagas (não sei se foram todas preenchidas) de 120h e que teve um custo de 3600€. Em cada caminho existiam 4 vagas para delegados. Na pós-graduação apenas alguns alunos concorreram ao cargo de delegados da Liga. 

Dos quatro novos delegados da Liga escolhidos através da pós-graduação já apresentei dois: 

3) João Moura - O CV deste advogado tem passagens pela GIC (empresa de intermediação de jogadores detida pelo empresário César Boaventura), escritório de advogados de Lourenço Pinto, Marítimo, cronista do jornal Record e advogado na Abreu Advogados, firma que está a defender o Benfica no caso dos emails. Mais informação (aqui)

4) João Pedro Rodrigues - Também trabalha na Abreu Advogados e foi cronista do site Bola na Rede e no jornal Record. Nas suas crónicas no site Bola na Rede este senhor comparou Bruno de Carvalho a Donald Trump e os Sportinguistas a um rebanho. Já sobre Vieira - um criminoso condenado - são só elogias. Mais informação (aqui).


Devo dizer que estou muito contente por todo o destaque que a SportingTV tem dado a este caso. A reportagem que foi feita consegue ter um alcance e uma acessibilidade muito maior do que um post aqui no blog. Este tipo de reportagem em particular, ajudará os Sportinguistas a perceberem ainda melhor o que realmente se passa no futebol português. Este é o caminho.


Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

quarta-feira, 19 de julho de 2017

César Pereira abre o livro sobre a purga imposta pela Liga


Por muito que a generalidade da imprensa queira esconder, o tema "delegados da Liga" está ai e veio para ficar. As reacções tem sido muitas e dos mais diversos quadrantes. Hoje foi a vez do antigo delegado, Cesár Pereira abrir o livro sobre esta questão num post de Facebook que pode ser lido (aqui) e que transcrevo de seguida:

21 Anos não são 21 dias!


Como Delegado da Liga, cheguei ao fim de uma viagem que durou apenas 21 anos! 

Posso hoje afirmar com orgulho, que servi o futebol sem nunca me ter servido dele!

Assim, com a idoneidade que me caracteriza e com a frontalidade que sempre tive, direi que objectivamente este é para mim um momento difícil. Difícil não pela saída, que há uns meses vinha a ser por mim ponderada, mas pela forma como ela aconteceu. Muito tenho equacionado se deva ou não manifestar-me publicamente relativamente a esta situação. Pelo respeito que o futebol me merece, e fundamentalmente pelo respeito que devo ter por mim próprio entendi que o devo fazer. 

Lembro que foram apenas 21 anos como Delegado da Liga. Enquanto desempenhei esta função, cargo, incumbência ou missão, é só escolher porque para mim é tudo igual, pedi vezes sem conta “fair-play” e desportivismo a todos os agentes desportivos intervenientes no espectáculo que é o futebol. Mas de facto parafraseando o Técnico Jorge Jesus o “fair-play” é mesmo uma treta! É deste modo, com o ego preenchido de múltiplos sentimentos, mutilado por Incongruência, covardia, hipocrisia e tudo o que se relacione com o sentimento mais depreciativo, que aceito o repto lançado pelo Sr. Presidente da Liga, num ofício que fez o favor de me remeter agradecendo o meu prestimoso contributo para com a L.P.F.P., quando diz “Certos de que continuará a contribuir de diversas formas para um melhor futebol profissional…”

Pois é exactamente por esta razão, querer o melhor para o futebol português e pelo amor que tenho ao futebol, por ser uma pessoa idónea e não me rever neste tipo de artimanhas para eliminar pessoas com caracter, que a qualquer momento poderiam emperrar a máquina do sistema vigente e ainda por verificar que há imensos parasitas que gravitam em torno da modalidade, que direi o seguinte:
Jamais aceitarei a forma indigna, previsível e maquiavelicamente perpetrada, para arrumar com alguns Delegados da Liga. No futebol infelizmente existe um outro mundo para além daquele que é defendido e é mostrado ao adepto comum. É caso para dizer que por trás de um sorriso todo “sensodyne”, pode haver uma faca na liga, pronta para nos apunhalar a qualquer momento.

De há uns tempos para cá que se tem sentido a regra do vale tudo para atingir certos fins, ou seja; eu quero, posso e mando! Em todo o caso, honra lhes seja feita, porque foi com aviso prévio!

Com a chegada à Liga, de duas novas personagens, dois sapientes nesta matéria dos futebóis, já com provas dadas noutras paragens, demonstrando ter a lição bem estudada, que no seio dos Delegados se desconfiava e murmurava de que algo estava a ser perpetrado. Eu próprio, por várias vezes e em diversas ocasiões, tocado por esse sentimento, alertei alguns colegas para este possível facto. Há palavras proferidas que poderão dizer muitas coisas, alguns olhares e comportamentos descontextualizados poderão valer mais do que mil palavras, assim como certos detalhes dão-nos certezas e comprovam-nos a existência de pessoas mal formadas e mal-intencionadas.

Muito já se escreveu e falou. A minha colega Ana dos Santos com toda a sua competência, legitimidade e conhecimento de causa abriu a caixa de pandora. 

Neste momento as palavras poderão perder algum sentido perante tanta indignidade. É inacreditável o caracter desta gente! Objectivamente fomos tratados como autênticas marionetes nas mãos destes senhores. É um facto que as atitudes ficam com quem as toma, os actos com quem os pratica, mas com uma certeza, há sempre um amanhã!

Pese o facto dos longos anos de ligação a LPFP, á semelhança de outros colegas que por lá passaram, não terem sido merecedores de qualquer tipo de distinção, o respeito era o mínimo exigido. Tal não aconteceu, denotando desde logo, falta de memória e mau caracter de quem a gere. 

Chego até a equacionar a hipótese de estar agora também a pagar uma factura com 15 anos. Refiro-me concretamente ao jogo nº 01 004, Época 2002/2003 realizado no dia 25 de Agosto de 2002. 

Quando alguém narcisista ressabiada desprovida de valores, tudo se pode esperar! 

As boas lembranças, são marcantes, tal como as más, e o que é marcante nunca se esquece!

Era bom, muito bom mesmo, que cada um de nós pudesse seguir o seu destino, sem a inqualificável interferência batoteira de terceiros, mas lamentavelmente assim não é! 

Quem está no desporto e no futebol em particular tem uma simpatia clubística. Até aqui parece que ninguém tem dúvidas! Mas na realidade há quem não aceite isto como um facto, atropelando a idoneidade de cada um. Ser ou não ser da cor X ou Y não implica que essa pessoa seja mais ou menos idónea que as demais. Não o escondo, como de resto nunca o escondi, que sou portista de coração, associado do clube há cerca de 45 anos, servi o clube com muito orgulho, de resto foi com este mesmo orgulho que servi a Liga Portuguesa de Futebol Profissional, com abnegação, profissionalismo e honestidade, com o máximo respeito por tudo e todos. Porém, lamentavelmente a forma como se vive hoje o futebol é muito estranha e hipócrita. Fica-me o sentimento de que não se ser adepto de um determinado clube é um crime de lesa pátria! Creio que há uma intenção de pintar o futebol português a uma só cor. Não se percebe e lamenta-se que assim seja, porque todas as cores, de todos os clubes, devem ser respeitadas de igual modo. Todas as cores fazem falta ao futebol e sem elas não é possível haver competição, Se efectivamente se pretende ter campeonatos competitivos, como afirmam, tal só será possível com respeito pelos clubes, agentes desportivos e colaboradores e fundamentalmente pelo público e pelas regras. Não basta dar uma imagem de neutralidade, também é necessário comprová-la.

Um exemplo! 

Como se poderá justificar que um Delegado com quinhentos e muitos Jogos em (21) vinte um anos de Liga, tenha feito a delegacia a apenas sete (7) Jogos do Benfica. Dois (2) Jogos na condição de visitado e cinco (5) na condição de visitante. Destes sete (7) jogos, um (1) tenha sido para a Taça da Liga. E para compor o ramalhete o seu último jogo como Delegado da Liga tenha sido um destes jogos do Benfica na qualidade de visitante. Terá este Delegado estado todo este tempo conotado com o S. L. Benfica? Claro que não! Porventura era incómodo! Não serviria as pretensões deste clube! 

Há uma enorme falta de cultura idoneoprocedimental, que tem tendência a afectar a memória de uns quantos e a saúde mental de outros tantos que estrategicamente gravitam em torno do futebol. É nas pequenas coisas, que nós vemos as grandes. Há valores que não se compram, como o caracter e dignidade. Isto para mim não tem preço. São valores que possuímos ou não possuímos! O futebol como qualquer outra modalidade tem de ser credível. Não basta dizer que se é. É preciso prová-lo!

Assim, em modo de balanço, é hora de olhar para trás e reflectir.

Sem dúvida, muitas alegrias e obviamente algumas tristezas existiram!

Destaco os bons momentos, de alegria e de vivências e o sentimento de que cumpri sempre com aquilo que são os deveres e as obrigações de um Delegado da Liga. Não tenho telhados de vidro. Saio de consciência tranquila. Respeitei e fui respeitado em todos os estádios por onde passei, exceptuando o jogo de má memória Felgueiras vs Feirense disputado no dia 25 de Abril de 1998 se a minha memória não me falha. Nunca alterei uma vírgula que fosse num relatório já entregue. Nunca fui manipulador. Coloquei sempre a Liga em particular e o futebol em geral em primeiro lugar, seguindo sempre uma conduta correcta aplicando sempre as regras, designadamente aquelas que deveriam ser as nossas principais regras, a verdade e o bom senso. Provavelmente um dos meus problemas começará exactamente aí! 

Jamais poderei esquecer aqueles que me impuseram obstáculos infundados. Mas fica o registo tornaram-me ainda mais forte.

Agradeço àqueles que confiaram em mim e me impulsionaram. Um grande bem haja!

Valorizo as amizades e os conhecimentos adquiridos na LPFP. Aqui passei dos melhores anos de minha vida, fiz amigos, muitos dos quais, ficarão para sempre. Razão pela qual me sinto feliz!

Também alguma mágoa? Obviamente terá que existir! 

Vejamos! Se me perguntarem se era assim que esperava sair da LPFP, a minha resposta é claramente Não!

A realidade é que foi esta a forma que escolheram para me eliminar.

A LPFP adopta um conjunto de nomenclaturas pomposas mas desprovidas do propósito para as quais deveriam estar confinadas. Frases como “Estilo com talento” ou “Futebol com talento” ou ainda “Rigor, Profissionalismo, Talento e Agregação” mais não são, que o blá, blá, blá de frases vaidosamente criadas e encapotadas por quem a gere, bem á sua imagem e semelhança.

Para terminar, endereço os meus sinceros agradecimento a todos os companheiros com quem tive o privilégio de trabalhar, e a todos aqueles que me quiseram bem, me ajudaram e apoiaram. Divido com todos vós, caso ainda os tenha, os méritos desta viagem, porque eles também vos pertence. Agradeço as experiências partilhadas neste percurso em que não tivemos apenas rectas para percorrer. Imensas curvas também fizeram parte do itinerário. Percursos sinuosos com subidas e descidas foram uma realidade sempre presente, mas com a mesma dedicação e entrega unidos a uma causa, pelo cumprimento do nosso dever enfrentamos e ultrapassamos os obstáculos que se nos foram deparando.

Com um enorme respeito e amizade por cada um de vós, deixo-vos um desafio! 

Não permitam que o peso da consciência, um dia vos atormente, por nada terem feito. 

Não esqueçam. Hoje sou eu amanhã serão vocês! As minhas costas poderá ser o vosso espelho!

Espero e desejo que as pequenas adversidades sejam a causa e o início da solução de grandes tempestades...

Quanto a mim, resta-me seguir a vida com tranquilidade e o sentimento do dever cumprido. Talvez possamos encontrar razões e respostas às nossas questões, quem sabe...naqueles e-mails trocados...e não apagados.

Que as nossas despedidas não deixem de ser um eterno reencontro.

Um até já!

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

O delegado escritor


A Liga de clubes decidiu renovar o quadro de delegados no inicio desta época. Nesse sentido, lançou um concurso para encontrar gente com "capacidade" para ocupar as 8 vagas disponíveis. O concurso foi dividido em dois caminhos diferentes: 

O quelho dos "pobres coitados"


O primeiro desses caminhos passava por uma estrada em terra cheia de buracos, onde só os melhores conseguiriam passar. Um verdadeiro caminho dos "pobres" onde o mérito era a única coisa que poderia salvar os candidatos. Neste caminho passaram mais de 400 candidatos para apenas 4 vagas.

A autoestrada dos "meninos queridos"


Para os "meninos queridos" abriu-se uma autoestrada designada de "pós-graduação". Um caminho limpo e que permitia chegar ao final da viagem sem sujar a viatura. Como estamos em Portugal, as viagens em autoestrada são sempre bem pagas. Neste caso, a pós-graduação de 120 horas custou 3600€, mas por certo os "meninos queridos" viram o seu investimento recompensado. Esta pós-graduação tinha um limite mínimo de 20 alunos e um máximo de 40 alunos. Não consegui apurar o número de alunos que a frequentaram. O que é certo é que apenas alguns alunos demonstraram vontade em concorrer às quatro vagas de delegado, o que ainda demonstra mais a facilidade de acesso.

Coincidências


Já apresentei um desses meninos queridos neste espaço. Um tal de João Moura com ligações ao Marítimo, Lourenço Pinto, Abreu Advogados (uma das firmas contratadas pelo Benfica no caso dos emails) e à famosa GIC de César Boaventura. Podem e devem consultar esse post (aqui).

Hoje quero apresentar um outro "artista". 

"Ó Abreu dá cá o meu, hey"


Link (aqui)

Como dizem os Black Company "Ó Abreu dá cá o meu, hey". Apresento-vos João Pedro Rodrigues.

Tal como João Moura, o nosso "novo amigo" também trabalha na Abreu Advogados. A tal firma que estará no canto do Benfica na questão dos emails, como divulgou recentemente o Expresso. 

Jornal Expresso 09/07/2017

Seria de estranhar que este advogado especialista em "Direito do Desporto, Propriedade Intelectual e Tecnologias de Informação" não estivesse envolvido na equipa que preparará a defesa benfiquista na Abreu Advogados. 

Existirá alguma incompatibilidade no facto de defender uma das sociedade desportivas que é sócia da entidade para a qual é delegado? Nahhh. Não se passa nada, até porque segundo Helena Pires, directora de competições da Liga Portugal, só há incompatibilidade se os delegados disserem que há (link). O rei vai nú meus senhores!

Não tinha entrado pelo quelho dos "pobres coitados"



É importante salientar que pelo caminho dos "pobres coitados", o nosso amigo não tinha conseguido ser admitido como delegado da Liga, uma vez que obteve 84,30 pontos e o último estagiário a entrar conseguiu 87,30. Abençoados 3600€.

O delegado escritor


João Pedro Rodrigues tem um grande amor à escrita tendo colaborado com o jornal Record (tal como João Moura) e com site Bola na Rede, como escritor afecto ao Benfica. What else?

Bio de João Pedro Rodrigues no site Bola na Rede

É a falar do Benfica que João Pedro Rodrigues se sente em casa. Isto é algo que por certo ajudará na sua integração no quadro de delegados da Liga. Estando todos na mesma página, o "trabalho" pode fluir ainda melhor. 

Análise Presidencial


Aqui fica um exemplo do nível de literatura proporcionada por João Pedro Rodrigues no que ao Sporting diz respeito.


A forma como Bruno de Carvalho é comparado com Donald Trump e a classificação dada aos Sportinguistas de "rebanho", são cabais quanto ao nível que este senhor tem para ser delegado da Liga. É bom que Bruno de Carvalho fique atento nos jogos em que este senhor participar como delegado. Se puxar do cigarro electrónico, o Presidente do Sporting pode ser irradiado. 

Já sobre o Benfica e o seu Presidente condenado por roubo e devedor de milhões à banca nacional a coisa já muda de figura. Deixo apenas 3 exemplos interessantes, para quem tiver pachorra de ler.


"E vai acima, vai abaixo e vai ao centro"... cultural de belém


João Pedro Rodrigues com Manuel Vilarinho no dia da apresentação do Filme de Eusébio

Uma cortina de fumo


É engraçado que o senhor que "a falar do Benfica é que se sente em casa" não tenha um like na página do seu clube. Curiosamente tem like no Feirense, Paços de Ferreira, Tondela, Arouca, Braga, Académica, Boavista, Vitória de Guimarães, Freamunde, Rio Ave e Estoril. Uma bela fachada, sem sombra de dúvidas.


Agora apaguem tudo!


É engraçado que João Moura e João Pedro Rodrigues tenham tantas semelhanças. Para além do nome, ambos trabalham para a Abreu Advogado, escreveram no Record e frequentaram juntos a pós-graduação da Liga. Mas há mais: Quer um, quer outro gostam de se esconder. Um tem "vergonha" de ficar da fotografia de família dos delegados da Liga como já vimos (aqui) e o outro tem "vergonha" do seu passado como cronista.

Para além da "fachada" com os likes de Facebook, é curioso que os artigos de João Pedro Rodrigues escreveu para no site do jornal Record e no site Bola na Rede tenham sido apagados recentemente. Infelizmente, não consegui aceder aos artigos que escreveu para o jornal Record. Fico a aguardar (sentado) que o jornal os coloque novamente online. 

Para concluir, quero só acrescentar que a preocupação demonstrada por João Pedro Rodrigues em tentar colocar uma cortina de fumo no seu Facebook e o facto de apagar o seu histórico como "escritor", é sintomática e definidora do carácter do artista.

São estes os senhores que Pedro Proença diz serem "os rostos e a extensão da Liga Portugal em todos os estádios do futebol profissional". 

PS: Não! Ainda não acabei acabei de falar sobre os delegados da Liga.

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)