" Mister do Café: 2017

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Super Relvinhas - A delegada da Liga


Helena Relvas é uma das figuras que constituem o quadro de delegados da Liga Portuguesa de Futebol Profissional. Este inspectora-geral do trabalho faz parte dos quadros da Liga desde a época 2014/2015. A nossa amiga estará hoje em Chaves nas "delegacias" do jogo entre o Chaves e o Benfica.

A Super Relvinhas


Helena Relvas tem a sua auto-estima bem elevada e até se considera uma "Super Relvinhas".



Os "queridos amigos ilegais"



Aqui está Helena Relvas em acção com o querido Nuno Pedro, um dos delegados que exerce o seu cargo de forma ilegal, uma vez que acumula o cargo com o de vogal do Conselho Directivo da AF Lisboa, como podem ver (aqui).


É sempre interessante ver a interacção entra Helena Relvas e o seu patrão Reinaldo Teixeira, lá do reino dos algarves. Isto agora com a Ryanair a bombar entre Lisboa e o Algarve é que vai ser...

Curiosamente, outro senhor que está na ilegalidade uma vez que acumula o cargo de "chefe" dos delegados com o de Presidente da MAG da AF Algarve. (aqui)


Não há duas sem três. É engraçado que o melhor amigo de Helena Relvas em 2016 tenha sido precisamente o delegado Manuel Castelo. Outro dos delegados ilegais, uma vez que acumula o cargo na liga com o de Vice-Presidente da AF Lisboa (aqui).


As delegacias


A nossa Super heroina gosta muito anunciar ao mundo as suas participações nas "delegacias".



Como qualquer mulher moderna, a nossa Relvinhas gosta de aparecer bem na fotografia. E nada melhor do que tirar uma foto com o equipamento da Liga de clubes. 


Amor ao Benfica





O que diz o contrato de prestação de serviços dos delegados da Liga?




O contrato de prestação de serviços assinado entre os delegados e a Liga de clubes é cabal no que diz respeito à utilização das redes sociais. Perante tudo isto, mais uma vez, a Liga escolheu assobiar para o lado e não atribuir qualquer tipo de castigo ou reparo à sua funcionária. É esta a nossa Liga, meus amigos.

Sobre os senhores delegados e restantes amigos, ainda tenho muito, mas mesmo muito mais a dizer e depois de um interregno propositado sobre este assunto, voltarei a trazer informação relevante sobre este processo. 

Para já deixo-vos com um super conselho.


O Super conselho da nossa Relvinhas




Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

sábado, 12 de agosto de 2017

Coito interrompido


Recentemente ouvi um desses paineleiros a referir-se a "coito interrompido" para designar o momento em que o vídeo-árbitro anulou um golo conseguido de forma ilegal. Durante a noite de ontem assistimos a uma nova variação deste "coito interrompido". Os rivais já festejam o deslize do Sporting, quando o árbitro da partida decidiu cumprir as leis do jogo, assinalando um pontapé de penálti tão claro como desnecessário.

Por isso urge solucionar a "azia" causada por este "coito interrompido".

Pedro Henriques na Sporttv


Começo pela análise do expert em arbitragem do canal que transmitiu a partida.

Casos.pt



António Marçal e Pinto Correia também não tiveram dúvidas. Pontapé de penalti bem assinalado. António Marçal considerou ainda penalti sobre Coates. Pinto Correio é o ÚNICO expert em arbitragem que não considera falta sobre Coates.

Duarte Gomes e jornal Abola




A capa de hoje do jornal Abola é bem demonstrativa da azia dos Serpa, Delgados e Guerras. Dar relevância de capa à frase "Penalty é ridículo" é um pequeno truque do pasquim. Não tenho acesso ao que foi escrito no jornal, mas sendo Duarte Gomes o expert em arbitragem do jornal, e tendo afirmado ontem que o penalti foi bem assinalado e que ainda ficou outro penalti por assinalar sobre Coates, não acredito que tenha mudado de opinião. 

Aqui ficam as declarações para não haverem dúvidas.


Jornal Record




No Record, Marco Ferreira e Jorge Faustino são claros: Penalti bem assinalado e ficou ainda por marcar uma grande penalidade por falta sobre Coates.

Jornal Ojogo



No jornal Ojogo, Jorge Coroado, José Leirós e Fotunato Azevedo não têm dúvidas. Pontapé de penálti bem assinalado e ficou também por marcar um penalti a favor do Sporting por falta sobre Coates.

Siga!


Resumindo: Dos 9 ex-árbitros com espaço na imprensa todos concordam que o pontapé de penálti foi bem assinalado. Destes 9 árbitros, 8 consideram que ficou um pontapé de penálti por assinalar a favor do Sporting. Mas isto deixa dúvidas a alguém? Só a alguns iluminados...

Dois jogos, duas vitórias, equipa em crescendo e continuamos sem sofrer golos. Venha a Champions.

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Toda a verdade sobre as claques do Benfica


A Sporting TV estreou ontem o programa "Verde no Branco". Um programa de análise semanal que contou com a presença de Nuno Saraiva, director de comunicação do Sporting e dos comentadores Eduardo Garcia e André Dias Ferreira. Neste primeiro programa, Nuno Saraiva abriu o livro sobre a ligação entre o Benfica e as suas claques, perdão, grupos organizados de sócios.

As alterações no regulamento de segurança do Estádio da Luz


Nuno Saraiva revelou ontem que existiu uma reunião entre Luís Filipe Vieira e as claques encarnadas para alteração de algumas situações no Estádio da Luz. No jogo da passada quarta-feira algumas dessas alterações já foram visíveis. Não entraram no Estádio nenhuns adereços afectos às claques encarnadas e  não existiu o habitual bombo e sistema de som/megafone para coordenar as tropas. Apesar disso, a PSP voltou a fazer um auto de notícia com irregularidades na zona das claques encarnadas. O IPDJ teve conhecimento dos mais de 80 autos de notícia da PSP só durante o último ano, e nada fez. E parece que vai continuar tudo praticamente na mesma. 

Vieira esteve no Aniversário dos No Name Boys em 2011 ao lado do assassino Luís Pina


A Sporting TV apresentou fotos do jantar de aniversário da claque NN Boys no ano de 2011. Nesse jantar estiveram presentes Luís Filipe Vieira e Rui Costa.





Nestas fotos é possível vermos Luís Pina, o assassino do adepto do Sporting que morreu atropelado na véspera do derby do passado mês de Abril, junto a Vieira e Rui Costa. 

Por falar em aniversário


Curiosamente, a 4 de Março deste ano, Rui Vitória deu os parabéns aos No Name Boys por mais um aniversário.



Luís Pina, cabecilha dos No Name Boys


O assassino Luís Pina é uma das principais figuras da claque do Benfica. Em 2011 foi uma das pessoas que registou a marca "No Name Boys" claque no INPI (Instituto Nacional da Propriedade intelectual).

Link (aqui)
Para quem se orgulha da sua ilegalidade, não deixa de ser curioso que na hora de receberem dinheiro pela marca, os claqueiros já tenham interesse na legalização...

O "Zé" Gago



Neste vídeo da SIC é possível sabermos mais sobre um tal de "Zé Gago". É importante referir que em 2008, este sujeito era um alto quadro da claque encarnada.


No dia 18 de Julho de 2008, "Zé Gago" teve uma reunião com Luís Filipe Vieira, onde o Presidente do Benfica se comprometeu a fazer cedências aos No Name Boys, entre as quais:
- Devolver a casinha aos No Name Boys
- Despedir o chefe de segurança na pessoa do Sr. Paulo Dias
- Autorizar o uso de tochas no interior do estádio.

E Vieira cumpriu escrupulosamente estas indicações. Paulo Dias foi despedido por "excesso de competência" e para o seu lugar entrou Rui Pereira, precisamente no início do mês seguinte à reunião de Vieira com o "Zé Gago". Vejamos:

Link (aqui)

De "Zé Gago" a Nuno Gago


Curiosamente, dois anos depois o "Zé Gago" passou a ser funcionário do Benfica como se pode verificar no seu perfil de linkedin que coloco de seguida:

Link (aqui)
Nuno Gago passou a ser o designado OLA (oficial de ligação com os adeptos) do Benfica. E ligações não lhe faltam. No mesmo registo da marca "No Name Boys" em que o assassino fez parte, constou também o nome de Nuno Gago. Como podem verificar em cima, o pedido do registo da marca foi efectuado a 6 de Maio de 2011. 

Ora, a 6 de Maio de 2011, Nuno Gago já trabalhava no Benfica. Estamos entao perante um funcionário do Benfica que ao mesmo tempo faz parte de uma claque e que até está no processo do registo dessa marca. 


Importa salientar que Nuno Gago manteve o seu papel neste processo relacionado com a Marca dos No Name Boys até ao dia 29-05-2012, data em que pediu a renuncia à titularidade do registo.

Curiosamente, este Nuno Gago foi o condutor da carrinha que transportou o very-light com o qual o adepto do Sporting viria a ser assassinado na final da Taça de Portugal no Jamor em 1995. 


O mesmo Nuno Gago que ainda no fim-de-semana passada permitiu o acesso às claques ilegais do Benfica para que de forma antecipada (antes da abertura de portas) colocassem as tarjas nas bancadas do Estádio Municipal de Aveiro.



Quem paga a factura?


Também no programa de ontem, Nuno Saraiva apresentou uma factura da SAD do Benfica passada ao sócio Paulo Jorge Costa Dias, cujo descritivo é bem elucidativo: "Redpass Total - Claque NN"


Curiosamente, o Sr. Paulo Jorge Costa Dias para além de fazer parte dos No Name Boys e de estar na zona da "Claque NN", também esteve envolvido como arguido no processo do assassinato de Rui Mendes na final da Taça de 1995.


Para fechar


Gostava de perguntar aos Benfiquistas se não têm nada a dizer sobre este triste espectáculo? Esta gente representa o vosso Benfica? 

Provavelmente é tudo folclore como disse João Gabriel depois de adeptos benfiquistas terem atirado petardos para cima dos adeptos do Sporting em pleno estádio de Alvalade, com o castigo habitual, ou seja, apenas uma multa.


Nada de novo, vindo dos mesmos adeptos que já invadiram o terreno de jogo para bater num árbitro de Futebol.



Curiosamente, na altura desta invasão e agressão ao árbitro auxiliar, o senhor Ricardo Costa, à época presidente do conselho de disciplina da Liga, decidiu apenas dar uma multazinha ao clube encarnado. O mesmo Ricardo Costa que faz pareces pagos pelo Benfica para ajuda os "meninos queridos" do polvo encarnado.

Perante tudo isto, até quando é que o Estado e as instituições desportivas vão assobiar para o lado? É preciso morrer mais alguém? 

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

O vergonhoso caso de Keaton Parks - Parte II


No passado dia 28 de Julho fiz um primeiro post sobre o caso Keaton Parks e a forma como saiu do Varzim para o Benfica.  Entretanto, há desenvolvimentos que merecem ser esclarecidos.

Resumo


Podem consultar o primeiro post que fiz sobre este assunto (aqui). De qualquer forma deixo um pequeno resumo: 

A 4 de Janeiro deste ano, os jornais desportivos nacionais noticiaram o interesse do Benfica em Keaton Parks. No dia 21 de Fevereiro, o jogador rescindiu o contrato com o Varzim de forma unilateral, "alegando entre outros argumentos salários em atraso". Em Março é reactivada a comissão arbitral e o advogado do atleta decidiu levar o processo para essa entidade. Ora, uma vez que o jogador rescindiu contrato em Fevereiro e a comissão arbitral só foi reactiva em Março, essa comissão nunca seria competente para indicar qualquer decisão ou parecer, cabendo essa responsabilidade ao TAD.

Mas, os senhores da comissão arbitral, cheios de vontade em atropelar a lei, decidiram dar razão ao jogador no dia 29 de Maio. Recordo apenas que estamos a falar da mesma comissão para a qual foi nomeado João Pinheiro, que posteriormente teve de colocar o seu lugar à disposição após a denuncia de posts ofensivos ao Sporting e a Bruno de Carvalho no seu facebook. 

Dois dias depois da decisão ilegítima e ilegal da Comissão arbitral, Keaton Parks foi anunciado nos jornais como sendo jogador do Benfica. De imediato o Varzim interpôs uma providência cautelar no TAD para cancelar a decisão ilegal e ilegítima da Comissão arbitral. Uma providência cautelar que acabou por ser aceite pelo TAD que considerou o comissão arbitral incompetente para decidir sobre este assunto. 

O Advogado "escolhido"


Pedro Macieirinha, advogado de Keaton Parks

Keaton Parks "escolheu" Pedro Macieirinha para seu advogado, após "sugestão" de Paulo Gonçalves, o tal senhor da SAD do Benfica que trata dos "meninos queridos", como ainda na passada terça-feira ficou mais uma vez provado, com o caso de Ferreira Nunes/Frankc Vargas (aqui). Mas quem é este senhor advogado?

Mais um "incompatível"


Link perfil (aqui)

Como podem verificar no print anterior, o senhor advogado é Director Jurídico do Gil Vicente desde Fevereiro de 2006. Como é óbvio e evidente, há uma clara incompatibilidade de funções. Eu pergunto: Como é possível que um funcionário de um clube seja advogado de um atleta num processo contra um clube rival? Só mesmo cá no burgo. Mas há mais!

O galo também canta!


Link da notícia (aqui)

Ora deixem-me ver se percebi bem: Um jogador rescinde unilateralmente com um clube e escolhe para seu advogado o director jurídico de uma equipa rival. Equipa essa que participa na mesma competição do clube ao qual o atleta interpôs um processo. Giro!

Para além disso, o atleta passa a treinar com essa equipa levando todo o tipo de informação sobre a preparação, organização e a estrutura do clube com o qual está em litígio. Bravo!

Qualquer dia ainda vamos ver Paulo Gonçalves a defender jogadores e dirigentes de outros clubes. E quem sabe se não poderá dar uma ajudinha a árbitros, delegados, observadores...

A Macieirinha está carregada


Pedro Macieirinha tem estado muito activo nos últimos meses. Foi por exemplo o advogado escolhido no processo contra o Canelas e elementos dos Super Dragões, como podem ver (aqui). E até já aparece na comunicação social como especialista em direito desportivo defendendo algums coisas interessantes para os encarnados (aqui).

As dores de Keaton Parks


Comunicado Keaton Parks no seu Facebook pessoal a 30/05/2017

No dia 30 de Maio, Keaton Parks publicou um comunicado no seu Facebook pessoal congratulando-se com a decisão da CAP, o tal organismo que não tinha competência para se pronunciar sobre o assunto. Peço a máxima atenção aos leitores para este comunicado especialmente para as partes sublinhadas a amarelo:

- O ponto 1 do comunicado começa por afirmar cabalmente que o atleta efectuou a rescisão por justa causa "por estarem em falta o pagamento de salários relativos aos meses de Setembro de 2016, Outubro de de 2016, Novembro de 2016, Dezembro de 2016, e Janeiro de 2017". Foi esta a principal fundamentação para a rescisão de contrato.

- No ponto 2, o atleta afirma que o clube "incumpriu ainda com outras obrigações decorrentes do contrato de trabalho: tratamento e respeito como o jogador como seu colaborador e concessão de condições de trabalho ao jogador. 

- No ponto 8 e 9, o atleta afirma que a CAP lhe deu razão pelo facto de o Varzim não ter os vencimentos em dia com o atleta. 

Ora, é importante realçar que o Varzim não foi notificado sequer da existência do processo e muito menos lhe foi dada qualquer possibilidade para se pronunciar, como é apanágio de qualquer processo minimamente justo. A única notificação que chegou ao clube da Póvoa do Varzim foi o acórdão com a decisão, como podem verificar (aqui).

A questão dos vencimentos em atraso seria cabalmente desmontada pelo clube, uma vez que têm todos os recibos de vencimento assinados pelo atleta. Só por aqui se percebe a má fé da CAP e dos seus responsáveis. Uma atitude que num país sério levaria à imediata destituição dos elementos que compõem esta comissão. 

O Varzim recorreu para o TAD através de uma providência cautelar que versava essencialmente na incapacidade da CAP se pronunciar sobre o assunto. Algo que foi obviamente aceite pelo TAD que anulou a "decisão" da CAP.

Uma decisão que pode mudar o futebol nacional


Depois de anular a decisão da comissão arbitral, chegou a altura de o TAD se pronunciar sobre o assunto. E eis que surge uma decisão peregrina e que coloca em causa toda a industria do futebol. Uma vez que o acórdão não é publico, baseio-me apenas nos comunicados oficiais do Benfica e do Varzim. Vejamos:


Comunicado Benfica (aqui)


Comunicado Varzim (aqui)

Como podem verificar, Varzim e Benfica confirmam que o TAD deu como provado que "o jogador recebeu a totalidade das retribuições mensais acordadas e que o jogador nunca esteve à margem do plantel, nem sequer em condições diferenciadas dos demais colegas". Curiosamente, foram estas as queixas anunciadas no comunicado publicado pelo atleta no seu facebok pessoal, como já vimos em cima.

Então porque raio o TAD validou a justa causa?


Segundo os comunicados dos dois clubes, "o TAD entendeu que a falta de utilização do Jogador pelo Varzim entre 22 de Dezembro de 2016 e 01 de Fevereiro de 2017 não foi devida a questões técnicas ou médicas, interpretou-a como forma de retaliação ao malogro de negociações tendentes à transferência do Jogador, e considerou apenas por isso que havia justa causa de rescisão, para efeitos desportivos".

Desde logo, é importante realçar que durante o período indicado pelo TAD o jogador esteve no lote dos convocados para a deslocação ao Estádio de Alvalade (Taça da Liga) a 30 de Dezembro (aqui) e foi suplente não utilizado numa partida a 4 de Janeiro frente ao Arouca (aqui). Mas até dou isto de barato.

O TAD justifica a "justa causa" para a rescisão com algo que é impossível de comprovar. Como é que o tribunal encontrou evidências que o atleta não jogou por questões relacionadas com uma eventual transferência? Só o treinador ou os próprios dirigentes do Varzim poderiam provar tal coisa e não consta que o tenham feito. Quem nos garante que não foi uma opção técnica ou até directiva que visava a aposta num outro activo? Quando os jogadores assinam contratos há alguma cláusula que lhes garanta a titularidade ou utilização corrente? 

Esta decisão do TAD não tem qualquer fundamento, e inclusivamente o jogador nunca alegou o motivo pelo qual o TAD encontrou fundamentação para punir o Varzim. É uma decisão que demonstra um total desprezo pela entidade patronal que cumpriu escrupulosamente com as obrigações contratuais para com o jogador, como o próprio TAD acabou por confirmar. 

Perante isto, jogadores como Reyes ou Martins Indi também podem alegar justa causa para rescindirem com o Porto, uma vez que estão no último ano de contrato e não fazem parte das opções iniciais de Sérgio Conceição. É isto que está em causa. Dou outro exemplo: Imaginemos que surgem propostas por Adrien Silva e o Sporting considera-as curtas não transferindo o jogador. Entretanto Bruno Fernandes ganha o lugar na equipa e Adrien fica de fora da equipa. Será que Adrien também tem direito a rescindir por justa causa? É que é isto que o TAD está a afirmar. Basta um jogador não jogar e ter tido um clube interessado nos seus serviços e está feito o filme para a rescisão. Esta decisão é um verdadeiro escândalo e poderá abrir uma caixa de pandora para situações deste género. 

Mas o mais curioso no meio de tudo isto é o facto de o Benfica ter levado este caso para um jogo nojento de influências. A decisão completamente ilegal do CAP e a decisão do TAD, que não tem a mínima base de fundamentação são um claro sinal da força e das ramificações de um polvo que urge destruir.

Estamos a falar do mesmo clube que ofereceu 150 mil euros ao Vianense numa eliminatória da Taça mas que se dá a todo este trabalho para roubar um jogador ao Varzim, evitando o pagamento de um milhares de euros. Por que será?

Ricardo Costa está em todas



Importa ainda esclarecer que o Sr. Ricardo Costa, o tal senhor que faz pareceres a pedido de Paulo Gonçalves para Ferreira Nunes é vice-presidente do Conselho de Arbitragem do TAD. Precisamente o órgão dentro da estrutura do TAD que julga questões arbitrais entre clubes e jogadores como é o caso de Keaton Parks.

Link (aqui)
Obviamente, coincidências...

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Quem quer ser Frankc Vargas?


Francisco J.Marques regressou ontem à antena do Porto Canal para revelar mais emails sobre o apito abençoado. Foram divulgadas dois assuntos muito interessantes: Um relacionado com Ferreira Nunes, a Abreu Advogados e a AF Coimbra e um outro assunto relacionado com o computador de Jorge Jesus e a forma como chegou ao Sporting. Não quero misturar os temas, razão pela qual farei dois posts. Começo pelo senhor Ferreira Nunes e os seus amigos.

O vídeo do programa


(créditos vídeo - Blog Artista do Dia)

Quem quer ser Frankc Vargas?


No dia 4 de Outubro de 2016, Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica, recebeu um email de um tal de Frankc Vargas com o email: (atento.arbitragem@...). Nesse email, Frankc Vargas 


Ao contrário do que seria de esperar, o anexo não continha o cartão de cidadão de um tal de Frankc Vargas, mas sim o cartão de cidadão do senhor Ferreira Nunes, antigo responsável pelas classificações dos árbitros durante o mandato de Vitor Pereira. 

Curiosa a forma como Ferreira Nunes criou uma conta de email alternativa e um pseudónimo para falar com os responsáveis encarnados. Por que será?

Ferreira Nunes

Sai uma "ajuda" para um "menino querido"


Ferreira Nunes saiu do Conselho de arbitragem em Julho de 2016 juntamente com o amigo Vítor Pereira. Este senhor ficou conhecido, entre outros, por ter despromovido Marco Ferreira depois de na época anterior ter ficado em segundo lugar na classificação geral. É escusado estar aqui a recuperar o caso Marco Ferreira. Toda a gente sabe a forma e o porquê de ter sido afastado do futebol nacional. 

Ora, Ferreira Nunes ficou desempregado em Julho de 2016, pelo que teria de procurar novo pouso. E quem melhor do que Paulo Gonçalves e o Benfica para ajudarem o "menino querido" a encontrar um novo rumo para a sua carreira?

Neste email de 4 de Outubro de 2016, Ferreira Nunes pede ajuda a Paulo Gonçalves para conquistar a Associação de Futebol de Coimbra. A estratégia passava por arranjar pareceres jurídicos que indicassem a impossibilidade de recandidatura de Horácio Antunes se recandidatar a novo mandato, alegando limitação de mandatos. 

É importante que as pessoas percebam de uma vez por todas o poder das associações de Futebol. São elas que escolhem o presidente e o respectiva direcção da FPF; os conselhos de disciplina, justiça e arbitragem; e são também as associações que votam as alterações regulamentares propostas para o futebol nacional. É bom que as pessoas tenham a noção disto. 

Importa referir que em Março deste ano, Bernardino Barros já tinha denunciado um encontro entre Ferreira Nunes e Paulo Gonçalves num restaurante na Mealhada.

Os senhores dos pareceres


Paulo Gonçalves desenrasca de imediato Ferreira Nunes através do pedido de um parecer a Ricardo Costa e Alexandre Mestre. Pareceres intermediados por Ricardo Costa ficou conhecido pelo campeonato do túnel da Luz, conquistado pelo Benfica após os castigos exemplares a Hulk, Sapunaru, Mossoró, Ney e Vandinho. Mais para a frente falarei mais sobre estes dois artistas. 

Ricardo Costa (aqui) e Alexandre Mestre (aqui)

Curiosamente, estes senhores fazem parte dos quadros da Abreu Advogados, a tal empresa contratada para defender o Benfica no caso dos emails. Por coincidência, a Abreu Advogados é também o berço de dois dos novos "meninos queridos" que através da pós-graduação da Liga conseguiram entrar directamente para o cargo de delegados da Liga. Podem saber mais clicando (aqui) e (aqui)

"Agora apaguem tudo"


No dia 23 de Dezembro de 2016, Augusta Moreira, do departamento financeiro da Abreu Advogado enviou para José Miguel Nora e para Ferreira Nunes a factura dos serviços prestados pelos tais pareceres. De imediato, o senhor Ferreira Nunes - ou Frankc Vargas - reencaminhou a factura para Paulo Gonçalves. Como quem diz: "Agora apaga tudo".

Este esquema é absolutamente vergonhoso e é inacreditável que as instituições desportivas nacionais continuem a assobiar para o lado. Esta gente tem idoneidade para assumir cargos desportivos? Nem para porteiro da Liga servem. É que desconfio que era capazes de abrir as portas e estender a passadeira vermelha apenas a alguns.

Fiquei com a clara sensação que Francisco J.Marques apenas nos trouxe um pequeno aperitivo sobre o histórico de Ricardo Costa e Ferreira Nunes, até porque me parece que a conta de email "contraosistema@iol.pt" que serve de fachada para a ligação directa entre o Benfica e Ricardo Costa terá muito mais sumo. É questão de aguardamos mais uns dias.

Sobre o senhor Ricardo Costa, amanhã conversamos... 


Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Call Center à Benfica


Na lista de "investimentos" do Benfica existem muitas rubricas. Os encarnados gastaram milhares de euros em vouchers para árbitros, observadores e delegados; mais de duzentos mil euros em bruxarias africanas; cartilheiros e paineleiros pagos a peso de ouro; cestinho das esmolas para as paróquias/padres amigos; alugueres de carrinhas e bilhetes à borla para "adeptos organizados", meninas a "200 euros o tempo que quiseres, se for a três é 400 euros", etc.

Ontem, os programas de comentário desportivo regressaram para nova época e ficou no ar a clara sensação que os encarnados estão a apostar forte nas novas tecnologias. 

Call center à Benfica



Se ao menos o departamento de segurança informática fosse tão bom como o call center.  

Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Impunidade total


É cada vez mais evidente o sentimento de impunidade total do clube encarnado na sociedade portuguesa. Estamos a falar de uma agremiação que vive em regime de excepção nas instâncias desportivas e governamentais e que conta ainda com uma total subserviência da imprensa. Neste post quero deixar de uma forma definitiva o que tem acontecido entre o Benfica e o IPDJ.

A interdição noticiada pelo Jornal de Notícias


No passado domingo, o Jornal de Notícias noticiou a interdição do Estádio da Luz por questões relacionadas com a nulidade do regulamento interno de segurança. Importa esclarecer que este processo surgiu de uma queixa do Sporting e que a decisão de interditar o Estádio da Luz foi tomada com base em mais de 80 autos de notícia da PSP, todos realizados no último ano. Para além de todos estes autos, a permissão dada pelos responsáveis benfiquistas à entrada de tarjas, bandeiras e a cedência de um espaço físico às claques ilegais do clube, foram outros dos factores que levaram à interdição do Estádio até o Benfica apresentar um novo regulamento de segurança.

O Fanhoso e a mentira


É engraçado que perante uma interdição para o qual o Benfica diz nunca ter sido notificado, tenha contratado de imediato um advogado. É ainda mais engraçado percebermos que o advogado escolhido não pertence a nenhuma das habituais firmas contratadas pelo Benfica. Curiosamente, o Benfica optou por José Fanha Vieira, um conhecido comentador da Benfica TV que ainda recentemente foi apontado para secretário de estado da Juventude e do Desporto. Cargo para o qual não chegou a ser nomeado, uma vez que nesse mesmo dia foi descoberto o seu histórico de Facebook com publicações insultuosas a Bruno de Carvalho.

Por coincidência, para além de Benfiquista e comentador da BTV, este senhor teve uma passagem pelo IPDJ durante mais de 3 anos, onde exerceu o cargo de vice-presidente. Curiosamente, durante esse período foi o responsável máximo pelo recrutamento de quadros em alguns dos concursos lançados pelo instituto. 

Perante isto, eu pergunto: Não havendo aqui uma incompatibilidade legal, é moralmente aceitável que um advogado defenda alguém num caso a correr numa instituição da qual já fez parte, e onde alguns dos funcionários que estão do outro lado da barricada foram escolhidos por ele? Só mesmo cá no burgo.

Estádio da Luz aprovado


De facto, o novo regulamento de segurança foi aprovado à velocidade da Luz, literalmente. No mesmo dia em que o Benfica tinha de entregar o novo regulamento, o IPDJ veio a terreiro notificar o clube da legalidade do novo documento.

Perante esta decisão tão célere do IPDJ, só podemos concluir que o novo regulamento expressa claramente a proibição de entrada de tarjas, bandeiras e a cedência de um espaço físico às claques ilegais por parte do Benfica, assim como condena as razões para os mais de 80 autos de notícia da PSP sobre as claques ilegais do Benfica. Assim sendo, no próximo jogo no Estádio da Luz será interessante verificarmos a inexistência de todo e qualquer material alusivo a essas claques, assim como por certo já poderemos assistir ao fecho da "casinha" das claques encarnadas no complexo da Luz.


Curiosidades


1) José Fanha Vieira esteve na sede do IPDJ na passada sexta-feira, onde pediu o adiamento do prazo de apresentação do novo regulamento para o final do mês de Agosto. Algo que foi liminarmente negado, uma vez que o Benfica tem sido sistematicamente avisado pelo IPDJ das ilegalidades cometidas. De repente, um documento que demoraria um mês para fazer foi conseguido num fim-de-semana. 

2)  Ainda o Benfica não tinha entregue o novo regulamento de segurança e  Luís Filipe Vieira já tinha garantido ao início da tarde de segunda-feira que o Estádio da Luz estaria apto para o jogo com o Braga.

3) Por que será que o Benfica não realizou nenhum jogo de apresentação aos sócios ou o habitual jogo de homenagem a Eusébio, designado de Eusébio Cup? Aposto que na próxima segunda-feira Pedro Guerra dirá que "a não realização do jogo ofendeu a memória do Eusébio"...

4) O antigo plano de segurança, assim como o novo e toda a restante documentação sobre este caso não são do domínio público porquê? O que esconde um organismo público dos seus cidadãos?

Este é o 2º processo contra o Benfica por nulidade de regulamento


Link da notícia (aqui)
Como podem verificar através da notícia anterior, este é o segundo processo contra o Benfica por nulidade do regulamento de segurança do Estádio da Luz. O veredicto do primeiro processo - também uma queixa do Sporting - foi conhecido no passado mês de Abril e o clube da Luz foi condenado a pagar uma multa de 37.250€. É muito importante referir que os factos relativos a este primeiro castigo foram baseados em 19 autos da PSP. O que é incomparavelmente menos do que os mais de 80 autos só no último ano, conforme foi referido na notícia do Jornal de notícias deste domingo.

Processo na gaveta durante meses


Este primeiro processo que acabou apenas numa multa para o Benfica. Mas mais relevante do que a pena aplicada, foi a forma inenarrável como o processo esteve na gaveta durante meses. Tudo por obra e graça de um senhor Vítor Pataco, actual vice-presidente do IPDJ e antigo director da Benfica Multimédia S.A. Podem saber mais sobre este senhor clicando (aqui).

O processo ficou concluído pelo departamento jurídico do IPDJ no dia 17 de Agosto de 2016. Para o Benfica ser notificado do castigo, Vítor Pataco teria apenas de assinar a decisão, uma vez que cabe a este vice-presidente a competência de validar e notificar os visados das decisões, tal como se pode ler na passagem do processo que foi disponibilizada na Sporting TV, que apresento de seguida.


Só a 10 Outubro de 2016 é que o senhor Vitor Pataco é que se dignou a assinar um processo que estava na sua secretária deste o dia 17 de Agosto desse ano. É também muito curioso que apenas meio ano depois de o Benfica ter sido notificado dessa multa, a imprensa tenha tido conhecimento do caso. Faz lembra o célebre caso da Porta-18 que foi abafada na imprensa durante meses. Obviamente, coincidências.

O futuro

Perante este estado de impunidade total, o futuro do desporto em Portugal não pode ser risonho. A legislação é clara como água, mas o IPDJ, o Estado Português e as instituições desportivas nacionais continuam a olhar para o lado. Estamos a falar das claques de um clube que conta já com dois assassinatos no seu curriculum. Eu pergunto: Quantas mais pessoas terão de ser assassinadas para se pôr cobro a isto? 

Deixo apenas o artigo nº8 do regime jurídico do combate à violência, ao racismo, à xenofobia e à intolerância nos espectáculos desportivos, para que os leitores possam tirar as suas conclusões.

Legislação (aqui)


Agradecer a todos pelo apoio. Se ainda não seguem o Mister do Café nas redes sociais, podem começar já. 

Link do Facebook: (cliquem)
Link do Twitter: (cliquem)